Desrespeito desterrense eternizado na internet


O Google Street View disponibiliza, desde o dia 27 de setembro, imagens de ruas de cidades catarinenses. Desde esse dia, Florianópolis, Lages, Rio do Sul, Joinville, São Bento do Sul e Jaraguá do Sul podem ser visualizadas com essa ferramenta.

Para saber mais sobre como utilizar o GSV, clique aqui.

O legal do Google Street View é que você pode, sem sair de casa, observar os arredores de um lugar que você vá visitar. É ótimo, também, para conhecer a infraestrutura ao redor de um hotel ou pousada que você pretende ficar durante uma viagem. Ou ainda percorrer um itinerário sabendo as cenas que você vai ver em seus lados esquerdo e direito.

Em Florianópolis, percorrendo o trecho das ciclofaixas da Agronômica (R. Frei Caneca e R. Rui Barbosa) e da R. Bocaiúva, utilizando dos recursos do Google Street View, podemos perceber que algumas cenas que os ciclistas enfrentam no seu dia-a-dia foram captadas pelas câmeras do carrinho do Google.

Cenas essas que, por maior fiscalização do Poder Público, poderiam deixar de ocorrer, mas que, após anos, continuam a dificultar o pedalar e a garantir sobrevida aos crimes de trânsito praticados no Estado.

Vamos começar, então, por uma imagem mais simples e menos indignante. O buraco aí de cima foi feito durante uma reforma em estabelecimento próximo. Esse trecho foi o único que ainda não foi arrumado. Mesmo tendo-se passado meses. Infelizmente, não se recorda da empreiteira responsável por isso.

Tem-se, sempre, a idéia simples de que, se alguém destrói uma rua durante uma obra, vai ao término deixá-la, no mínimo, igual a como estava antes. Infelizmente não foi o caso.

 

Este caminhão, da Frilatos, estacionou sobre calçada e ciclofaixa, sem espaço para pedestres, cadeirantes ou ciclistas.

Esta cena registrada é a mais legal do percurso. Mostra uma bicicleta presa em frente a um prédio, com uma placa de traslado de bicicleta e a ciclofaixa na R. Frei Caneca em frente.

Esta é a pior cena de todas. Podem ser observadas várias infrações. Apesar dos carros e caminhão sobre o passeio, chega a enojar a motocicleta escapando do congestionamento, cortando caminho pela ciclofaixa. Cena assim já foi registrada também por um repórter fotográfico de um dos maiores jornais de circulação local.


Apesar de o Hotel Majestic ter uma boa área para carga e descarga, é comum observar caminhões parados sobre passeio e ciclofaixa na R. Heitor Luz.

Desde a implantação da ciclofaixa da R. Bocaiúva, quase nunca se observou a ciclofaixa vazia em frente ao Kay’Skidum, ao lado do BeiraMar Shopping.

Em cidades com melhor qualidade de vida, todos cuidam pelo seu espaço externo e os estabelecimentos mesmos responsabilizam-se por manter com visual agradável sua fachada externa. Uma ciclofaixa possibilita uma melhor visualização do comércio, melhorando a freqüência de novos clientes. Em Florianópolis, além de um bolsão de estacionamento na rua paralela, vários estabelecimentos possuem convênios com estacionamentos próximos.

 

Na R. Bocaiúva, foram mais dois automóveis registrados pelas lentes do Google em plena ciclofaixa. O segundo, curiosamente, parou ao lado de um estacionamento…

Reflexos de uma sociedade ainda subdesenvolvida culturalmente.

Sobre bicicletanarua
Ciclista urbano paulistano residente em Florianópolis.

2 Responses to Desrespeito desterrense eternizado na internet

  1. Ana Vivian disse:

    Ótimo assunto Fabiano! Por aí podemos ver que a falta de respeito ao pedestre e ao ciclista não é coisa pouca. Agora ficará aí para o mundo todo ver… até que o pessoal do google visite a cidade novamente e registre tudo isso de novo. Pena é que eles “borram” as placas dos veículos infratores!

  2. Se os guardinhos não multam, como está acontecendo aqui em Vitória, vai ser difícil mudar essa mentalidade antes de chegar o século XXII….

    Aquela bicicleta parece que ela estacionada em um dos melhores paraciclo da cidade!! Não se eu estou falando certo porque nunca ainda não fiquei em Curitiba mas me parece ser como aqui em Vitória, os melhores paraciclos não são aquele instalados, são barreiras e outros sistemas com barras espalhados na cidade e que por acaso podem ser usados para prender um bicicleta…

    Emmanuel M. Favre-Nicolin
    Blog Vitória Sustentável
    http://vitoria-sustentavel.blogspot.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: