Catarinense é eleito presidente da União de Ciclistas do Brasil

Após duas sessões e quase 4 horas de duração, a União de Ciclistas do Brasil tem um novo presidente. A eleição aconteceu no auditório do Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, como parte da programação do 3° Fórum Mundial da Bicicleta para este sábado, 15 de fevereiro.

A partir de agora, André Geraldo Soares, da Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú e Camboriú (ACBC) toma posse como novo representante do órgão, constituído por ciclistas e associações ciclísticas de todo o país. Yuriê Baptista César, do Clube de Cicloturismo do Brasil, com sede em Cristais Paulistas (SP), ficou com o cargo de diretor financeiro, enquanto Rodolfo Brandão de Proença Jaruga, da Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu (CicloIguaçu), com sede em Curitiba, é o novo diretor administrativo da instituição.

Foram eleitos também os membros do Conselho Fiscal da UCB. São eles: Fabiano Faga Pacheco, da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo), Hamilton Takeda, do Instituto CicloBR de Fomento à Mobilidade Sustentável, e Giovani Rafael Seibel, da Associação Blumenauense Pró-Ciclovias (ABC Ciclovias).

Das 18 entidades com direito a voto, 11 se fizeram presente no Fórum Mundial da Bicicleta. Além das seis já citadas, estiveram presentes a Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (CicloCidade), de São Paulo, a Rodas da Paz, de Brasília, a Transporte Ativo, do Rio de Janeiro, a Associação dos Ciclistas Urbanos de Fortaleza (Ciclovida), da capital cearense, e a Associação dos Ciclistas urbanos de Belo Horizonte (BH em Ciclo), da capital mineira. A direção da União de Ciclistas do Brasil foi eleira com 10 votos a favor e uma abstenção. A BH em Ciclo não se julgava capaz de emitir uma opinião durante o Fórum sem fazer consulta ao coletivo de ciclistas mineiros.

Apesar desses cargos, necessários para manter a UCB como entidade apta a dialogar diretamente do Poder Público e a cobrar desses ações em prol dos usuários da magrela, pessoas de qualquer outra associação afiliada à UCB podem desenvolver trabalhos junto a ela.

Para o Brasil, espera-se um incentivo à formação de entidades de ciclistas em municípios e a articulação para a defesa dos direitos dos ciclistas em nível federal. Talvez agora também, Santa Catarina seja ouvida e possa ser um exemplo a ser irradiado para o resto do Brasil de comunicação, proposição e articulação efetiva entre as sociedades civis, representantes de extratos da sociedade, e aqueles que possam colaborar para sanar deficiências históricas que os ciclistas enfrentam no Estado.

Atualizado em 18 de fevereiro de 2013, às 10h28.

Artigo: Integração ciclística entre Balneário Camboriú e Camboriú

As cidades de Camboriú e Balneário Camboriú são marcadas pelo fenômeno da conurbação, entendido como a fusão de duas ou mais áreas urbanas, ou seja, onde os limites político-administrativos entre as cidades não são bem definidos, constituindo uma única mancha urbana.

A conurbação potencializa outro fenômeno urbano, conhecido como “cidade dormitório” – quando uma parte considerável da população residente em uma cidade realiza suas atividades cotidianas, principalmente o trabalho, em outra cidade. No processo de urbanização do Brasil, esse fenômeno foi reforçado pela especulação imobiliária, realidade esta que caracteriza Balneário Camboriú e que reflete diretamente na cidade vizinha.

Quando estes fenômenos ocorrem, cabe aos municípios membros constituírem políticas públicas que solucionem problemas comuns, como é o caso da mobilidade. A mobilidade urbana é um importante atributo da cidade, é o resultado da relação entre o movimento das pessoas e de bens e a facilidade de acesso à cidade. Ela deve assegurar as necessidades e os desejos das pessoas, quer de forma individual ou coletiva, quer de forma motorizada ou não-motorizada. Dessa forma, entendemos que no âmbito do planejamento urbano ambas as cidades devem ser tratadas como uma, na perspectiva de construir uma planejamento integrado.

O deslocamento da população das cidades de Camboriú e Balneário Camboriú dá-se tanto de forma motorizada quanto de forma não motorizada, sendo que esta última carece de atenção por parte do agente público. Devido à proximidade entre as cidades em questão, o uso da bicicleta como forma de deslocamento é comum, porém a infraestrutura existente é bastante precária. Um indicador desta deficiência é, segundo a ACBC, a pequena extensão das vias destinadas exclusivamente aos ciclistas. Balneário Camboriú possui 16.770 m (15,51 cm/habitante) e Camboriú menos ainda, apenas 2.410 m (3,87 cm/habitante). No que toca à questão da conurbação, é mais relevante ainda constatar que não existe uma ligação cicloviária contínua entre as duas cidades, tornando o deslocamento entre uma e outra uma ação perigosa.

Os benefícios do uso da bicicleta como meio transporte são inúmeros, tanto no âmbito coletivo quanto individual, sendo possível citar dentre eles: diminuição da poluição do ar; redução dos gastos públicos com construção e manutenção do sistema viário; redução dos congestionamentos e da perda de tempo no trânsito; ampliação do acesso aos espaços públicos; diminuição da quantidade de acidentes; promoção da saúde; favorecimento da autonomia individual de deslocamento; contribuição para a economia da renda familiar.

Além da bicicleta ser utilizada como meio de transporte, ela também é um recurso e uma prática de turismo. Em 2009 foi implantado nos municípios da foz do Rio Itajaí o Circuito de Cicloturismo Costa Verde & Mar. Passando pelo território de 11 cidades, inclusive Camboriú e Balneário Camboriú, é uma iniciativa do Citmar – Consórcio Intermunicipal de Turismo Costa Verde e Mar e da Amfri – Associação dos Municípios da Foz do Rio Itajaí, sendo atualmente administrado pela ACBC – Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú e Camboriú.

O cicloturismo é uma prática turística que usa a bicicleta não somente como um meio de transporte, mas como uma companheira de viagem e que permite o acesso a lugares que não são acessíveis aos demais meios de transporte. Está associada ao convívio ao ar livre, ao respeito ambiental e às paisagens naturais. Uma das condições para o êxito do cicloturismo é a segurança para seus usuários, o que só pode ser garantido com políticas públicas que ofereçam infraestrutura adequada, programas de educação para o trânsito e interferência fiscalizatória por parte dos agentes de trânsito.

A bicicleta também faz interface com o turismo de modo indireto, pela constatação de que grande parte dos trabalhadores de Camboriú e de Balneário Camboriú estão envolvidos com este ramo de atividade. Não obstante a importância do turismo para a economia local, a sua mão de obra em geral é precarizada, sazonal e com condições contratuais inseguras – em suma, a economia da renda familiar é uma questão importante para as famílias que trabalham com o turismo, ressaltando a importância da bicicleta, veículo amplamente reconhecido de baixo custo de aquisição, operação e manutenção.

Apesar de que uma das principais diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana, Lei Federal 12.587/2012, seja priorizar os modos de transportes não motorizados sobre os motorizados e dos serviços de transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado, não é essa a realidade que se observa no tratamento das gestões públicas.

Sabemos que leis desacompanhadas de programas locais são insuficientes para mudar um modelo de cidade construído historicamente. Para mudar o paradigma de mobilidade urbana é preciso que as gestões públicas assumam medidas permanentes de incentivo ao uso da bicicleta nas cidades. Nesse sentido, o Seminário Intermunicipal Camboriú e Balneário Camboriú de Mobilidade Ciclística apresenta-se como um instrumento fundamental para a construção de políticas públicas voltadas a mobilidade ciclística, ao fomentar o debate entre os três importantes setores da sociedade: poder público, sociedade civil organizada e a academia.

Por Roberta Raquele André Geraldo Soares**

* Roberta Raquel é professora de Geografia e coordenadora de Extensão do Instituto Federal Catarinense – Campus Camboriú
** André Geraldo Soares é coordenador de Mobilidade da Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú e Camboriú – ACBC.

Saiba mais:

Seminário de Mobilidade Ciclística agitará Camboriú e Balneário

Programação do Seminário de Mobilidade Ciclística de Camboriú e Balneário

Livro “Brasil Não Motorizado” será lançado em Santa Catarina

Programação do Seminário de Mobilidade Ciclística de Camboriú e Balneário

Inscrições gratuitas em www.acbc.com.br/seminario

Folder SICBCMC - Inteiro - Corel - Md

Saiba mais…

Seminário de Mobilidade Ciclística agitará Camboriú e Balneário

Balneario Camboriu 2013-11-07.08

Inscrições gratuitas em www.acbc.com.br/seminario

Continue lendo…

Pedais dominicais – 28/07

Mesmo com o frio, domingo promete agitar as pessoas que curtem pedalar ou que querem realizar alguma atividade física. Pessoas de variados gostos ciclísticos terão vez.

Em Florianópolis, teremos a inauguração da Ciclofaixa de Domingo, a partir das 8h até às 17h, em Coqueiros, na porção continental.

Às 9h30, um passeio ciclístico em homenagem aos trabalhadores da indústria sairá do Estreito. E logo após, tem início a Escola Bike Anjo para quem quer aprender a pedalar e a como se comportar no trânsito das cidades. Maiores informações aqui.

Já quem quiser algo um pouco mais puxado pode optar pelo Pedalzão de Domingo que os Amigos da Bike SC farão. Com saída às 7h45 do Alemão Bike Shop, na Avenida Elza Lucchi, na Palhoça, e ponto de encontro na loja do Kobrasol meia hora depois, os ciclistas estão convidados para um pedalada com destino a Governador Celso Ramos.

Balneário Camboriú

Mais uma vez ciclistas de Balneário Camboriú vão às ruas para pedir a implementação do plano cicloviário do município, em particular a ciclovia na Avenida Atlântica, uma das principais da cidade. Eles irão se encontrar às 10h, na Barra Sul e seguirão rumo à Barra Norte, retornando na altura da 2101.

:: Confirme sua presença pelo Facebook

Os primeiros 50 que chegarem ganharão como brinde uma plaquinha como as das fotos abaixo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Entendam a problemática que envolve Balneário Camboriú nas palavras do presidentes da Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú e Camboriú (ACBCC):

logo - ACBC&CCaros ciclistas e simpatizantes da bicicleta de Balneário Camboriú e região,

Está chegando a hora para que, dentro do processo democrático deste país, possamos demonstrar toda a nossa insatisfação com relação a execução do projeto do plano cicloviário de Balneário Camboriú. Projeto este que já está no papel desde 2010 e que muito vagarosamente vem sendo executado, não levando em consideração os verdadeiros objetivos de uma ciclovia. Dentre estes objetivos está a contribuição direta para a melhora da mobilidade urbana de uma cidade. Para que isto aconteça, precisamos pedalar por ciclovias seguras, que é outro objetivo desta, e o que vemos hoje em Balneário Camboriú é a colocação de uma faixa vermelha no chão e a ela é dado o falso conceito de ”ciclovia”.

Não há uma orientação, tanto para os ciclistas como para os motoristas, de que, ao trafegarem por uma via onde existem só estas faixas pintadas de vermelho, se deve ter o máximo de atenção por uma obra inacabada. Obra esta que, ao ser liberada para o uso e estar inacabada, gera a maior insegurança para todos que trafegam por ali.

Por não estar sinalizada corretamente há uma tendência da invasão dos automóveis para cima desta. Consequentemente pode vir a atingir um ciclista que se acha seguro por estar pedalando numa falsa ciclovia. Nós da ACBC temos como objetivo fazer com que, ao executarem as obras de uma ciclovia, esta seja implementada com toda a sua infraestrutura completa, para que o verdadeiro objetivo da ciclovia seja sempre o de gerar a devida segurança aos ciclistas que por ela trafeguem, não dando margem para que os acidentes aconteçam.

Por isto convidamos a todos para que participem do ”EVENTO PRÓ-CICLOVIAS” que acontecerá no domingo dia 28/07 as 10h da manhã, com saída da Barra Sul.

Atenciosamente

Henrique S. Wendhausen
Presidente – ACBC

Lages

A cidade da serra catarinense terá a segunda edição do passeio ciclístico da Estação Bike, que conta com apoio da Bicicletada Lages. Haverá sorteio de bicicletas e a idéia da secretaria de Saúde do município é mostrar os benefícios que o pedalar pode propocionar.

Lages 2013-07-28

Desafio Intermodal em Florianópolis

Será realizado nesta quinta-feira, 15 de setembro, mais uma edição do Desafio Intermodal de Florianópolis. Mas, afinal, o que é esse desafio?

É o desafio do trânsito! Na hora do rush, em que mais pessoas estão às ruas, vai se aferir, com bases em alguns dados obtidos ao final do desafio o potencial de sustentabilidade de cada meio de transporte participante. O desafio, apesar de tudo, não tem um cunho científico, mas é interessante para mostrar alguns retratos, situações e contradições da situação enfrentada pelos usuários de cada modal no trânsito da capital catarinense.

A Desafio Intermodal é realizado na capital, no mínimo, desde 2007 e antecede as atividades da Semana da Mobilidade Sustentável e da Semana da Bicicleta. Este ano, já foi realizado o desafio no Rio de Janeiro e nos próximos dias devem ocorrer nos municípios de Recife, São Paulo, Brasília, Aracaju, Salvador, São José dos Campos, Maceió, Curitiba, Maringá, Belo Horizonte, Uberlândia, Balneário Camboriú, Porto Alegre, Belém e Natal.

São Paulo, Balneário Camboriú e Florianópolis já combinaram a realização de seus Desafios Intermodais para esta quinta-feira, dia 15 de setembro. A capital paulista contará com 18 categorias de intermodais. A Associação de Ciclistas de Balneário Camboriú e Camboriú irá, pelo segundo ano seguido, realizar o Desafio Intermodal em Balneário Camboriú.

Em Florianópolis, teremos todas as categorias do ano anterior mais a estréia de patins. De maneira geral, irão dois conjuntos de pessoas com modais diferentes que sairão da Concha Acústica da Universidade Federal de Santa Catarina cerca de 18h15min para, cada um com seu modal, chegarem ao ponto de controle, no Largo da Alfândega, no Centro. Um conjunto de pessoas fará esse trajeto pelo caminho norte e outro pelo sul. As leis de trânsito devem ser respeitadas. Constam em cada grupo pessoas que farão o trajeto de ônibus, caminhando, correndo, de bicicleta, de motocicleta e de automóvel.

Entre os itens avaliados, estão o tempo de deslocamento, a distância e a velocidades médias de cada modal, o custo de cada deslocamento, a emissão de poluentes e a percepção sobre segurança, conforto e praticidade de cada meio de transporte.

Vinte pessoas estão confirmadas e escaladas para participar do Desafio Intermodal da cidade este ano. Entre elas, três figuras públicas ligadas à área dos transportes na capital.

A Desafio Intermodal desterrense deste ano é uma promoção Bicicleta na Rua, Bicicletada Floripa e ViaCiclo e conta com o apoio do grupo de pedal Duas Rodas MTB Floripa, Secretaria Municipal de Transportes, Mobilidade e Terminais, Pró-Bici, Movimento Passe Livre, Pedarilhos, Grupo de Estudos e Educação Ambiental/CCB/UFSC.

Se alguém ainda tem interesse em participar, pode entrar em contato aqui pelo blogue mesmo.

[Atualização em 16 de setembro, à 1h45min: o Desafio Intermodal de São Paulo vai ocorrer dia 20/09].

Saiba mais: 

Mulher de bicicleta com cestinha vence Desafio Intermodal em Florianópolis 

Semana da Mobilidade em Balneário Camboriú (SC)

Dia Mundial Sem Carros
Promova esta idéia!

Programação da Semana da Mobilidade e Dia Mundial Sem Carro (22/set)

A Associação de Ciclismo de Balneário Camboriú e Camboriú, com objetivo de valorizar a semana da mobilidade, chamando a atenção para o uso da bicicleta como alternativa de mobilidade urbana, bem estar e saúde, faz parceria com o Centro Acadêmico (CA) do curso de Engenharia Ambiental da Univali, para atividades junto à comunidade.

Dia 18/09 – sábado

08:00 ás 12:30 horas

ACBC  e Univali – Curso  Eng. Ambiental

Projeto Limpando o Mundo

LIMPEZA DA PRAIA DE LARANJEIRAS PELOS CICLISTAS E COMUNIDADE

Saída às 8 horas

Ciclo Sport- 4ª av. de bicicleta e de carro.

Luvas e sacos de lixo serão fornecidos.

Usar CAMISETA ACBC (facultativo)

DIA 20/09 – Segunda-feira

18 horas – DESAFIO INTERMODAL

Local- Av, Brasil – esq 1901,

Os veículos participantes intermodal:

Duas bicicletas, uma moto, um carro, ônibus coletivo, um correndo e um andando.

Sairão juntos e cronometrando quanto tempo que levarão para fazer o percurso da largada até portão Univali – 5º Avenida.

O percurso definida será feito pelas ruas que cada condutor decidir, mas respeitando todos os semáforos, travessia de pedestres.

Parceria CA Eng. Ambiental – Univali

DIA 20/09  -Segunda- feira

19:30 horas

Auditório da Univali – Circuito Tela Verde (CTV)

Apresentação filme: Sociedade do Automóvel – 40 mim

Parceria – Univali – CA Eng. Ambiental e Administração

Dia 21/09 – Terça-feira

19:30 horas

Pedal até a cidade de Camboriú, por ciclistas Ciclo Sport e apresentação do filme: “Sociedade do Automóvel”, junto à Prefeitura de Camboriú

Parceira Univali / Ciclo Sport / Prefeitura de Camboriú

Apresentação do filme: “Sociedade do Automóvel” – 40 mim  – UNIVALI – C.T.V.

Lanchonete/Restaurante Terral – Bloco 20

22/09 – Quarta feira

22 set – Dia mundial Sem Carro

Horas : 19h30

LOCAL : PRAÇA TAMANDARÉ

Passeio para toda a comunidade

DIA MUNDIAL SEM CARRO.

Pedal 12 km pela av. Atlântica e Brasil.

Parceria Univali e comunidade

Dia 21 e 22/09 – terça e quarta-feiras

Av. do Estado – em frente ao Banco Brasil

18 horas – monitoramento da qualidade do Ar – CO, SO², NO²-, hora de movimento mais intenso e, de madrugada novamente (hora de trânsito fraco)

Univali – curso Eng. Ambiental

Acadêmicos:

Fábio Vaccaro de Carvalho

Lucas Martins de Oliveira

Renan  S.

26/09 – DOMINGO

Passeio da ACBC E ABERTURA DA PRIMAVERA

10 horas

Passeio tradicional para toda a comunidade.

Av. Atlântica e Brasil, com comemoração a chegada da Primavera.

Distribuição de plantas!

Parceria:

CA Eng. Ambiental – Univali

%d blogueiros gostam disto: