Conexão Montréal #2 – Rolê de Bixi

Logo na chegada ao Canadá, a gente é meio que obrigado a fazer as coisas tradicionais relacionadas a Québec e ao país. Coisa de turista, mas muito legal mesmo assim. Então, minha amiga, uma brasileira que vive aqui há dois anos, me convidou para irmos de bixi no Parc e depois comermos uma “poutine” tradicional do Québec. Já estava há duas semanas sem pedalar então já alimPonto de chegada e partidaentava uma certa fissura. A bixi é um sistema de compartilhamento de bicicletas públicas e existe no mundo inteiro. Esta concepção foi uma ideia de diminuir o uso de automóveis na cidade, melhorando a qualidade de vida e incentivando a prática corporal (prometo explicar isso melhor num outro post). Desde 2008, o serviço é oferecido e sustentado pela energia solar e tem sua comunicação por rede de internet sem fio.

Esta amiga que já vive em Montréal há um tempo é super animada para dar um pedal. Mas não a imagino nunca trocando um pneu e sujando a mão de graxa, porque ela é uma fina! As bixis são perfeitas para ela. Estão espalhadas em pequenos terminais por toda a cidade. No caso dela e de tantas outras pessoas que  alugam anualmente ou por toda a temporada quente, até o inverno, é muito prático e fácil, pois você ganha um cartão específico para retirá-la. A partir de dezembro, o serviço das bixis e todas ciclofaixas e ciclovias são fechadas por causa da neve e viram estacionamentos de carros.

O preço como vocês podem ver é legal. Por um dia é um pouco caro, CAD $ 7, ou ainda dá para usar por 3 dias a 15 dólares canadenses. O melhor negócio é fazer o plano de $82,50 por ano ou $37 por mês, isto é, somente entre a primavera e o outono. Bom, inserimos o cartão de crédito no guichê ao lado do bicicletário de bixis, para usar 24h o serviço, mas ficam retidos $250 do seu crédito durante 3 dias por garantia de perda ou roubo da bixi. Depois de terminada a transação, a máquina imprimiu um código que ao ser digitado na trava da bixi a libera.

BixisAntes de retirar a bicicleta de aluguel,  regulei seu banco na altura do meu osso do quadril e vi se os pneus estavam calibrados. Daí, foi só pedalar até o destino. Se a jornada for muito longa, temos que trocar de bixi pois o trânsito com ela só fica válido durante 45min, não foi o nosso caso. Pedalamos só por ciclovia do bairro Petite Italie até o Parc La Fontaine, 5km num caminho super seguro e que, mesmo com as paradas para as fotos, durou 30min. No caminho, uma pequena subidinha, mas as suas 3 velocidades (“vitesses”) deram conta do recado para a gente chegar sem transpirar.Aviso

A própria bixi é super educativa, pois é cheia de avisos, tais como, “Siga no sentido da circulação e mantenha à direita”; “Não esqueça: as calçadas são reservadas para os pedestres”. No Parc tinha um outro terminal de bixis e foi só prender a bixi de acordo com o aviso “Importante: No retorno, assegure-se que a luz verde se acenda depois de ter trancado a bicicleta no ponto de parada”. Todos estes avisos estão em inglês e francês, as duas línguas oficiais daqui. Existem rumores que o serviço das bixis aqui vai ser totalmente privado, pois agora é ainda uma parte pública. A verdade é que saiu daqui para o mundo e hoje está presente em várias cidades. Depois de todo o passeio, estava morrendo de fome e pronta para atacar, ops, quis dizer, abastecer!

%d blogueiros gostam disto: