Os desejos

O ano de 2010 está acabando e 2011 vem com tudo. Com a Copa do Mundo e as Olimpíadas chegando, novos investimentos na mobilidade ativa por bicicleta são esperados. Promessas feitas ao longo do ano que não nos serão esquecidas. São os desejos de uma parte importante da população e um investimento essencial às cidades médias e grandes que querem poder, um dia, se dizerem sustentáveis.

Mas as pessoas de bem não querem apenas isso:

desejam ciclorrotas bem planejadas e executadas;

desejam bicicletários adequados nos destinos de seus trajetos;

desejam – e isso é a mais pura verdade para quem pedala na cidade por opção – ver seus amigos pedalando nas ruas, e irem conversando pelo caminho;

desejam torcer por seus ídolos brasileiros livres de doping nas principais provas ciclísticas mundiais;

desejam políticas sérias de mobilidade, envolvendo a restrição do uso do automóvel e o apoio ao transporte público e às modalidades ativas de deslocamento;

desejam fiscalização e segurança no trânsito, para que suas vidas não se vão em vão;

desejam mais passeios ciclísticos e roteiros seguros para se conhecer as cidades sobre duas rodas;

desejam a integração intermodal;

desejam não ter dificuldade em se levar a bicicleta num ônibus;

desejam rotas cicloturísticas, poder ir à praia ou à serra ou aonde quiserem tirar férias de bicicleta;

– desejam mais bicicletas e menos carros nas ruas!

|—//–//-//–//–//–//–//–//—|

E, afinal, você vai ou não tentar a sua vaga no World Bike Tour São Paulo 2011 a partir da 0h00 do primeiro dia do ano?

Acesse www.worldbiketour.net.

|—//–//–//–//–//–//–//–//—|

Feliz Ano Novo!

Anúncios

Bike na cab… ops, no pé

Uma sugestão para você que, mesmo após o Natal passar, ainda anda encucado pensando em qual presente “normal” dar para aquele seu amigo ciclista.

Um chinelo de uma grande empresa do setor de calçados traz estampada sob os seus pés a imagem de uma magrela.

Chinelo com imagem de bicicleta.

Agora que a bicicleta já virou tema até de novela e aparece em dezenas de comerciais (até de automóveis!) pelo seu apelo ecológico e pela liberdade que proporciona (ao contrário da galera que presa presa horas nos congestionamentos causados pelo excesso de carros nas ruas), os marqueteiros de plantão não iam deixar essa idéia passar batida por suas cabeças. Ou seria pelos seus pés?

Árvore de Natal feita com bicicletas

O Natal de 2009 da cidade de Sidney, na Austrália, contou com uma iniciativa inusitada: uma árvore de Natal foi confeccionada utilizando 100 bicicletas recicladas! E não é que ficou bacana?

Confira abaixo as fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Via AcidCow

(Charges) Ciclista Noel

Feliz Natal!!!

Algumas mensagens bacanas de nossos amigos, parceiros e colegas de pedal. Não deixem de ver o blogue nos próximos dias para conferir mais algumas bicicharges natalinas!

UFSC avaliará projeto de revitalização do Pantanal

A reportagem abaixo foi originalmente publicada no Jornal Notícias do Dia, edição de Florianópolis, em 16 de dezembro de 2010 (pág. 5). Você pode ler a reportagem em .pdf aqui ou, então, acessar a prévia no próprio site do ND aqui.

Notícias do Dia - logo

UFSC avalia obras na Edu Vieira

Revitalização. Projeto depende de cessão de área da instituição

Na tarde de ontem, o vice-prefeito, João Batista Nunes, e o secretário municipal de obras, Luiz Américo Medeiros, entregaram ao reitor da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Álvaro Prata,  cópia do projeto  da duplicação e revitalização da rua Deputado Edu Antônio Vieira, no bairro Pantanal. Para que a licitação seja reaberta, depois que o Tribunal de Contas de Santa Catarina suspendeu o processo em novembro devido a irregularidades, a universidade precisa fceder uma área de cerca de 15 mil metros quadrados, onde ficaria uma nova faixa da rodovia.

“O projeto, que já está aprovado desde 2001, prevê a duplicação da pista e revitalização até a Eletrosul, com implementação de calçadas, ciclofaixas, entre outros serviços. O mesmo deve ocorrer até o Armazém Vieira, porém, neste trajeto, o trânsito será binário, em sentido único. Quem trafega do shopping Iguatemi deverá passar pela Carvoeira para chegar à Expressa Sul. Mas quem anda do Sul da Ilha pode seguir normalmente”, explica Nunes.

João Carlos Fagundes, professor da UFSC, preside a comissão que estuda a viabilidade do projeto. Segundo ele, a cessão do terreno é avaliada junto à prefeitura. “Existe a intenção de ceder, mas estamos discutindo algumas condicionantes. A instituição cresceu muito nos últimos anos e este é um espaço que perderemos. Mas sabemos que, ao ceder, contribuiremos para solucionar problemas da comunidade em que a UFSC está inserida”, acrescenta. Ele diz que no início do próximo ano a UFSC deverá ter uma posição sobre o impasse.

Deputado Edu Vieira. Comunidade está preocupada com trajetos mais longos. Foto: Daniel Queiroz/ND.

Moradores não aceitam projeto apresentado

Na início desta semana, ocorreu uma audiência pública entre moradores do Pantanal e prefeitura para discutir o projeto. “Apresentamos o projeto aos moradores. Eles deram algumas sugestões e fizeram críticas construtivas que vamos avaliar”, afirma o vice-prefeito. Segundo João Rogério da Cunha, presidente do Conselho Comunitário do Pantanal, os moradores não aceitaram o projeto como foi apresentado.

A principal preocupação é com o transporte público, que perde muito com o projeto atual. “Para fazermos um trajeto que hoje levamos 5 minutos, levaremos quase uma hora. Como o trânsito fica em mão única em um pedaço da via, precisaremos passar pela Carvoeira para chegar ao centro”, diz. Ele salienta que os moradores não perderão com o projeto, mas terão de se adaptar.

Emanuelle Gomes

Florianópolis: Pantanal terá ciclovia

A reportagem abaixo foi originalmente publicada na edição impressa do periódico Diário Catarinense em 14 de dezembro de 2010 (pág. 27). Você pode ler a matéria no site do DC aqui. O único equívoco foi corrigido no decorrer do texto.

Será que tem solução?


DUPLICAÇÃO

Via receberá investimento

Audiência discute soluções para tráfego intenso na Rua Deputado Edu Vieira, em Florianópolis

A duplicação e revitalização da Rua Deputado Edu Vieira, no Bairro Pantanal, em Florianópolis, foi tema de uma audiência pública ontem. Moradores, representantes do município e especialistas em mobilidade urbana se reuniram para tratar da obra que promete resolver o problema do tráfego na região.

A via, que recebe diariamente 37 mil veículos que seguem em direção à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), ao Norte, Leste, e Sul da Ilha, deve ganhar mais duas pistas, ciclovia, acostamentos e passeios. O projeto, orçado em R$ 5,8 milhões pela prefeitura, prevê a duplicação de um trecho de um quilômetro, entre os trevos da Eletrosul e da UFSC. Os outros 900 metros seriam revitalizados, com substituição de calçadas e nova pavimentação.

Mas alguns entraves impediram que a de licitação, aberta no início de outubro, seguisse adiante e as obras começassem em dezembro. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) suspendeu o edital por irregularidades no processo. Um deles seria a falta de estudo de tráfego e projeto de desapropriação na região.

Ontem, na audiência, o secretário de Obras da Capital, Luiz Américo Medeiros, disse que se o processo for retomado em janeiro e tudo der certo na desapropriação do terreno da universidade, as obras devem começar no primeiro semestre de 2011. O prazo previsto para a entrega do serviço é de um ano.

Os moradores apresentaram projeto alternativo, que prevê a adoção experimental de mão única na Edu Vieira, sentido Armazém Vieira-UFSC. A volta seria pela Rua Capitão Romualdo de Barros, na Carvoeira.

Fumaça emitida pelos automóveis compromete a fertilidade masculina

A reportagem abaixo foi originalmente publicada na edição impressa do periódico Diário Catarinense em 19 de dezembro de 2010 (pág. 38). Você pode ler a matéria no site do DC aqui.

SAÚDE MASCULINA

Poluição compromete fertilidade

Um levantamento realizado pela Faculdade de Medicina da USP mostra que a exposição constante à poluição emitida por veículos pode afetar a qualidade do sêmen humano. Foram comparadas amostras do esperma de 61 controladores de tráfego de São Paulo com as de 198 homens férteis do grupo de controle.

Apenas 27% dos espermatozoides dos integrantes do primeiro grupo apresentavam motilidade adequada, isto é, tinham condições de se locomover em velocidade e trajetória adequadas para possibilitar a fecundação do óvulo. No outro grupo, o índice chegava a 40%.

Os “marronzinhos’’, como são conhecidos estes profissionais, ficavam expostos à fumaça seis horas por dia. O estudo não considerou fatores como estresse, tabagismo e idade.

– Ainda não sabemos exatamente qual é o mecanismo que leva os poluentes a prejudicarem a qualidade do esperma, mas supomos que seja por causa dos metais pesados liberados pelos escapamentos – diz a autora do estudo, a biomédica Juliana Andrietta.

Segundo a médica, é possível estender os resultados da pesquisa à população de São Paulo.

– Todos nós ficamos horas parados no trânsito. A poluição é um fator que colabora para essa diminuição da qualidade do esperma, junto com o estresse e a má alimentação – explica.

Estresse é apontado como fator a mais

Para Otto Chaves, chefe do Departamento de Andrologia da Sociedade Brasileira de Urologia, o estresse deveria ter sido levado em conta no levantamento da USP.

– Até que ponto o estresse não entra como componente a mais nos resultados? Um controlador de tráfego vive sob alta pressão – ressalva.

No começo do ano, a Organização Mundial da Saúde redefiniu os níveis ideais de fertilidade masculina. Todos os critérios – concentração de espermatozoides, motilidade e morfologia (forma) – tiveram padrões de normalidade rebaixados.

No caso da motilidade, que foi objeto do estudo da USP, o padrão de espermatozoides em condições de fecundar um óvulo era de 50% em 1999. Hoje é de 32%.

Para Rodrigo Pagani, urologista do Hospital das Clínicas, isso não quer dizer que a fertilidade caiu.

– Os últimos estudos realizados foram mais rigorosos. Notou-se que homens abaixo dos níveis anteriores de fertilidade conseguiram engravidar mulheres.

Saiba mais:

Estudo indica que poluição causa infertilidade masculina

Veja também:

Pedalar para o trabalho fortalece o coração

Em luto, mas pela vida

A reportagem abaixo foi originalmente publicada na edição impressa do periódico Diário Catarinense em 22 de novembro de 2010 (pág. 21). Você pode ver a matéria no site do DC aqui.

AÇÃO PELA VIDA

O luto em luta

Vítimas do trânsito foram homenageadas na Beira-Mar Norte, na Capital

Chritiani Yared foi uma das cerca de 400 pessoas presentes ao evento que marcou o Dia Mundial em Memória das Vítimas do Trânsito, ontem, na Avenida Beira-mar Norte, em Florianópolis. Chistiani é mãe de Gilmar Yared, um dos jovens mortos em um acidente ocorrido em maio do ano passado em Curitiba.

No carro estavam Gilmar, 26 anos, e o amigo Carlos Murilo de Almeida, 20. Na tragédia se envolveu o deputado estadual Fernando Ribas Carli Filho (PSB), que estava com a carteira de habilitação cassada embora dirigisse seu automóvel de luxo.

– Estamos preocupados, pois nesta semana ele vai receber a carteira volta – explicou Christiani, que criou o Instituto Paz no Trânsito.

A militância de Christiani não surgiu logo após a morte do filho.

– Foi ao ver tantas mães que também tiveram seus filhos mortos no trânsito pedindo ajuda que me decidi.

 

Cristiane perdeu um filho num acidente em Curitiba. Foto: DC.

O Instituto Paz no Trânsito tem como linha o tripé educação, fiscalização e atendimento às famílias. Para ela, saber educar as crianças é garantia de mais respeito ao outro e as normas da sociedade. Christiani entende também que a falta de fiscalização é um problema sério e vê na devolução da carteira do motorista envolvido na morte do seu filho como um “tudo pode”:

– São situações assim que deixam as pessoas com a sensação da impunidade. Estamos trabalhando junto às famílias também o aspecto de que não se pode deixar de lutar. Nesta semana vamos organizar uma manifestação em Curitiba para que se possível a decisão seja revista pelas autoridades.

Christiani procura aliviar a dor das famílias com a própria experência:

– Digo sempre que a gente não enterra um filho. A gente planta uma semente. Hoje estamos aqui para lembrar dos mortos. Um dia estaremos erguendo um memorial para celebrar a vida que salvamos – explica.

Quem também participou da manifestação foi Fernando Diniz. Fernando é pai de Fabrício Diniz, vítima de um acidente em março de 2003 na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Além dele morreram mais duas jovens. O motorista Marcelo Henrique Negrão Kijak foi indiciado por triplo homicídio culposo. O laudo da perícia técnica constatou excesso de velocidade, condução em zigue e zague com derrapagem e consequente perda de direção, em um local em que a velocidade máxima permitida é de 60 km/h. Kijac teve a prisão decretada. Mas fugiu. Ele é procurado pela Interpol, mas seu paradeiro ainda é desconhecido.

Educação no trânsito deve começar na infância. Foto: DC.

– Não existe dor maior do que enterrar um filho. Eu decidi transformar o luto em luta. Viajo por onde posso ajudar a conscientizar as pessoas, por isso estou aqui junto com minha filha.

Ângela Bastos

Audiência pública tratará a revitalização do bairro Pantanal

Vai ser realizada nesta segunda-feira, 13 de dezembro, uma audiência pública no Conselho Comunitário do Pantanal, na Rua Dep. Antônio Edu Vieira 967,  às 19h, para tratar da revitalização desta que é a principal rua do bairro. Devem estar presentes representantes da Secrtaria Municipal de Transportes, Mobilidade e Terminais, a Secretaria Municipal de Obras e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

A posição dos ciclistas quanto à revitalização da dita rua é clara: a legislação deve ser cumprida e a via deve ser dotada de infraestrutura cicloviária, como previsto nos projetos do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF). Note-se também a ausência deste órgão na audiência pública. O projeto de engenharia deve ser apresentado às 19h45min, entretanto não foi feita menção ao projeto urbanístico no convite da audiência, embora este possa estar incluído no Projeto de Transporte Público no Binário e Entorno.

(clique na imagem para ampliá-la)

Qualquer pessoa interessada no assunto pode participar da audiência pública. Exerça a sua cidadania. Contribua para o futuro da sua cidade.

(Bicicultura) Jornal Bom Dia – Sorocaba terá mais ciclovias

A reportagem abaixo foi originalmente publicada no Jornal Bom Dia, edição de Sorocaba, no dia 03 de dezembro de 2010 (págs. 10 e 11). A matéria pode ser lida também, na íntegra e com vídeos, neste link.

Bike ganha mais espaço

Prefeito anuncia edital de licitação para contratar empresa que deseje alugar bicicletas e, ainda, a ampliação da ciclovia de Sorocaba que hoje tem 65km para 100km até 2012

Alternativo. A ciclovia da avenida Dom Aguirre é um importante corredor diário no transporte alternativo. Para lazer ou trabalho, é grande o número de ciclistas que cortam a cidade, todos os dias, usando este acesso.

Vou de Bike

Mais cem quilômetros de ciclovias interligando a cidade e a implantação de bicicletas públicas estão previstas dentro do Plano Cicloviário de Sorocaba

Até 2012 Sorocaba deve chegar a mais de 100 quilômetros de ciclovias, concretizando uma parte importante do Plano Cicloviário. Além disso, já no ano que vem, deve entrar em vigor o projeto das bicicletas públicas, que vão ligar várias regiões da cidade. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pelo prefeito Vitor Lippi após sua participação no Bicicultura 2010, evento que reúne representantes do segmento de mobilidade urbana de todo o país.

Desde 2009 a Urbes Trânsito e Transporte iniciou estudos para a implantação das bicicletas públicas. “São 13 pontos já definidos. Vamos dar maior possibilidade de locomoção para as pessoas com uma alternativa sustentável”, aponta o prefeito.

Os pontos em que a população poderá retirar as bicicletas se concentram nas zonas norte, oeste e centro, a partir de estudos de trajetos elaborados pela Urbes. São cerca de 10 bicicletas em cada ponto.

O projeto, que começou com 50 pontos, sofreu redução, segundo Lippi, devido a um redimensionamento de valores e do próprio trajeto. “Vamos iniciar o projeto. Reduzimos para ter essa aprendizagem necessária”, avisa.

Concessão

A exploração das bicicletas públicas também inaugura um novo modelo de gestão e parceria de serviços em Sorocaba. Segundo o prefeito, o projeto será uma concessão pública gerida por uma empresa que já detém algum serviço na cidade. “A empresa vai explorar um serviço público e ao invés de pagar a parte onerosa para a prefeitura, poderá explorar a bicicleta”, explica. “Mas para a população é totalmente de graça”, completa.

O projeto das bicicletas públicas, que começou com 50 pontos, sofreu redução, segundo Lippi, devido a um redimensionamento de valores e do próprio trajeto.

As bicicletas devem entrar em operação no ano que vem. Por enquanto, a fase é de elaboração de edital para o chamamento de empresas interessadas no projeto de mobilidade.

Os modelos mais resistentes e os acessórios que compõem o equipamento também foram objeto de estudo e constituem a parte mais onerosa do projeto.

O prefeito Vitor Lippi explica a importância da atividade física para combater o sedentarismo. Foto: Assis Cavalcante/Agência Bom Dia.

Conhecida pelo investimento no transporte alternativo, Sorocaba dá um passo importante até 2012, somando mais de 100 quilômetros de ciclovia ligando praticamente todas as regiões da cidade.

Só na obra do Sorocaba Total, que prevê a construção de novos acessos, são 33 quilômetros. A área onde se realiza o meplantio, no domingo, também deverá receber mais dois quilômetros de ciclovia, além de avenidas importantes como Ipanema e Armando Pannunzio. “A implantação na área central é a mais complicada. Não é fácil conciliar o trânsito com as bicicletas”, avalia Lippi.

Mais mobilidade

Interessados terão acesso às bicicletas públicas com o uso do cartão da Urbes

O cartão social da Urbes Trânsito e Transporte será o passaporte do usuário para o acesso às bicicletas públicas. Na prática, o cartão deve liberar uma unidade que será devolvida em outro ponto da cidade. Estudos ainda em andamento devem mostrar o melhor sistema e tecnologia para que o processo funcione corretamente.

O uso do cartão também é uma forma de unificar o acesso ao transporte público em Sorocaba, mostrando que a bicicleta também integra o sistema como prevê o Plano Cicloviário da cidade.

Durante sua apresentação na Bicicultura 2010, o prefeito Vitor Lippi lembrou da importância do uso da bicicleta como equipamento de saúde. A partir de diretrizes como Cidade Saudável e Cidade Educadora, Lippi destacou à platéia com cerca de 130 pessoas, vindas de várias parte do país, que as cidades devem combater o sedentarismo e transformar os espaços públicos em promotores de saúde, seja com a criação de ciclovias, seja com a construção de novos parques.

Prêmio pelo transporte alternativo e não poluente
A malha cicloviária de Sorocaba garantiu à cidade, em 2009, um reconhecimento especial dentro do Selo Verde Azul, prêmio conferido anualmente pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo.

65
quilômetros de ciclovias já existem em Sorocaba, implantadas em várias regiões.

Por toda a cidade
Identificadas pela cor vermelha, as ciclovias já se espalham por toda a cidade, sobretudo em avenidas importante e de grande fluxo de veículos, como Dom Aguirre, Paulo Emanuel de Almeida, Camilo Júlio, Wasghinton Luiz e Bento Mascarenhas Jequitinhonha. É a bicicultura.

Carla de Campos

(Bicicultura) Técnico vai a Sorocaba para tentar resolver problema em ciclovia

Sobre reportagem veiculada em jornal local, que pode ser conferida aqui, técnicos da URBES – Trânsito e Transportes, empresa ligada à prefeitura de Sorocaba, afirmaram, na sexta-feira, dia 03 de dezembro, que o problema caminha para uma solução.

Quatro ciclistas de Brasília teriam caído após um deles escorregar na ciclovia da Av. Rudolf Dafferner, que havia sido pintada cerca de uma semana antes do Bicicultura. Com a chuva que havia caído no dia, a ciclovia estaria escorregadia, parecendo “um sabão”, segundo os relatos.

A prefeitura de Sorocaba logo se mobilizou e trouxe um técnico da empresa que fabrica a tinta para solucionar esse problema. Uma película antiderrapante teria sido aplicada na ciclovia, enquanto o técnico avaliaria se houve problema com o lote da tinta e tentaria encontrar alguma solução.

Pintura recém-feita na Av. Antonio Bardela.

Problemas assim já foram relatados em outras cidades. Em Florianópolis, a ciclovia da Av. Hercílio Luz, quando recém-pintada, foi considera muito lisa e escorregadia. A mesma coisa pode ser dita da ciclovia da Marginal Pinheiros, em São Paulo. Isso parece, portanto, ser um problema ainda comum em várias cidades do país e vive-se em um bom período para que novas técnicas sejam desenvolvidas para as tintas utilizadas na pintura de ciclovias e ciclofaixas. Empresas de visão podem vislumbrar desde já essa oportunidade.

(Bicicultura) Após o carreteiro…

A pedidos.

(Bicicultura) Trio de viola caipira

Na noite de sexta-feira, 03 de dezembro, os participantes do Bicicultura foram brindados com o som desse trio, que tocou músicas provincianas com suas violas caipiras enquanto era servido um verdadeiro arroz carreteiro.

Pequenos momentos de um grande evento que não podem cair em nosso esquecimento.

Renata Falzoni será homenageada em São Paulo

Um dos símbolos do cicloativismo em São Paulo receberá Medalha Anchieta e Diploma de Gratidão, na Câmara Municipal de São Paulo, em reconhecimento aos mais de 30 anos de luta pelo espaço e valorização da bicicleta como meio de transporte.

Renata Falzoni conseguiu fundir sua vida profissional com sua paixão pela bicicleta. Hoje trabalha nos canais de TV da ESPN e é bike repórter na Rádio Eldorado. Formada em arquitetura, Renata ingressou no fotojornalismo em 1979, colaborou com os principais jornais e revista do Brasil, como: Veja, Isto é, Nova, Cláudia, Placar, PlayBoy, Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo entre outros.

“Desde que Renata Falzoni percebeu que unir bicicleta e mobilidade poderia trazer benefícios e soluções no deslocamento urbano, ela passou a perseguir este sonho; lutando pela inserção da bicicleta no planejamento urbano, incentivando novos usuários e levando o assunto para ser discutido publicamente e politicamente. Enfrentou preconceitos e resistências, mas continuou firme mostrando em cada conquista que era possível, viável  e necessário. Sua luta é atual”, diz o vereador Chico Macena, proponente da sessão solene.

O evento contará com a presença de personalidades que compartilham das mesmas bandeiras da homenageada, como o presidente da Escola de Bicicleta, Arturo Alcorta, o presidente da Caloi, Eduardo Musa, membro fundador da CicloCidade, Thiago Benicchio, o secretário municipal de Esportes e Lazer, Walter Feldman, a ex- vereadora, Soninha Francine, o secretário do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge, o presidente da Comissão de Bicicletas da ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos), Reginaldo Paiva e o membro da Transporte Ativo João  Lacerda.

(clique sobre a imagem para lê-la em tamanho maior)

(Via divulgação)

%d blogueiros gostam disto: