(Vídeo) SBT Meio Dia: Motorista atropela e mata ciclista na SC-401 na Capital

Acima, chamada para o jornal “SBT Meio Dia”, mostrando local em que ocorreu a colisão que vitimou o ciclista e jornalista Róger Bitencourt. Abaixo, conteúdo originalmente exibido no programa “SBT Meio Dia”, do SBT Santa Catarina, em 28 de dezembro de 2015.

Acima, entrevista com o inspetor da Polícia Rodoviária Federal Luiz Graziano. Uma pena o comentário final dele, ainda baseado numa lógica rodoviarista de que a via é lugar de passagem de automóveis e não o caminho de pessoas que a têm que cruzar para seguir ao seu destino.

Abaixo, entrevista com o presidente da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo), Daniel de Araújo Costa, dos ciclistas Rafaella Della Giustina e Ari Laercio Boehme, do capitão Davi Silveira dos Santos, da Polícia Militar de Santa Catarina, e do prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Júnior.

(Vídeo) Renato Igor: Morte de ciclista evidencia falta de fiscalização da lei seca

Conteúdo exibido originalmente no Bom Dia Santa Catarina, da RBS TV SC,  em 28 de dezembro de 2015. Assista aqui à reportagem no site.

Renato Igor comenta a morte do ciclista e jornalista Róger Bitencourt.

(Vídeo) Morte de ciclista na SC-401 causa indignação e comoção em Florianópolis

Conteúdo exibido originalmente no RBS Notícias, da RBS TV SC,  em 28 de dezembro de 2015. Assista aqui à reportagem no site.

(Vídeo) Bom Dia SC: Três ciclistas falecem no trânsito de SC

Conteúdo exibido originalmente no Bom Dia Santa Catarina, da RBS TV SC,  em 29 de dezembro de 2015. Assista aqui à reportagem no site.

(Vídeo) Jornal do Almoço aponta os problemas e perigos na SC-401 em Florianópolis

Conteúdo exibido originalmente no Jornal do Almoço, da RBS TV SC,  em 29 de dezembro de 2015. Assista aqui à reportagem no site.

Fica a nota triste pela postura omissa do Departamento de Infraestrutura (DEINFRA/SC). Ao afirmar que novas obras virão apenas com recursos do Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis (PLAMUS), o órgão ignora duas questões importantes.

A primeira é que o PLAMUS é um plano de pesquisa, diagnóstico e proposições, que foi encerrado em 5 de dezembro. Ele não prevê recursos. Em outras palavras, se o DEINFRA conta com esses recursos para a construção de calçadas e ciclovias, ele implicitamente indica que nada fará.

A segunda questão é que, já com o PLAMUS tendo sido apresentado diversas vezes, o próprio órgão usou recursos próprios para ampliar um trecho da própria SC-401, construindo uma nova faixa. Por ironia do destino, o trecho contemplado – sem a construção de infraestrutura para pedestres e ciclistas e sem respeito ao próprio PLAMUS – passa ao lado do cemitério Jardim da Paz, o mesmo em que Róger Bitencourt foi velado.

 

Obras sobre bicicleta serão lançadas na Feira do Livro de Florianópolis

A Feira do Livro de Florianópolis, que está em sua 30ª edição, está em seus últimos dias. Mas até esta terça-feira, 22 de setembro, dois livros com temática que envolvam o universo da bicicleta serão exibidos em lançamentos e sessões de autógrafos para quem estiver nas tendas da feira, no Largo da Alfândega.

A Bicicleta no Brasil 2015

A Bicicleta no Brasil - Feira do Livro

Fabiano Faga Pacheco tem 28 anos, em dez dos quais se viu envolvido com o mundo do ciclismo como parte intrínseca para melhoria da mobilidade urbana e da qualidade de vida das pessoas. É conselheiro da União de Ciclistas do Brasil e membro da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo), tendo sido secretário da Comissão Municipal de Mobilidade Urbana por Bicicleta (Pró-Bici). Com curso em nível de pós-graduação em Mobilidade Urbana Sustentável, tem participado de projetos de pesquisa, audiências e reuniões para retomada da cultura ciclística do ilhéu e colaborado com o site “Bicicleta na Rua”.

Em “A Bicicleta no Brasil 2015”, Fabiano Faga Pacheco escreve o capítulo referente à capital catarinense, apresentando um panorama histórico sobre o cicloativismo local e as políticas públicas voltadas ao uso da bicicleta no município, num texto com contornos de crônica emoldurado por gráficos das informações mais relevantes.

De Bike, o Sul da França é outra História

De bike, o sul nda França é outra história - Feira do Livro

Isabel Leal Caruso professora de Educação Física e Personal Trainer, formada na UDESC – CEFID em 2013. Viajou por 16 países no mundo e 14 ilhas no Caribe. Foi atleta de Judô e Triathlon obtendo títulos regionais e estaduais. No Jiujitsu, foi diversas vezes campeã estadual em SC e SP, Campeã Sul-Americana, Vice-Campeã Europeia e terceira colocada no campeonato Mundial. Hoje, praticante de Corrida de Aventura, pedala regularmente como forma de treino e também usa a bicicleta como meio de transporte em SP.

Na verdade, a viagem pelo sul da França começou em Barcelona, nordeste da Espanha, onde compraram as bicicletas e, de trem, partiram em direção à fronteira. Daí o casal iniciou a pedalada na cidade francesa de Narbonne, a poucos quilômetros do Mediterrâneo.

Ocupado há dois mil anos pelos romanos, o litoral ainda mostra fortalezas, muralhas, aquedutos e pontes espalhados ao longo de uma paisagem de vinhedos, plantações de oliveiras, vilas e pequenas aldeias medievais. Como além de praticante de corridas de aventura Isabel trabalha como personal trainer, ela conta que se surpreendeu com a geografia suave, que permite a prática do ciclismo e viagens a pessoas comuns, sem grande preparação física.

Além das numerosas ciclovias e da segurança, mesmo quando tiveram que pedalar em rodovias comuns, eles contataram, por meio de aplicativos da internet, inúmeros anfitriões franceses que os hospedaram gratuitamente. Pois foi nessas ocasiões que eles conheceram ciclistas que realizaram grandes viagens, seja do Alasca à Bolívia, como através da Cordilheira dos Andes e também na Austrália, Tailândia e Camboja, além de na maior parte da Europa. No Brasil, Isabel entrevistou importantes membros de associações de ciclistas urbanos que lutam pela divulgação e pela segurança desse meio de transporte e lazer em São Paulo, Balneário Camboriú, Curitiba e Florianópolis.

Massas Críticas catarinenses – outubro de 2015

Véspera de Dia das Bruxas e os 13 anos da Bicicletada Floripa parecem não terem sido suficientes para uma mudança radical.

Apenas soluções paliativas são tomadas e, enquanto isso, Gabriéis tombam no asfalto cinzento. Mais significativo ainda foi o fato de Gabriel ter participado do Dia Mundial Sem Carro apenas duas semanas antes de seu tombo. Quantos outros de nós teremos que tombar antes de a segurança virar prioridade?

Só em Florianópolis, Gabriel foi o décimo a ser transmutado numa bicicleta branca, que hoje marca a paisagem da Via Expressa Sul. Enquanto isso, as ações são poucas – e as conversas para as soluções permanentes seguem seguindo.

Florianópolis cumpriu parcialmente a exigência de um Termo de Ajustamento de Conduta e, após 14 anos de obrigação perante a lei, contempla seus terminais com paraciclos. Inseguros ainda, mas paraciclos. Além disso, vai pintar e florear as ciclovias que não foram (re)pintadas ou devidamente ajustadas. Os diálogos sem fim se arrastam e agora abrangem o importante Plano Setorial de Mobilidade, já atrasado. E as ações se arrastam. R. Ver. Osni Ortiga, no Porto da Lagoa da Conceição, que começou há 3 anos, ainda não tem previsão concreta para seus últimos porcos 200 metros. A Av. Gov. Ivo Silveira, do Estreito a Capoeiras, ainda não vê sinal de ciclovia.

E assim vamos indo pra distante de Pasárgada – uma terra de sonhos!

O efeito colateral é único: a permanência das Massas Críticas/Bicicletadas em cidades catarinenses.

Enquanto as inações continuarem a existir, as Bicicletadas irão existir.

Confira onde ocorrerão as Massas Críticas catarinenses de vésperas de Dia das Bruxas (e Dia do Saci)!

Brusque

Brusque 2015-10-30

Florianópolis

:: Confirme sua presença pelo Facebook!

Florianopolis 2015-10-30Arte: Rafael Lapa Valgas

Após a Bicicletada, haverá o 2° AlleyCat Floripa, como primeiro evento da edição florianopolitana das Fixolimpíadas!

Florianopolis 2015-10-30 Alleycat Fixolimpiadas

Joinville

Joinville 2015-10-30

Gabriel

Gabriel era um sujeito comum, tanto quanto eu e você. Dava aulas de Química no Instituto Federal de Santa Catarina, em Florianópolis. Gostava de pedalar pela cidade. Tinha uma esposa, irmãos, filhos e amigos. Gabriel era um sujeito comum. Era. Na última segunda-feira, 5 de outubro, Gabriel faleceu, fazendo uma das coisas das quais mais gostava: andar de bicicleta.

Mol, como era chamado por seus alunos, tinha uma química incrível. Sobre duas rodas, formava uma ligação – não covalente – que o fazia brilhar. E a luz de sua lanterna piscava nos seus pedais por Florianópolis.

Zeloso, participara ativamente do dia mais importante para o cicloativismo nacional e internacional. Vinte e dois de Setembro, o Dia Mundial Sem Carro, contou com sua presença e com a de sua bicicleta no Pedal Unificado. Dia… sem… carro. Parece impossível para alguns imaginar essa utopia que era a regra há século atrás, quando as pessoas ainda paravam para conversar nas ruas. Uma invenção tecnológica que pode salvar vidas – e também tirá-las.

No dia 5, estava marcado mais um passeio do Pedal do Della, do qual Gabriel era freqüentador. O rumo: Santo Antônio de Lisboa. Mas naquela noite, o seu desejo era outro. Em vez do norte, foi ao sul, em direção ao Campeche. Quase todo o trajeto de sua residência, no Saco dos Limões, até a praia é feito em ciclovias. Ciclovias unidas por pontos de teletransporte, como tem sido hábito dos governos municipal e estadual, que não têm absolutamente nenhum cruzamento entre ciclovias distintas corretamente executado. NENHUM.

Quando já retornava para sua casa, Gabriel teve que sair da ciclovia. A segurança despediu-se de Gabriel e seguiu o rumo do centro pela ciclovia enquanto ele dela saía para encontrar a sua família. O horário era 21h40.

O reencontro familiar não aconteceu. Não foi possível de ser realizado em vida. Na pista sentido sul da Via Expressa Sul uma colisão atingiu em cheio, não possibilitando a menor reação. Quase exatos sete anos depois de Esaú, outro grupo de ciclistas da Grande Florianópolis também perdia um de seus membros devido a uma motocicleta.

Na manhã do sábado 11, as cantorias da Igreja Presbiteriana Betânia, em frente à sua casa, aquietavam as almas de quem por ele sofria. Nos céus, Esaú aguardava a chegada do novo companheiro de pedaladas celestiais.

Nesta terça-feira 13, a décima bicicleta-fantasma surgirá na paisagem de Florianópolis.

:: Confirme sua presença pelo Facebook

Gabriel Seroa da MotaGabriel Serôa da Mota
∗ 25/07/1954   † 05/10/2015

Charge – Desisto!

charge Mendes ND 2015-09-30 Desisto

A charge acima foi publicada no Jornal Notícias do Dia, edição da Grande Florianópolis, no dia 30 de setembro de 2015. A autoria dela é de Luiz Mendes.

Veja as últimas charges de Mendes neste site:charge - Mendes ND 2011-09-22 DMSC

Charge – Carro vs Lar

Charge – Semana do Trânsito

Charge – Lei Seca no Carnaval

Charge – Dia Mundial Sem Carro

Charge – Semana Mundial Sem Carros

Charge – A Ilha tá afundando…

Massas Críticas Catarinenses – setembro de 2015

Setembro é o mês da mobilidade. Mas é também o mês da primavera a desabrochar.

E em setembro desabrochou no coração dos ciclistas o sentimento contido. Aquele sentimento de que ele pode fazer algo mais.

Setembro não teve ação por parte do poder público, em uma incrível demonstração de inação que o persegue sem sair do lugar. Quem tem o poder parece não ter a vontade. E quem tem vontade não tem o poder.

Projetos simples e eficientes, como o Bicicleta na Escola, estamparam comoventes manchetes.

Projetos de estado, aqueles que ultrapassam governos, entretanto, simplesmente caminharam em marcha lente. O do “bike rack” resolveu dar seguimento sem a Procuradoria da Câmara chamar os ciclistas, apesar de numerosas tentativas de reunião. A lei dos 20% do Fundo de Trânsito para o sistema cicloviário ainda não deu entrada na casa legislativa. Perdeu o prefeito a última grande oportunidade de fazer média com os ciclistas em um dia especial.

Dia 22 de setembro foi o Dia Mundial Sem Carro. Mas a Semana Municipal da Bicicleta começou bem antes, no dia 17. E os ciclistas logo tomaram conta de uma ampla gama de atividades de rua e de auditório. Teve lançamento de livro, Desafio Intermodal, Pedal Unificado, Pedala Rio Vermelho, festa – e isso que a semana ainda não acabou! A Bicicletada e o Pedal da Saúde completarão as últimas atividades no mês mais ciclístico do ano.

E se as pedivelas não movimentaram os pensamentos dos dirigentes, os músculos dos ciclistas seguem incansáveis. Mas para ajudar a cidade a ir para frente, sempre vale uma forcinha: são 3 os abaixo-assinados que hoje correm por Florianópolis, pedindo por melhorias ciclísticas.

Se a ‘pressão’ é grande, há quem desande. Enquanto uma mídia local se deu mal – por criticar o cicloativismo mentindo para os seus leitores -, a mídia oficial optou por falar, apesar de não muito agir. A prefeitura optou por recontar as novidades, embora a leitura valha pela boa causa e pelos dados sistematizados.

Em nível estadual, uma boa nova: passou a tramitar o projeto do Sistema Cicloviário Catarinense!

Outubro promete acalentar ainda mais o coração dos ciclistas catarinenses, fazendo-os mover ainda mais em busca de um futuro mais ciclável, mais humano.

Enquanto ele não chega, confira as cidades onde haverá Bicicletada/Massa Crítica:

Brusque

Brusque 2015-09-25

Florianópolis

:: Confirme sua presença pelo Facebook!

Florianopolis 2015-09-25Arte: Larissa Dalpaz

Joinville

Joinville geral horiz

(Vídeo) Como funciona o bike rack em ônibus

Muitas pessoas têm dúvidas sobre a facilidade em se transportar a bicicleta num ônibus municipal. Várias pessoas acreditam que o tempo para se colocar a bicicleta é exageradamente demorado, que é de complicado manuseio ou que pode danificar a bicicleta.

No vídeo abaixo, feito em parceria com o Go Maine, é mostrado em etapas todo o procedimento, desmistificando as dificuldades e sanando várias dúvidas para quem ainda não conhece o funcionamento de um “bike rack“.

Veja também:

(Vídeo) Bike rack em ônibus em Florianópolis

(Vídeo) Bike rack em ônibus em Florianópolis

Programa exibido primeiramente pela TV Câmara Florianópolis em 25 de julho de 2015.

A repórter Amanda Santos entrevista o vereador Professor Felipe (PDT) e o conselheiro da União de Ciclistas do Brasil (UCB) Fabiano Faga Pacheco. O vereador foi proponente do Projeto de Lei Complementar 1415/2015, que trata da inclusão do “bike rack” como parte do sistema cicloviário do município.

Após a entrevista, em diálogos com integrantes da UCB, do Bike Anjo Floripa e da ViaCiclo, o projeto foi alterado para poder abranger todas as modalidades de transporte coletivo que forem ser implantadas ou licitadas.

Preparativos para a gravação do "Impressões", em 16 de julho. Foto: Luis Antônio Peters/ViaCiclo.

Preparativos para a gravação do “Impressões”, em 16 de julho. Foto: Luis Antônio Peters / ViaCiclo.

 

Veja também:

(Vídeo) Bicicletas-fantasmas em Florianópolis
(Vídeo) Conversas Cruzadas: Ciclovias em Florianópolis
(Vídeo) Debatendo mobilidade urbana em Florianópolis

 

Bicicletaria Garupa completa 1 ano em Florianópolis

A bicicletaria Garupa, no universitário bairro da Trindade, em Florianópolis, completará neste dia 20, em plena Semana da Bicicleta, 1 ano de existência. E, para marcar a data, os donos abrirão seu espaço na Rua Francisco Goulart 42, loja 6, para uma comemoração, que promete contar com surpresas especiais. A festa terá início às 15h.

:: Confirme sua presença pelo Facebook!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Rio Vermelho terá pedalada em prol de ciclovia

Um dos bairros com maior percentual de uso da bicicleta por mulheres e crianças em Florianópolis, o Rio Vermelho terá sua primeira pedalada visando a sensibilizar a gestão pública para a necessidade de calçadas adequadas e ciclovias em toda a Rodovia João Gualberto Soares e Rua Cândido Pereira dos Anjos (Travessão).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Arte: Angelo Silveira

A pedalada começará às 15h a partir da Casa de Cultura do Rio Vermelho, na Rua Luiz Duarte Soares. O trajeto passará pelo Travessão, no local em que foi instalada uma bicicleta-fantasma (ghost bike) em homenagem ao garoto João Victor, atropelado por um motorista embriagado em março do ano passado.

A pedalada faz parte das atividades da Semana Nacional do Trânsito e da Semana Municipal da Bicicleta. O percurso terá 7km de extensão, a serem percorridos em 1h, em ritmo leve.

:: Confirme sua presença pelo Facebook!

O desejo da comunidade por ciclovias já rendeu dois abaixo-assinados. Atualmente, uma ciclovia com pavimentação em paver foi finalizada após 6 anos de construção na parte norte do bairro. Além de ser inacessível a quem se utiliza de skate, patins e patinetes, questões de ego político têm dificultado a implantação de estrutura cicloviária ao longo de todo o bairro.

Livro “A Bicicleta no Brasil 2015” será lançado em Florianópolis

Após ser divulgado no Fórum Mundial da Bicicleta, em Medellín, Colômbia, em fevereiro, e de ter lançamento simultâneo em 9 capitais brasileiras, em maio, finalmente chega a Florianópolis o livro “A Bicicleta no Brasil 2015”.

Livro Fpolis 2015 oficial

O lançamento em Florianópolis do livro ocorrerá nesta quinta-feira, 17 de setembro, às 20hs na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (ALESC). O livro conta as atuais situações de mobilidade urbana e uso da bicicleta em 10 capitais de estados brasileiros.

A obra foi feita por uma parceria entre União de Ciclistas no Brasil (UCB), da qual a ViaCiclo é uma das fundadoras, Aliança Bike, Bicicleta para Todos e Bike Anjo e teve patrocínio do Itaú. Os textos e pesquisas foram escritas por integrantes de 10 organizações ligadas ao uso da bicicleta no Brasil.

Encarregado de descrever sobre a situação de Florianópolis, Fabiano Faga Pacheco, integrante da ViaCiclo, apresentou um panorama histórico sobre o cicloativismo na capital catarinense, além de abranger a implantação de políticas públicas voltadas  à bicicleta no município, mostrando dados sobre deslocamento e infraestrutura cicloviária, num texto com contornos de crônica emoldurado por gráficos das informações mais relevantes.

Quem estiver interessado, poderá adquirir o livro na ALESC. Ele será comercializado a R$ 20,00 para associados da ViaCiclo e a R$25,00 para não associados. Quem quiser se tornar associado contribuinte da ViaCiclo e efetuar pagamento da anuidade (R$60,00) na hora, receberá um exemplar do livro.

%d blogueiros gostam disto: