Bicicletada Floripa de agosto homenageia ciclista morto em local que deveria ter ciclovia há 6 anos


José Lentz Neto começou a usar a bicicleta por motivos de saúde. Acima de seu peso ideal, seu médico recomendou a prática de atividades físicas pouco após ele ser submetido a uma delicada operação. Como tantas outras pessoas, optou pela magrela. Servidor da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), José preparava-se para as últimas horas antes da tão sonhada aposentadoria.

A cerca de 300m da UDESC, numa sexta-feira ensolarada pelo meio-dia a omissão do poder público e a imperícia de um motociclista tiraram-lhe a vida aos 60 anos. José Lentz Neto encontrava-se no sentido correto do fluxo, na Av. Madre Benvenuta, no Santa Mônica, em direção à Trindade, quando ocorreu o sinistro.

Este poderia ser um caso isolado, se não fosse o quinto caso de ciclista morto na Grande Florianópolis desde o começo do ano, o terceiro na capital catarinense, sendo o primeiro fora das rodovias federais e estaduais que cortam a região. A sua morte foi mais um caso da omissão do poder público para lidar com a mobilidade por bicicleta e com a frágil relação dos ciclistas para com os demais veículos. No dia seguinte, outro ciclista, Cloves Irineu Caetano seria vitimado por um ônibus próximo ao Terminal de Integração de Canasvieiras (TICAN).

A ciclovia que não estava ali

Desde 2006, quando foi inaugurado o Shopping Iguatemi, que recortou cinco vezes a ciclovia da Av. Beira-Mar Norte, com a instalação de semáforos para ciclistas que não permitem o pedalar contínuo, tamanha a preferência ofertada aos automóveis, há dinheiro para a construção de ciclovia na Av. Madre Benvenuta. São R$2 milhões destinados pelo shopping por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

Após o shopping ter contratado uma consultoria que afirmou ser possível fazer “ciclovia” na região com apenas R$90 mil, algo completamente fora dos padrões nacionais e da própria legislação municipal, houve contestação de dois dos projetos de ciclovia, planejados pelo Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF) e por urbanistas formados pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), sendo que o parecer de um professor da mesma instituição levou a uma intervenção do Ministério Público Federal (MPF), que paralisou a implementação de uma ciclovia que estavasendo projetada conjuntamente pelo IPUF e a Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo).

Nesse meio tempo, surgiram iniciativas isoladas, que visavam à construção de ciclovia bidirecional no canteiro central, sem a arborização, mas, para tanto, seria necessária redução das faixas de rolamento de automóveis em 40cm de cada lado da via. Faltou a vontade política em encontrar soluções para enfrentar realmente os problemas da mobilidade urbana.

Numa região que possui 5,9% dos deslocamentos feitos mediante bicicleta, o maior percentual dentre as ruas da cidade, segundo o estudo “Diagnóstico cicloviário de Florianópolis”, feito pelo IPUF, e um impasse pela construção de uma ciclovia que ligaria os principais campus universitários da cidade, a morte de José Lentz Neto poderia ter sido evitada.

Flash Mob

A mesma sexta-feira que tombou mais um ciclista, uniu dezenas de outros na Bicicletada. Embora estupefatos pela inesperada notícia, avisada durante a concentração, 65 ciclistas dirigiram-se ao local. Ocupando uma das faixas da Av. Madre Benvenuta, os ciclistas e suas bicicletas deitaram sobre o asfalto em uma homenagem. Em silêncio, chamaram a atenção dos motoristas que passavam para o fato de que a bicicleta é um veículo e, componente frágil do trânsito, merece ser respeitada.

Houve apoio generalizado pelos que passavam por ambos os lados da via, que não se registraram pontos de engarrafamento.

Ciclistas deitam sobre o asfatlo no local do acidente. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

A Bicicletada continuou seu percurso pela Rod. Admar Gonzaga (Itacorubi), R. Veras Linhares de Andrade, R. João Pio Duarte Silva (Córrego Grande), R. Delfino Conti, R. Lauro Linhares (Trindade), R. Delminda Silveira, R. Dr. Carlos Corrêa, Av. Gov. Irineu Bornhausen (Agronômica), Av. Prof. Henrique da Silva Fontes, R. Pres. Gama Rosa, R. Lauro Linhares e Av. Madre Benvenuta (Trindade), terminando o percurso pouco antes das 21h.

A alegria e a irreverência chamavam a atenção dos motoristas e dos transeuntes com gritos de “Pra não infartar, tem que pedalar” e, como desejos gerais, “Mais bicicletas! Menos Carros!” e “Cadê a Ciclovia!? Cadê a Ciclovia!?”

Fotos:
Fabiano Faga Pacheco
João Paulo Tudeschini

Fabiano Faga Pacheco

Saiba mais:

Ciclista morre após ser atropelado por moto no bairro Santa Mônica, em Florianópolis
Em 48 horas, dois ciclistas morreram no trânsito de Florianópolis

Veja também:

“Espero que a ghost bike em homenagem a ele tenha sido a última”, diz nora de ciclista atropelado em ciclofaixa em Canasvieiras – O desejo da família de Hector Galeano não se realizou.
Florianópolis foi a primeira cidade da América do Sul a ter duas bicicletas-fantasmas instaladas em apenas um final de semana – A ghost bike de Hector Cesar Galeano foi a segunda do final de semana.
Mais de duzentas pessoas comparecem à homenagem a ciclista morto na SC-401, neste sábado – Cobertura do Bicicleta na Rua sobre a bicicleta-fantasma na SC-401 em homenagem a Emílio Delfino Carvalho de Souza.
Florianópolis terá duas Bicicletadas neste fim de semana – Divulgação oficial da Mobilização por mais segurança e menos mortes na Ilha de Santa Catarina.
Dois exemplos de por que devem ser feitas ciclovias em vez de ciclofaixas nas rodovias – Nota sobre o acidente com Hector Cesar Galeano
Ciclistas mortos na Grande Florianópolis após a vigência da Lei Seca – Relação, infelizmente já desatualizada, dos ciclistas que morreram atropelados na região.
Bicicletas-fantasmas em Florianópolis para o mundo saber – As primeiras ghost bikes da Grande Florianópolis são divulgadas para o mundo. A cidade foi a terceira cidade brasileira a contar com essa homenagem.

Anúncios

Sobre bicicletanarua
Ciclista urbano paulistano residente em Florianópolis.

7 Responses to Bicicletada Floripa de agosto homenageia ciclista morto em local que deveria ter ciclovia há 6 anos

  1. Fernando da Silva Cortes says:

    Bom dia todos,meus sentimentos a familia,que Deus conforte a todos, mas temos de nos cuidar,pois o transito e muito violento,tem motorista e alguns motociclista que sao terriveis.
    Temos de evitar os mesmos,enquanto isto vamos nos cuidando com muita saude e paz,a todos.

  2. Pingback: (Vídeo) Prévia do documentário “Ghost Bikes” « Bicicleta na Rua

  3. Pingback: Milhares de pessoas apoiaram a passagem da Pedalada Pelada pelas ruas de Florianópolis | Bicicleta na Rua

  4. Pingback: Ciclovia na Av. Madre Benvenuta é discutida na Câmara de Vereadores de Florianópolis | Bicicleta na Rua

  5. Pingback: “O Shopping Iguatemi está matando ciclistas”, afirma vereador | Bicicleta na Rua

  6. Pingback: Público do Donna Fashion Iguatemi ovaciona Bicicletada | Bicicleta na Rua

  7. Pingback: Pedalada Pelada de Florianópolis tem protesto por mais segurança nas ruas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: