Escola do Rio Tavares promoverá passeio ciclístico

A Escola Básica Municipal João Gonçalves Pinheiro, localizada na Rua Silvio Lopes de Araújo, no bairro Rio Tavares, em Florianópolis, irá realizar neste sábado, 8 de agosto, um passeio ciclístico pelas ruas principais da planície do Campeche. A concentração começará às 8h, com saída prevista para às 9h. Participam da organização, além do professor Wladson Dalfovo e a sua Turma 81, a empresa de cicloturismo Caminhos do Sertão, o Bike Anjo Floripa e o projeto Bicicleta na Escola.

A pedalada, aberta ao público, faz parte de um trabalho integrado de desenvolvimento educacional, político e ambiental dos alunos, sem deixar de buscar um apelo da comunidade e dos governantes para o incentivo ao uso da bicicleta como meio de transporte seguro, eficiente e não poluente.

:: Confirme sua presença pelo Facebook!

Florianopolis 2015-08-08 Rio Tavares

A planície do Campeche é um dos locais mais propícios ao pedalar de toda a Ilha de Santa Catarina. De formação sedimentar e com geomorfologia moldada pela erosão eólica, a região foi uma das primeiras bacias cicloviárias estudadas no país. Há quase uma década a geógrafa e hoje professora do Instituto Federal Catarinense (IFC), campus Camboriú Roberta Raquel propôs uma microrrede cicloviária abrangendo toda a região. Por todo o percurso pelo qual os alunos passarão deveriam haver ciclovias, de acordo com o Projeto Rotas Inteligentes, gestado desde 1997 pelo Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF).

As ciclofaixas que existem hoje, na Av. Pequeno Príncipe e no trecho da SC 405 na Fazenda do Rio Tavares, foram construídas entre 2008 e 2010 e receberam muito pouca manutenção. Até o começo deste mês, havia trechos inteiros dessas ciclofaixas recobertas por areia. Em 2012, a Av. Campeche foi revitalizada, sem, entretanto, implantação de estrutura cicloviária. A SC406, apesar de ter uma emenda orçamentária para se buscar recursos da União, não tem sequer projeto técnico-executivo em formulação.

O que as crianças de hoje querem é mostrar que não pretendem relegar a bicicleta às suas aventuras pueris. Almejam sensibilizar população e políticos para que mantenham a segurança de usar a bicicleta sem que os seus futuros sejam postos em risco.

Novas solicitações durante a “Prefeitura no Bairro”

No dia 1º de agosto de 2015, houve a 53ª edição da “Prefeitura no Bairro”. Assim como em janeiro e em julho de 2013, desta vez estive no Saco dos Limões para repassar aos representantes públicos uma coletânea das necessidades ciclísticas reclamadas ao longo do último mês.

Confira abaixo como foram as conversas:

Companhia Melhoramentos da Capital

A COMCAP é a responsável pelos serviços de limpeza urbana de Florianópolis. Na véspera do evento, a Bicicletada Floripa passou pelo Campeche e verificou que, em inúmeros locais, a ciclofaixa da Av. Pequeno Príncipe simplesmente fica tomada pela areia. Alguns trechos simplesmente estão impedaláveis para certos tipos de bicicleta.

O representante do órgão ainda brincou que era uma forma de se fazer trilha urbana antes de avisar que vai providenciar a limpeza e manutenção da ciclofaixa.

Areia domina pontos da ciclofaixa da Av. Pequeno Príncipe. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

Areia domina pontos da ciclofaixa da Av. Pequeno Príncipe. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

Ciclistas pedalam na areia na ciclofaixa do Campeche. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

Ciclistas pedalam na areia na ciclofaixa do Campeche. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

Secretaria de Obras

Fui atendido pelo secretário Rafael Hahne, com quem abrimos diálogo há alguns anos e que recentemente voltou a ocupar a secretaria de Obras. Lá abordamos questões cicloviárias referentes às vias R. Dante de Pata, Av. Gov. Ivo Silveira, Av. Pref. Waldemar Vieira e Av. Jorge Lacerda.

Em julho, a Prefeitura anunciou que estavam prontas as obras das Ruas Padre Rohr e Dante de Pata, ambas contando com ciclovias. Entretanto, fotos retiradas do local mostram que não há nenhuma pista ciclável nessa última via, localizada em Ingleses.

Vista da Rua Dante de Pata em 27 de julho de 2015. Foto: Gustavo Paulo.

Vista da Rua Dante de Pata em 27 de julho de 2015. Foto: Gustavo Paulo.

Fui informado de que a revitalização da rua foi desmembrada em duas partes. A primeira, que foi a concluída, tratou-se da repavimentação asfáltica da via. A ciclovia estaria incluída na segunda parte, que se trata das obras complementares. Infelizmente, não há previsão para estas serem iniciadas.

Quanto à Av. Gov. Ivo Silveira, tratei de uma questão mais técnica. Conversando com um arquiteto responsável pelo projeto da obra, tanto eu quanto o IPUF observamos que, com a construção de travessias elevadas nas vias ortogonais à Ivo Silveira, mantendo ciclovia e passeio em um mesmo nível nos cruzamentos, diversos problemas de desenho urbano seriam satisfeitos. Conversando com o Floripa Acessível no mesmo dia, foi-me relatado uma menor incidência de quedas, em especial por pessoas idosas, sem contar o aumento da acessibilidade para cadeirantes. Diferentemente do que a Prefeitura anunciara pelas redes sociais, entretanto, a Ivo Silveira não terá essas travessias elevadas nas ortogonais. O secretário e um engenheiro que lhe acompanhara apontaram que eles discutiram isso tecnicamente e verificaram dois “problemas”: (1) as faixas elevadas reduziriam a velocidade dos carros que fossem adentrá-las, aumentando congestionamentos; e (2) as faixas elevadas aumentariam o número de acidentes com ciclistas e pedestres, pois estes tenderiam a ser mais propensos a serem atropelados, por não perceberem que estão em cruzamentos elevados.

Achei estranho que a responsabilidade pela segurança de ciclistas e pedestres ficou exclusivamente com os entes mais frágeis do trânsito, enquanto a que imputa o dano ficou permitida uma maior velocidade.

A secretaria informou ainda que está aberta para mostrar projetos relativos às avenidas Pref. Waldemar Vieira e Jorge Lacerda, dentre outros. Por ora, estou no aguardo da ligação combinada.

Prefeito e secretário de Obras ouvem população no Saco dos Limões. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

Prefeito e secretário de Obras ouvem população no Saco dos Limões. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

Prefeitura Municipal

Foi por pouco que não deu, mas consegui ser recebido pelo prefeito Cesar Souza Júnior (PSD). Muita coisa a se falar em tempo tão diminuto. Primeiramente, demonstrei apoio à idéia da revitalização do bairro José Mendes de acordo com projeto do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF). Em seguida, demonstrei preocupação com a restrição de acesso ao órgão num momento em que justamente foi solicitado auxílio de ciclistas para georreferenciamento de ciclovias da cidade e para execução de obras de pintura e sinalização das pinturas das ciclofaixas que já existem. Afirmou-me que é ilegal barrar-me acesso ao órgão e demonstrou preocupação com o sumiço de toda a documentação da Pró-Bici.

Passamos a tergiversar sobre as obras da SC-403, em Ingleses. Demonstrei preocupação com a circulação de pedestres e ciclistas, já que o acostamento foi transformado em via de trânsito automotor, sem o menor cuidado às formas ativas de deslocamento. Ele concordou e afirmou que está caótica a situação nessas obras. Solicitou o agendamento de uma visita ao local, na qual me chamaria e a outros ciclistas para acompanhar-lhe.

Em seguida, falamos sobre o cumprimento do “Termo de Compromisso com os Ciclistas”, assinado durante a campanha eleitoral. Chamei-lhe atenção de dois itens:

(1) até agora não tivemos projeto de lei, que tem que ser de autoria do Executivo, para destinação de 20% do Fundo Municipal de Trânsito para obras cicloviárias;

(2) não foi cumprida e promessa de construção de 40km de pistas cicláveis nos primeiros 18 meses de governo. Quanto a isso, o prefeito afirmou que deve chegar bem próximo a essa meta até o fim do mandato e que conta com recursos do PAC, onde foram inseridas diversas obras que contam com ciclovias em seus projetos.

Câmara de Vereadores

Quatro vereadores prestigiaram a “Prefeitura no Bairro” no Saco dos Limões: Jaime Tonello (PSD), Ed (PSB), Professor Felipe (PDT) e Lino Peres (PT). O Professor Felipe pegou uma cópia do “Termo de Compromisso com os Ciclistas original para anexar às justificativas de seu projeto de lei que trata sobre “bike racks“.

Secretaria de Mobilidade Urbana

O secretário Vinicius Cofferri solicitou agilidade no relatório que vai subsidiar a revitalização das ciclofaixas já existentes na cidade.

Ministério das Cidades

A servidora técnica Maria Lúcia Mendonça Santos esteve presente, compartilhando experiências adquiridas ao longo desses últimos anos na esfera federal.

Fabiano Faga Pacheco

10° Passeio Ciclístico do Campeche e Escola Bike Anjo

Nota: Devido à chuva, a pedalada está cancelada.

Florianopolis 2013-09-22 Campeche DMSC

Pelo décimo ano consecutivo, a Escola da Fazenda, em parceria com ViaCiclo e Bike Anjo, promove a versão local dessa mobilização mundial, uma programação que discute o uso do transporte coletivo e da bicicleta, a diminuição da poluição e dos problemas decorrentes do uso excessivo dos automóveis em meio urbano.

Mais uma vez realizaremos a Pedalada/Caminhada pela Mobilidade Ativa e Sustentável, que acontecerá no dia 22, ao longo da Ciclofaixa da Avenida Pequeno Príncipe. Partiremos às 9:30 da manhã do Trevo da Avenida Pequeno Príncipe com a SC 405, iremos até o Campo da Aviação, onde teremos uma EBA – Escola Bike Anjo!

SAIBA MAIS EM http://efaz.com.br/agenda/eventos/sem-carro/

:: Confirme a sua presença pelo Facebook

Florianopolis 2013-09-22 Campeche v2

Após protestos, prefeitura de Florianópolis reinaugurará novos paraciclos no Campeche

Nesta quinta-feira, 28 de fevereiro, às 11h, a prefeitura de Florianópolis irá inaugurar os novos estacionamentos de bicicleta ao final da Avenida Pequeno Príncipe, no Campeche.

Instalados em uma praça próxima à entrada principal da praia, os modelos antigos de estacionamento de bicicleta causaram manifestações negativas por parte dos ciclistas. Em janeiro deste ano, por exemplo, em um protesto da Bicicletada Floripa, os ciclistas posicionaram suas bicicletas no chão, atrás dos paraciclos, como forma de chamar atenção para a falta de condições de uso da estrutura.

Bicicletas ao chão em protesto contra bicicletário inadequado instalado no Campeche.

Bicicletário no Campeche foi alvo de protestos em janeiro. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

No dia seguinte, enquanto centenas de pessoas manifestavam sua indignação pelas redes sociais, a atual gestão da prefeitura tomava conhecimento dos problemas e se comprometia a solucioná-los.

No dia 19 de fevereiro, uma reunião na Secretaria Municipal de Obras, contando com a presença da Associação de Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo), do Floripa Quer Mais, do Movimento Ciclovia na Lagoa Já, de participantes da Massa Crítica local e da Pedrita, definiu a mudança dos modelos de estacionamentos de bicicleta.

Como um importante marco político, ficou estabelecido que todos os estacionamentos instalados pelo poder municipal adotarão o modelo estudado pelo Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF), de preferência de 1,5 polegada, de forma a aumentar a sua durabilidade.

Novos paraciclos do Campeche sendo implantados. Foto: Daniel de Araújo Costa.

Novos paraciclos do Campeche sendo implantados. Foto: Daniel de Araújo Costa.

Prefeitura no Bairro recebe demandas de ciclistas

bicicleta_na_rua3-joel pacheco

No último sábado de janeiro, a Prefeitura Municipal de Florianópolis recebeu mais de 300 reivindicações de seus cidadãos. Pela quarta vez em 2013, a “Prefeitura no Bairro” aproximou políticos e moradores na tentativa de aprimorar a gestão pública e conhecer mais de perto os anseios de quem habita a capital catarinense.

Em duas das versões anteriores, em Canasvieiras e no Campeche, já tinha havido reivindicações por parte de pessoas que andam de bicicleta. Dessa vez, no bairro Pantanal, eu fui lá levar diversas demandas dos mais variados segmentos ciclísticos para serem apreciados pelos secretários, vereadores e pelo chefe do Executivo. De bicicleta, pouco após às 10h30, cheguei à tenda montada no terreno da Eletrosul.

Prefeitura no Bairro recebeu demandas por ciclovias em Florianópolis.

Prefeitura no Bairro recebeu demandas por ciclovias em Florianópolis.

Confira abaixo um resumo com as conversas.

Secretaria do Continente

O atual secretário João Batista Nunes (PSDB) reconheceu-me logo de chegada. Propus-lhe um planejamento de curto, médio e longo prazo para a melhoria das condições ciclísticas nos bairros não-ilhéus.

A curto prazo, pode-se realizar a instalação de bicicletários adequados em parques e prédios públicos, além de se realizar os acessos à única ciclovia urbana da região, a Av. Poeta Zininho (Beira-mar do Estreito). Por incrível que pareça, a obra, inaugurada no último aniversário da cidade após anos de construção, não contempla os acessos à ciclovia em seu começo nem em seu final.

Para médio prazo, a retirada da gaveta de projetos como a revitalização da orla de Coqueiros, por sinal uma das promessas de campanha do ex-prefeito Dário Berger (PMDB), e o aproveitamento dos estudos cicloviários feitos por técnicos holandeses possibilita uma ampliação importante da malha cicloviária em uma região densamente ocupada.

Por fim, o sistema de bicicletas coletivas de Florianópolis (Floribike) pode sofrer sua primeira ampliação agregando a porção continental e a definição de pontos de aluguel de bicicletas por lá é uma medida de longo prazo que pode, desde já, tomar forma.

O secretário afirmou que no final de fevereiro pretende se reunir com o Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF) e com ciclistas para alavancar a questão.

Secretaria de Obras

O secretário de Obras e vice-prefeito João Amin (PP) recebeu de braços abertos para poder falar sobre diversos problemas que hoje afligem os ciclistas de Florianópolis.

Primeiramente, entreguei cópia de um ofício da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo) solicitando a retirada das tachas laterais da R. Dep. Antonio Edu Vieira, a principal rua do Pantanal. Instaladas após o asfaltamento da via, esses refletores instalados na linha branca próxima ao meio-fio são desnecessários, não cumprindo função para o tráfego automotor, mas prejudicando enormemente o fluxo de ciclistas. Em determinados locais, os ciclistas chegam a perder 40cm de uma faixa onde poderiam transitar, tendo que conduzirem suas bicicletas mais para o meio da rua, colocando-se em risco maior e prejudicando, também, o fluxo de automóveis. Na véspera mesmo, minha caramanhola caíra da bicicleta por causa da trepidação que essas tachas ocasionam.

Tratando ainda do Pantanal, solicitei uma revisão do projeto de pseudoduplicação da R. Dep. Antonio Edu Vieira, que certamente mais afetar negativamente o tráfego de ciclistas e pedestres.

Tachas prejudicam o trânsito de bicicletas no bairro Pantanal.

Tachas prejudicam o trânsito de bicicletas no bairro Pantanal.

Sobre o bicicletário do Campeche, cujos paraciclos são sofríveis, a resposta foi rápida: “Vamos arrumá-los!”, falou. Um dos técnicos da Obras ao seu lado, afirmou que eles não haviam encontrado um modelo para o Brasil, tendo tido bastante dificuldade em definir um estacionamento de bicicletas melhor. Falei-lhe sobre o modelo padrão de Florianópolis, no qual chega a caber mais bicicletas, no mesmo espaço ocupado pelos paraciclos atuais, e com um custo aproximadamente igual.

Paraciclo no Campeche é considerado inadequado pelos ciclistas.

Paraciclo no Campeche é considerado inadequado pelos ciclistas.

A reformulação da Comissão Municipal de Mobilidade Urbana por Bicicleta (Pró-Bici) também foi motivo de conversa, visto que é quase certa a presença alguém da secretaria de Obras nela.

O secretário pediu ajuda para a resolução dos problemas com as ciclofaixas na região central, dispôs-se a receber-me e a um grupo variado de ciclistas em sua secretaria e afirmou que em finais de fevereiro vai tratar com o IPUF sobre os projetos que já existem lá para poderem ser implantados em Florianópolis.

A legislação municipal, que prevê a implantação de pista ciclável em todas as novas ruas de Florianópolis, foi tema de debate também. Desrespeitada veementemente pelo governo anterior, e Lei Complementar Nº 78/2001 foi sancionada pela mãe do atual vice-prefeito, Angela Amin.

Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano

Por uma questão de viagem do titular Dalmo Vieira Filho, Rodolfo Matte ocupou-se em ouvir os moradores pela SMDU e por suas divisões e autarquias, incluindo a Secretaria Executiva de Serviços Públicos (SESP), a Fundação de Meio Ambiente (FLORAM) e o IPUF.

Levei-lhe ao conhecimento este artigo sobre as ciclofaixas de lazer, contendo diretrizes para que a implantação do projeto tenha sucesso.

Relembrei também um pedido de ciclistas que fora prometido ser cumprido até outubro do ano passado: a instalação de placas de advertência para a manutenção da distância de 1,5m do ciclista nas pistas com mais de uma faixa de rolamento por sentido.

Falamos brevemente sobre a Pró-Bici, situada dentro do IPUF, que pode contribuir enormemente para a ampliação decente das pistas cicláveis em Florianópolis.

Câmara de Vereadores

O vereador Celso Sandrini (PMDB) é um dos apoiadores do processo de revitalização da Caieira da Barra do Sul e da Taperinha, em projeto que prevê a implantação de ciclovias, calçadas e áreas verdes. Afirmou que a comunidade está ansiosa pelo projeto. Disse ainda que as pessoas de seu gabinete estão em férias e que após fevereiro vai agendar reunião no IPUF para essa revitalização e para a implantação da Casa Açoriana.

Prefeitura Municipal

Fui o penúltimo a conversar com o prefeito Cesar Souza Júnior (PSD). Levei-lhe o convite de campanha do Bike Anjo Floripa de pedalar na cidade com integrantes do grupo, ao que disse com honestidade a uma assessora: “Tou devendo isso. Foi compromisso da campanha ainda. Anota aí! Estou precisando mesmo pedalar um pouquinho.”

Prefeito conversa com a comunidade. Ao fundo, ciclista em conversa com o secretário de Obras e vice-prefeito, com técnicos atentos. Foto: Martinho Ghizzo / PMF.

Prefeito conversa com a comunidade. Ao fundo, ciclista em conversa com o secretário de Obras e vice-prefeito, com técnicos atentos. Foto: Martinho Ghizzo / PMF.

Sobre o edital do Floribike, que estava em sua mesa pronto para publicação, afirmou que estava encaminhando para a área jurídica tudo o que havia sobre editais e licitação. Por sinal, poucos dias depois, uma reunião foi agendada pela administração municipal para dar encaminhamento ao projeto.

Por fim, sobre a necessária atualização da Pró-Bici, disse-lhe que uma proposta de composição deve chegar em suas mãos em março, permitindo agilidade nos processos que envolvem a circulação de bicicletas

Fabiano Faga Pacheco

Saiba mais:

Prefeitura no Bairro recebe grande público no Pantanal

Rodas entre o asfalto e a areia

bicicleta_na_rua3-joel pacheco

Bicicletada Floripa de janeiro teve irreverência e críticas à ausência de ciclovias e à implantação de bicicletários inadequados

A tradicional Massa Crítica de Florianópolis contou com mais de 50 ciclistas em sua primeira edição de 2013. Fazendo alusão às férias e ao mar, cumpriu a promessa e foi à praia!

Arte: Fabricio Sousa

No caminho até à próxima praia do Campeche, ciclistas fantasiados, de sunga, chinelos ou bermudão, não se eximiram em realizar críticas à ausência de espaço reservado à circulação de ciclistas e apoio da população.

Na primeira Bicicletada de 2013, ciclistas de Florianópolis pedalam observando o pôr do Sol.

Na primeira Bicicletada de 2013, ciclistas de Florianópolis pedalam observando o pôr do Sol. Foto: Fabiano Faga Pacheco

Pelo caminho até o sul da Ilha, uma volta no parque da Costeira do Pirajubaé deixou crianças e adolescentes perplexos.

Passagem de ciclistas por parque da Costeira impressionou os mais jovens.

Passagem de ciclistas por parque da Costeira impressionou os mais jovens. Foto: Fabiano Faga Pacheco

Uma ciclovia fora prometida no Rio Tavares e deve começar a ser construída logo após a temporada de verão, ou seja, daqui uma quinzena. Apesar da promessa, por decisão judicial, já deveria existir ao menos uma ciclofaixa no local desde junho, e uma ciclovia deveria ter ficado pronta no começo deste mês.

No Rio Tavares, a principal via do bairro, a rodovia SC-405, foi ampliada, sem considerar, entretanto as travessias para pedestres nem a circulação de bicicletas. Na época apontada como grande parte da solução para os congestionamentos diários no local, a ampliação acabou, ao contrário, trazendo mais problemas de mobilidade na bacia do Campeche, com o aumento do número de automóveis, mas não de ônibus, circulando por ela. Em menos de um ano, a faixa adicional já se tornou insuficiente para a demanda de veículos motorizados individuais que trafegam por ela. Ao mesmo tempo, triplicou-se o número de acidentes com ciclistas e pedestres.

Não faltaram bicicletas ornamentadas motivos florais.

Não faltaram bicicletas ornamentadas motivos florais. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

Ocupando uma das faixas da via no sentido Centro-Sul, os ciclistas viram-se obrigados a ficarem em meio ao trânsito, atrás de uma fila de automóveis que insistia em parar. Os gritos de “Cadê a ciclovia!?” entoados foram logo aplaudidos por moradores da região, bem como por diversos motoristas que os viam passar.

Com acostamento intermitente, ciclistas aguardam atrás dos automóveis a sua vez de se deslocar.

Com acostamento intermitente, ciclistas aguardam atrás dos automóveis a sua vez de se deslocar. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

A passagem pela Av. Pequeno Príncipe, o principal acesso ao Campeche, também rendeu boas críticas às condições precárias que a falta de manutenção da ciclofaixa acarretou, resultando em cada vez mais buracos e amontoados de areia.

O banho de mar, compartilhado por cerca de 15 ciclistas nas águas incomumente tranquilas da praia, antecedeu um protesto rápido contra os paraciclos instalados ao final da praia.

Parte dos ciclistas na praia do Campeche.

Parte dos ciclistas na praia do Campeche. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

Revitalizada há poucos meses, o acesso à praia não contou pista ciclável, conforme determina a Lei Municipal 78/2001, e teve 22 paraciclos entorta-rodas instalados. O modelo municipal, considerado adequado pelos ciclistas, pode ser encontrado aqui.

Bicicletas ao chão em protesto contra bicicletário inadequado instalado no Campeche.

Bicicletas ao chão em protesto contra bicicletário inadequado instalado no Campeche. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

No dia seguinte, durante o evento “Prefeitura nos Bairros”, o secretário de Obras e vice-prefeito João Amin (PP) afirmou que irá rever esses paraciclos e instalar um modelo mais adequado.

Saiba mais sobre a Bicicletada Floripa de janeiro

Fotos:

Eduardo Xavier
Fabiano Faga Pacheco
(também no Facebook)
Fabricio Sousa
Stefano Maccarini

Vídeos:

Daniel de Araújo Costa
Fabiano Faga Pacheco

Caminhos do Sertão Cicloturismo inaugura sua nova sede

A operadora de cicloturismo Caminhos do Sertão vai inaugurar neste sábado, 24 de novembro, sua sede no Campeche, em Florianópolis. A comemoração, aberta a todos os amigos e apaixonados por bicicleta, ocorrerá logo após o PedaLua de novembro, uma pedalada leve pelo sul da Ilha de Santa Catarina, com direito a paradas para se aproveitar a paisagem e as belezas naturais da cidade.

A mais antiga empresa do ramo de Santa Catarina atua em diversos roteiros, com destaque para a Rota das Baleias, entre Florianópolis e Laguna, para o Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha, e para a Acolhida da Colônia, no qual ajuda a implementar o roteiro cicloturístico junto ao projeto de geração de renda no campo.

A empresa também ocupa a cadeira destinada à empresa de cicloturismo na Comissão Municipal de Mobilidade Urbana por Bicicleta de Florianópolis (Pró-Bici), devido ao seu venturoso trabalho.

O PedaLua, passeio ciclístico gratuito realizado mensalmente pela empresa, sairá às 15h da sede da empresa, na Rua Vento Sul n°197, que fica na altura do mercado HiperBom e do posto Ipiranga da Avenida Pequeno Príncipe, no Campeche. A festa de inauguração ocorrerá após a chegada, às 20h. Quem for fica, tem que levar a sua própria caneca ou recipiente. A música ficará por conta do DJ Ébano Piacentini, do Projeto Musicália Brasuca, e o chope artesanal será da cervejaria Avatar.

A nova sede foi feita com técnicas sustentáveis de construção, incluindo a utilização de milhares de garrafas PET  reaproveitadas.

Confirme sua presença no Facebook!

Florianópolis: Programação do Dia Mundial Sem Carro 2012

Dia 22 de setembro é o Dia Mundial Sem Carro (World Car Free Day), mas a segunda quinzena de setembro contempla também a Semana Nacional do Trânsito, a Semana da Mobilidade Sustentável e a Semana da Bicicleta de Florianópolis.

Para marcar estas datas, vários eventos estão marcados. Confira aí a agenda!

Sábado, 15 de setembro

Foi realizado o Passeio Ciclístico da Caieira da Barra do Sul, expressando o desejo das comunidades da Taperinha e da Caieira por melhorias viárias que contemplem o pedestre, o ciclista e o skatista. Cerca de 60 pessoas participaram. Durante o caminho, aproveitou-se para se fazer anotações técnicas com representantes da comunidade, visando aprimorar a revitalização daquele trecho da Rod. Baldicero Filomeno, com a implantação de mirantes e acesso às praias, bem como o tombamento de patrimônios históricos da região.

Fotos:
Luis Antônio Peters

Quinta-feira, 20 de setembro

Foi realizada mais uma edição do Desafio Intermodal de Florianópolis. A largada ocorreu na Concha Acústica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) às 18h26min, com chegada no Largo da Alfândega. Participaram pessoas em automóvel, motocicleta, bicicleta fixa, bicicleta comum, skate elétrico, patins, ônibus, caminhando e correndo.

O evento foi organizado pelo Bicicleta na Rua, pela Bicicletada Floripa e pela Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo).

Evento no Facebook

Arte: Audálio Marcos Vieira Júnior

Sexta-feira, 21 de setembro

Bicicletada Nacional contra as Ciclofarsas

Os ciclistas de várias cidades manifestam seu descontentamento contra a má vontade na execução de obras providas de adequada engenharia de trânsito, bem como contra as ciclofaixas de lazer que funcionam apenas aos domingos.

Enquanto em São Paulo, em plena Avenida Paulista mais uma faixa de lazer é criada, durante a semana os ciclistas urbanos arriscam suas vidas. Invenção brasileira, as ciclofaixas com horário fixo de funcionamento espalharam-se por Campinas e Curitiba, tendo hoje várias cidades com projetos que fingem que a bicicleta é tratada como veículo.

Enquanto isso, em cidades como Florianópolis, ciclofaixas são retiradas para colocação de tubos de esgotamento sanitário e uma nova camada de asfalto, sendo que, após mais de um ano, não foram recolocadas (Cachoeira do Bom Jesus) ou pintadas conforme a lei (Agronômica). Isso sem contar na ciclovia sem começo nem fim da recém-inaugurada Beira-Mar do Estreito e nos nove postes que há três anos repousam no meio da ciclofaixa da Fazenda do Rio Tavares.

Evento no Facebook

Sábado, 22 de setembro

Passeio Ciclístico do Campeche

A partir das 9h30, a ViaCiclo e a Escola da Fazenda promovem a pedalada do Campeche, numa manifestação pró-melhorias das ciclofaixas da região e pela instalação do Parque Cultural do Campeche (PACUCA).

Passeio Ciclístico do Centro

PASSEIO CICLÍSTICO EM COMEMORAÇÃO AO DIA SEM CARRO

Dia: 22/09/2012
Horário:
09 horas
Local:
Calçadão em frente à Catedral Metropolitana

Objetivo do evento:

Conscientizar o uso da bicicleta como uma alternativa de transporte e marcar o lançamento do Projeto Ciclovia de Domingo.

Neste evento será realizado também uma pesquisa entre os participantes do passeio ciclístico, com objetivo de avaliar o roteiro proposto para o Projeto Ciclovia de Domingo.

Haverá distribuição de camisetas aos participantes do passeio ciclístico.

Haverá também um sorteio de 2 bicicletas entre os participantes da pesquisa.

  • Pesquisa: Formulário a ser preenchido pelos participantes no final do passeio e entregues a organização do evento. Em formato A4, contendo perguntas objetivas sobre o roteiro realizado.
  • Sorteio: A ser realizado no final do passeio ciclístico e entre aqueles que preencherem o formulário da pesquisa.
  • Projeto Ciclístico de Domingo: Projeto que visa estabelecer um domingo mensal no qual será realizado um passeio ciclístico pela cidade.

Concentração:

No local de concentração do evento será montado uma tenda para divulgação de projetos e programas ciclísticos, programa de conscientização de motoristas de ônibus, distribuição de folders de conscientização sobre uma boa convivência entre motoristas, ciclistas e pedestres e água aos participantes.

Organizadores:

– PMF: IPUF, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Sustentável, Secretaria de Obras e Secretaria de Transportes, Mobilidade e Terminais

 Apoio:

– Pró-Bici
– ViaCiclo
– Guarda Municipal
– Polícia Militar
– Grupo Globo

(Veja o mapa em PDF)

Pedalada com Elson Pereira

O candidato à Prefeitura Municipal de Florianópolis Elson Manoel Pereira (PSOL) realizará paralelamente ao passeio ciclístico do Centro, a sua pedalada pelo Dia Catarinense Sem Carro. Com fornecimento de auxílio em programas de pesquisa em Geografia que abrangeram os conceitos de bacias cicloviárias, o candidato teve, no decorrer dos últimos anos, participação ativa na introdução de um novo conceito de ocupação espacial, que privilegia a bicicleta e a caminhada aos veículos motorizados individuais.

Passeio Ciclístico de São José

Passeio ciclístico acontece neste sábado em São José

No próximo sábado (22), será realizado o 3º Passeio Ciclístico de São José. O evento que traz como slogan “Pela Paz no Trânsito” terá como ponto de partida o estacionamento da Beira-Mar de São José (Avenida Acioni de Souza Filho). A concentração iniciará às 14h e a saída será às 15h30min. Haverá sorteios de bicicletas e brindes surpresas. O percurso será acompanhado pela Guarda Municipal de São José e qualquer pessoa pode participar.

O 3º Passeio Ciclístico de São José é organizado pelo departamento de Educação Para o Trânsito da Secretaria de Segurança, Defesa Social e Trânsito de São José. Mais informações no telefone (48) 3259-6160 ou no site educacaogmsj.blogspot.com.

Guarda Municipal de São José

Ritmos das Cidades

Diversos eventos vão acontecer neste sábado na UFSC, entre às 10h e às 18h. Dentre os destaques, vai ocorrer a 1ª Circunferência de Mobilidade.

Baixe o folheto em PDF

O evento é organizado por ViaCiclo, Floripa Quer Mais, Mob Floripa, Moto Repórter, Associação de Motociclistas da Grande Florianópolis (AMO) e Grupo de Estudos da Mobilidade Urbana. Confira a programação completa no site Ritmos das Cidades ou baixe em PDF.

No espaço da ViaCiclo, haverá a seguinte programação (MODIFICADA):

10h – Palestra “A Inserção da Bicicleta na Política Nacional de Mobilidade Urbana”, com Giselle Noceti Ammon Xavier (CEFID/UDESC)
12h – CicloCine: “O Garoto da Bicicleta”
14h30 – Palestra “Cicloturismo”, com equipes dos projetos EcoAustral e Travessia Pacífico-Atlântico
16h – Palestra “A Bicicleta em Florianópolis”, com Fabiano Faga Pacheco (ViaCiclo)
17h30 – Entrega da Carta de Compromisso com os Ciclistas pelos candidatos

(clique sobre a imagem para ampliá-la)

CicloCine

O CicloCine ocorrerá às 12h, com a exibição do filme “O Garoto da Bicicleta” (Le Gamin au Vélo, Bélgica , 2011), vencedor do Grande Prêmio do Júri do Festival de Cannes. Leia aqui crítica no site Omelete.

Maratona Intermodal

Uma disputa interessante vai ocorrer juntos aos eventos ligados ao Ritmos das Cidades. Na Maratona Intermodal, os participantes têm que fazer percursos usando a criatividade para cumpri-lo com meios de transporte sustentáveis. Confira o regulamento AQUI.

Domingo, 23 de setembro

Beira-Mar Livre [de Carros]

Em alguns trechos no sentido Bairro-Centro, a Avenida Beira-Mar Norte será interditada para realização de atividades educativas e de lazer.

Passeio Ciclístico do Floripa Shopping

3º Passeio Ciclístico Floripa Shopping

Saúde nunca sai de moda, por isso o Floripa Shopping promove mais uma edição do Passeio Ciclístico no dia 23 de setembro, domingo.

O evento é uma iniciativa do Floripa Shopping em prol do Dia Mundial Sem Carro, comemorado em 22 de setembro.

O objetivo é promover uma atividade de conscientização para a prática esportiva, incentivando o uso da bicicleta, que é um meio de transporte ecologicamente correto e saudável.

Esta 3ª edição conta novamente com o patrocínio da Centauro do Floripa Shopping e da Ciclo Vil Bike. E traz ainda, pela primeira vez, o patrocínio da Plastkolor e Gráfica Natal.

O apoio ao evento é da Academia Curves e Nacional Supermercados do Floripa Shopping e da universidade Univali.

O percurso é de 5 km e a largada acontece na entrada principal do Floripa Shopping (SC-401), na área de estacionamento externa em frente ao shopping, às 9h da manhã. O trajeto será feito pela Rodovia Virgílio Várzea, sentido Norte da Ilha, até o Centro Administrativo do Governo do Estado com retorno ao mesmo local da largada.

Confira as atividades que teremos durante toda a manhã:

– A Centauro distribuirá bonés para os participantes;

– O Nacional disponibilizará garrafinhas de água para a hidratação dos participantes;

– Antes da pedalada, a Academia Curves realizará avaliação de gordura corporal nas participantes mulheres; e

– Profissionais da área da Saúde da Univali estarão presentes prestando serviços de bambuterapia e pinturinha de rosto e distribuindo balões.

O Passeio contará ainda com o apoio do 4º Batalhão da Polícia Militar de Florianópolis acompanhando e garantindo a segurança os participantes durante o percurso.

E, após a pedalada, haverá sorteio de brindes dos nossos parceiros e ainda o sorteio do prêmio principal, uma bike da Ciclo Vil Bike.

E aí, vamos pedalar?

 

Traga a família toda para este agradável passeio e faça você também parte do MOVIMENTO ECOFRIENDLY do Floripa Shopping.

Esperamos por você.

Sábado, 29 de setembro

Passeio Ciclístico dos Ingleses

PASSEIO CICLÍSTICO DOS INGLESES

Dia: 29/09/2012
Horário:
09 horas

Objetivo do evento:

Marcar o início revitalização da ciclovia dos Ingleses.

Haverá distribuição de bonés aos participantes do passeio ciclístico.

Haverá também um sorteio de 2 bicicletas entre os participantes do passeio ciclístico.

Concentração:

No local de concentração do evento será montado uma tenda para divulgação de projetos e programas ciclísticos, programa de conscientização de motoristas de ônibus, distribuição de folders de conscientização sobre uma boa convivência entre motoristas, ciclistas e pedestres e água aos participantes.

Organizadores:

– PMF: IPUF, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Sustentável, Secretaria de Obras e Secretaria de Transportes, Mobilidade e Terminais
– Comunidade do sistrito de Ingleses do Rio Vermelho

Apoio:

– Pró-Bici
– ViaCiclo
– Guarda Municipal
– Polícia Militar
– Grupo Globo

Ciclistas de Florianópolis, Itapema e Porto Alegre inconformados

O último mês tem sido extremamente difícil para os ciclistas das cidades catarinenses de Itapema e Florianópolis e da capital gaúcha Porto Alegre. Seguidos acontecimentos na política e nos tribunais contribuíram muito para essa situação.

Florianópolis, SC

Os ciclistas de Florianópolis permanecem indignados. Além de perderem ciclovias durante o ano, vêm obras anunciadas em acabamento sofrível para se pedalar. A ciclovia do Rod. Baldicero Filomeno, no Ribeirão da Ilha, está sendo feita sem respeitar o projeto executivo, com claro prejuízo aos ciclistas. A ciclofaixa da Cachoeira do Bom Jesus foi retirada devido a obras de recapeamento e implantação de dutos de saneamento básico e não será reimplementada até o final do ano. Além disso, a ciclovia da Rod. Admar Gonzaga, no Itacorubi, que está sendo feita pela CELESC e deveria ter ficado pronta em janeiro de 2010, está sofrível a ponto de metade dos ciclistas pedalarem nas ruas. No Campeche, a Polícia Militar Rodoviária Estadual manda os carros estacionarem da ciclofaixa da Av. Pequeno Príncipe e hostiliza os ciclistas que passam pelo trecho nesse período, chegando a gritar “atropela mesmo” aos veículos automotores, sem fornecer opção ao deslocamento por bicicleta, conforme denúncias que chegaram a este blogue.

Como se não bastasse tudo isso, o governo do Estado não está implantando ciclovia na SC-405, no Rio Tavares, mesmo com determinação judicial para isso e, na SC-401, entre Canasvieiras e Ingleses, o acostamento foi dividido para dar lugar a uma ciclofaixa, em total contrasenso e inobediência ao projeto executivo e às normas internacionais. Nessa via, a velocidade máxima, de 80km/h, não é respeitada por 93% dos motoristas, que comumente trafegam a mais de 100km/h, com a anuência da fiscalização da própria Polícia Militar Rodoviária Estadual que põe ciclistas em risco também no sul da Ilha.

Esse é o clima pesado com que se iniarão as comemorações da Bicicletada Floripa de Natal, cuja concentração será na praça de skate em frente ao Shopping Iguatemi, a partir das 18h, com saída prevista para às 19h em ritmo tranqüilo e destino definido na hora pelos participantes. Festeje essa pedalada com sua família, seus amigos e aqueles que você quer que estejam sempre ao seu lado!

As leis de trânsito são respeitadas e, em caso de chuva, a Bicicletada está automaticamente CONFIRMADA.

Itapema, SC

Itapema já foi citada aqui como cidade amiga da bicicleta, justamente pela ciclofaixa da Avenida Nereu Ramos. Pois bem, a ciclofaixa de parte dessta rua foi retirada num projeto urbanístico que não se pode chamar de pífio, mas que certamente contém equívocos importantes que, a médio prazo, prejudicarão o trânsito da cidade e não vai resolver o problema de mobilidade dela, como já se poderá observar nesta temporada de verão. A ciclofaixa foi retirada para abertura de nova pista de automóveis, mantendo-se vagas de estacionamento e criando-se um corredor para ônibus, táxis, veículos de emergência e motocicletas. Os ciclistas podem utilizar-se, nesse trecho, de ciclofaixa do Parque Calçadão, à beira-mar.

Em outras palavras, Itapema, sem dúvida, deu um passo na contramão da história. Rebaixou a bicicleta de veículo de deslocamento para brinquedo de lazer, dificultando e tornando perigoso o trânsito de bicicletas em plena área comercial e de serviços da cidade. Deve-se salientar, também, que a audiência pública que definiu essas alterações não contou com presença participativa de ciclistas e que a decisão da prefeitura não se baseia em sólido estudo técnico, uma vez que são desconhecidos os números de veículos automotores e de transporte ativo que transitam na cidade nesse trecho e nem se conhecem os impactos que essas alterações trarão às vias adjacentes.

Se bem fiscalizadas, essas alterações ainda deixarão Itapema à frente da maioria das cidades catarinenses em termos de mobilidade, mas ainda assim se constitui num retrocesso em termos de política pública. O ideal era que a implantação da pista exclusiva para ônibus e veículos oficiais e coletivos ocorrer no leito carroçável, utilizando-se, para isto, uma das pistas utilizadas pelos veículos automotores.

Saiba mais:

População de Itapema decide mudanças na Avenida Nereu Ramos

Porto Alegre, RS

Parece piada, mas não é! Mais uma dessas pérolas surgiuvinda direta do caso do bancário Ricardo José Neis, que atropelou e feriu ao menos 16 ciclistas durante a Bicicletada de Porto Alegre, num ato que provocou manifestaçõesem prol das vítimas em vários países.

O promotor de justiça Fábio Roque Sbardellotto, do Ministério Público Estadual do Rio Grande do Sul, enviou o seguinte ofício abaixo em que escreveu:

Senhor Comandante:
Com a honra de cumprimentá-lo, e com o escopo de instruir o Inquérito Civil supra, instaurado para “investigar potencial infração a ordem urbanística em razão de irregularidades nos eventos organizados pelo grupo de ciclistas Massa Crítica, nesta Capital”, solicito que informe, no prazo de 30 dias, o nome de todos os componentes do grupo e do representante, se houver, bem como indique de que maneira o grupo atua e comprove, conforme preceitua o artigo 5º, inciso XVI, da Constituição Federal, a prévia comunicação às autoridades competentes antes da realização dos encontros, com a indicação de trajetos, para possibilitar a organização do trânsito local.”

Oras, para bom entendido, o desconhecimento de causa do promotor chega a provocar risos. A começar pelo fato de que não existe um grupo de ciclistas chamado Massa Crítica, que é uma coincidência rizomática. Não existe necessidade de comunicação às autoridades, ao contrário do que afirma o juiz, e nem representantes e nem componentes de grupo, até pelo fato de não haver grupo.

Os motoristas saindo de seus trabalhos ou residências, inúmeros ao mesmo tempo, por uma coincidência da organização econômica e social vigente não precisam avisar às autoridades que ajudarão a provocar congestionamentos no trânsito. As “autoridades competentes” já sabem disso! Quando vizinhos vão a uma mesma festa, ou os torcedores saem dos estádios de futebol, não comunicam sua saída. Simplesmente o fazem. Que sentido faria, então, os ciclistas comunicarem que vão se deslocar pelas ruas da cidade, por ventura com outros ciclistas? Nenhum!

Enquanto isso, Ricardo Neis segue livre em sua casa. O seu processo deve acabar em júri popular.

Os ciclistas, como não poderia deixar de ser, aproveitaram-se das palavras do promotor para inspirarem-se no tema da Bicicletada de dezembro, que deve ocorrer nesta sexta-feira.

A concentração ocorrerá no Largo Zumbi dos Palmares, a partir das 18h30. A saída será às 19h, aproximadamente, em destino que qualquer um pode escolher na hora.

Saiba mais:

AI-5 de novo? MP investiga a Massa Crítica de Porto Alegre

Mova-se no dia 22!

Atualização da programação do Dia Mundial Sem Carros em Florianópolis em 2011

Campeche, Florianópolis, SC

“Três Escolas, mais de 400 estudantes, equipes pedagógicas engajadas, toda uma comunidade mobilizada: na próxima 5ª-feira, 22 de setembro, mais uma vez o Sul da Ilha manifesta-se pela defesa da mobilidade urbana: Escola da Fazenda, Escola Porto do Rio Tavares e Escola Brigadeiro Eduardo Gomes, juntas, promovem a Pedalada e Caminhada pela Mobilidade Ativa e Sustentável – pelo 9º ano consecutivo!

Com o apoio da Guarda Municipal e da Polícia Rodoviária Estadual, partiremos às 8 da manhã do Trevo da Avenida Pequeno Príncipe com a SC 405, iremos pela Avenida Pequeno Príncipe até o Campo de Aviação, onde estarão instalados equipamentos recreativos, sistema de som, e barracas das instituições parceiras. Aproveitaremos a pausa para brincadeiras, sorteio de brindes, lanche com frutas e água, para a realização do concurso PEDALANDO PARA MELHORAR O MUNDO, e para, novamente, discutir com a comunidade o uso do transporte coletivo e da bicicleta, a poluição e os problemas decorrentes do uso excessivo dos automóveis em meio urbano.

Contamos com a participação maciça da comunidade para, juntos com a Escola, exercer cidadania na prática!”

Centro e Sul, Florianópolis, SC

Uma pedalada para iniciados, com apoio da Guarda Municipal sairá da Praça XV de Novembro, coração da cidade, rumo ao Aeroporto Internacional Hercílio Luz. A saída do passeio ciclístico, organizado pela Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo) e pela Comissão Municipal de Mobilidade Urbana por Bicicleta (Pró-Bici) será às 20h e terá escolta da Guarda Municipal e participação de diversos grupos de ciclistas da região. O percurso passará por José Mendes, ciclovia da Via Expressa Sul, Trevo da Seta e Av. Dep. Diomício Freitas, no bairro Carianos. Nas proximidades do aeroporto, haverá uma parada para abastecimento antes do retorno, que será pelo mesmo caminho.

Outras notícias

Estreito, Florianópolis, SC

A volta olímpica de bicicletas que estava programada para acontecer no Estádio Orlando Scarpelli antes do jogo Figueirense x Internacional nesta quarta-feira, dia 21, foi cancelada. Estava previsto, na Semana Nacional do Trânsito, que ciclistas, motociclistas e pedestres iriam contornar o estádio, entretanto apenas pessoas a pé – e sem bicicleta – vão fazer alusão à campanha por mais respeito nas ruas.

Praia Comprida, São José, SC

A Bicicletada deste domingo, 25 de março, segue confirmada e contará com a participação de grupos de ciclistas locais, que unirão suas pedaladas do fim de semana à atividade.

Na sexta-feira, também está prevista a blitz da balada  na cidade, uma campanha de conscientização nos points noturnos dos jovens.

Centro, Florianópolis, SC

Uma ação diferente que merece destaque no calendário de atividades da Semana Nacional do Trânsito é a blitz das ciclovias, prevista para ocorrer das 18h às 21h na Rua Bocaiúva, cuja ciclofaixa vira, comumente, estacionamento de automóveis.

A programação SEST/SENAT da Semana Nacional do Trânsito pode ser vista aqui.

Outras atividades da Semana da Mobilidade Sustentável também constam aqui.

Programação da Semana da Mobilidade na Grande Florianópolis

Abaixo, seguem alguns eventos já programados para ocorrer durante os próximos dias que fazem parte do calendário da Semana da Mobilidade Sustentável e da Semana da Bicicleta.

Florianópolis, domingo, 18 de setembro

O Floripa Shopping, no bairro Saco Grande, realizará, com apoio da CicloVil, o seu segundo passeio ciclístico, que percorrerá as ruas do bairro a partir das 9h.

 

Saiba mais:

Domingo é dia de pegar a bicicleta – conteúdo publicado no periódico Diário Catarinense.

Florianópolis, quinta-feira, 22 de setembro

A já tradicional Pedalada e Caminhada pela Mobilidade Ativa e Sustentável do Campeche vai começar às 8h, no trevo entre o Campeche e o Rio Tavares. Realizado pela Escola da Fazenda e pela ViaCiclo, espera-se reunir mais de 300 pessoas, que realizarão um percurso pela Av. Pequeno Príncipe.

Haverá sorteio de prêmios e equipamentos recreativos.

O Rio Tavares está tendo a construção de uma nova pista e de acostamento em andamento, em obra que não contempla os anseios dos ciclistas que trafegam pela região.

(clique sobre a imagem para ampliá-la)

 Biguaçu, sábado, 24 de setembro

 Biguaçu vai ter Ciclovia de Sábado! Saúde e lazer a partir das 9h.

 São José, domingo, 25 de setembro

São José terá passeio ciclístico a partir das 9h, saindo da Av. Beira-Mar, na Praia Comprida, ao lado da mini pista. O percurso será circular passando pela própria Av. Beira-Mar e pela Av. Pres. Kennedy. A pedalada não será longa e é indicada, inclusive, para crianças e pessoas que querem voltar a pedalar. Ideal para famílias.

Esse passeio é uma realização das entidades abaixo relacionadas.

 

CicloCine Campeche

Vai acontecer neste sábado, na Rádio Comunitária Campeche, na Travessa Iracema das Chagas Pires 80, às 18h, mais um CicloCine!

Será exibido o filme “American Pop”, de Ralph Bakshi, e, logo depois haverá uma pedalada.

cartaz+american+pop2

Em caso de chuva, o CicloCine fica transferido para a semana seguinte.

Mais informações aqui.

Cinema + Bike = CicloCine

Florianópolis inova com passeios ciclísticos junto a sessões de cinema

Nesta semana a capital catarinense contará com três CicloCines.

Desde 2007, cerca de meia dúzia de cidades brasileiras já tiveram edições de CicloCine, sessões de filmes, documentários e curtas sobre bicicleta. Este ano, de uma só vez, Florianópolis terá 3 sessões de CicloCine, as quais fazem parte  das atividades da Semana Nacional do Trânsito, da semana do Dia Mundial Sem Carros e da Semana da Bicicleta de Florianópolis. A novidade dos CicloCines catarinenses ficam por conta dos passeios ciclísticos que vão ocorrer em duas das sessões.

Nesta quinta-feira, 24 de setembro, serão exibidos na Escola da Fazenda, na R. Jaborandi 324, na Fazenda do Rio Tavares (veja mapa), às 20h, o documentário “Sociedade do Automóvel”, de Thiago Benicchio e Branca Nunes (Brasil, 2004), que aborda a relação autodestrutiva do paulistano com seu veículo automotor. Também será exibido o vídeo “Ciclovias para as cidades que queremos”, da ONG holandesa I-ce – Interface for Cycling Expertise).

Na sexta-feira, antes da exibição de “As Bicicletas de Belleville” (Les Triplettes de Belleville, França, 2003), no CineParedão, bosque do CFH/UFSC, às 22h (em caso de chuva, no auditório do CFH), ocorrerá a edição mensal da Bicicletada Floripa, um movimento que, entre outras coisas, visa a estimular o uso da bicicleta nos deslocamentos urbanos. A concentração da Bicicletada começará a partir das 18h, em frente à Concha Acústica da UFSC e o pedal lúdico-educativo terá início às 19h, em trajeto definido na hora e percorrido em ritmo leve.

Florianópolis 2009-09-25 v2

No sábado, será a vez de “Turista Aprendiz” (Brasil, 2000), do projeto A Barca,  que será exibido às 17h30 na Rádio Comunitária do Campeche, na Trav. Iracema das Chagas Pires 80 (veja mapa), pouco após o Passeio Ciclístico Primavera na Lagoa. Ao final da sessão, uma pedalada em ritmo leve pelas ruas do Sul da Ilha. Mais informações podem ser encontradas no blogue Pra Desterro Falar.

Florianópolis CicloCine 2009-09-26

Estão aí três ótimas pedidas para quem quer pedalar em grupo e ainda a filmes de graça.

Novas ciclovias em Florianópolis

A reportagem abaixo já é meio antiga. Ela é da edição de junho de 2008 do jornal universitário Zero. A matéria pode ser vista também em .pdf aqui ou aqui.

Zero junho 2008

Florianópolis ganha novas ciclovias

Embora promova maior segurança para ciclistas e motoristas, transtorno provocado pelas obras gera discussões

O projeto Florianópolis – cidade amiga da bicicleta, lançado em 2007 pela prefeitura municipal, está provocando divergências. O pacote de obras prevê a construção de oito ciclovias em pontos distintos da cidade, totalizando 18.360 metros de extensão, quase o dobro da área existente hoje. Todas as obras já estão em execução e o transtorno causado é inevitável: bloqueio temporário das vias e congestionamento.

Alguns moradores e motoristas que circulam pelas áreas beneficiadas com as ciclovias não aprovam os problemas decorrentes. “Me diga, para que esse transtorno todo? Eu não vou abdicar do meu direito de sair de carro para ir a qualquer lugar! Suar numa bicicleta para ir ao trabalho… Nem morto!”, disse um motorista de um Renault Clio prata sobre a faixa exclusiva para ciclistas em construção na rua Delminda Silveira, no bairro Agronômica.

A opinião do condutor ilustra bem um dos obstáculos enfrentados pelo projeto: a resistência que muitas pessoas têm em relação ao uso da bicicleta como meio de transporte urbano e diário. Para tentar amenizar essa situação, a prefeitura já iniciou a distribuição de panfletos, nas regiões próximas às obras, para orientar e alertar motoristas, ciclistas e pedestres sobre os benefícios do uso da bicicleta para o trânsito, meio-ambiente e a própria saúde dos condutores.

Mas não são apenas as pessoas que não utilizam as ciclovias que têm queixas sobre as obras. Vários ciclistas reclamam que elas estão sendo construídas em locais errados, como Antônio Carlos Silveira, morador da região do Campeche, que terá acesso por uma ciclovia construída em todo o percurso da avenida Pequeno Príncipe. “Para chegar em casa, eu tenho que pegar a Gramal (rua que cruza a Pequeno Príncipe). Lá os carros andam em alta velocidade, mesmo com as lombadas, além de a rua ser estreita, fazendo com que os carros passem muito próximos da guia, por isso é grande o risco pra quem quer pedalar por lá”, conta Silveira.

O pacote do IPUF prevê 18.360 metros de vias para bicicletas

A arquiteta do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF), Vera Lúcia Gonçalves, explica que em algumas ruas, como a Gramal, é impossível construir faixas exclusivas devido ao espaço. Os critérios avaliados para decidir que vias receberão as ciclovias consideram basicamente o fluxo de pessoas e de veículos motorizados que circulam pelo trecho diariamente, a velocidade média registrada e o espaço disponível para a adaptação, que muitas vezes é insuficiente para a execução da obra.

Apesar de não agradar a todos, Milton Della Giustina, presidente da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (Via Ciclo) e ex-ciclista profissional, acredita que as ciclovias em construção são o primeiro passo para a massificação do uso da bicicleta e o começo de uma conscientização da população sobre o que é o trânsito. “Os motoristas têm que entender que quanto mais espaço deixarem para os ciclistas, mais espaço sobrará para eles, e isso também diminuirá o trânsito”, diz Giustina, que também destaca a bicicleta como meio de transporte ecologicamente correto e mais saudável.

Movimentos sociais

A construção das faixas exclusivas é apenas parte de um projeto que objetiva criar uma malha cicloviária consistente, eficiente e segura. Para atingir essa meta são necessárias medidas que vão muito além das obras da prefeitura. Convencer as pessoas de que andar de bicicleta é viável requer uma série de alterações no ambiente urbano: infra-estrutura adequada, maior segurança no trânsito e conscientização dos condutores de veículos automotores – que devem entender que os ciclistas têm o mesmo direito de utilização das vias e são beneficiados pelas leis de trânsito.

Na capital de Santa Catarina, a ausência de ciclovias em ruas de grande movimento obriga motoristas e ciclistas a disputarem espaço no trânsito. Apenas a construção de faixas exclusivas para bicicletas não resolve o problema. Foto: Thiago Prado Neris.

Na capital de Santa Catarina, a ausência de ciclovias em ruas de grande movimento obriga motoristas e ciclistas a disputarem espaço no trânsito. Apenas a construção de faixas exclusivas para bicicletas não resolve o problema. Foto: Thiago Prado Neris.

Para tentar resolver esses problemas, surgiram movimentos sociais para pressionar a sociedade e a administração pública a favor de um transporte que facilite a mobilidade e o acesso aos mais diversos locais respeitando as necessidades dos moradores e a conservação ambiental. Em Florianópolis, grupos de moradores participam das discussões sobre o Plano Diretor que definirá as diretrizes para o crescimento urbano da capital.

Um dos mais ativos é formado pelos representantes dos bairros que compõem a Bacia do Itacorubi: Itacorubi, Trindade, Santa Mônica, Córrego Grande e Pantanal. Em documento encaminhado à administração municipal pelas lideranças das comunidades – em média, 30 pessoas -, fica clara a preferência às bicicletas como meio de transporte mais acessível e cômodo para a região.

Um Plano Diretor que priorize a bicicleta e o transporte público também pode reduzir os gastos com obras de duplicação de vias e construção de elevados, muito mais altos do que os recursos que seriam destinados à adaptação de uma região às ciclofaixas, cujo custo fica em média em R$ 100 mil por quilômetro em vias já existentes, e em torno de R$ 150 mil em terreno nu. É possível construir dez quilômetros de ciclovias com o valor gasto em um de capeamento asfáltico.

Outra proposta do grupo é o movimento Estaciona e Pega Ônibus (Epô). A idéia é que os terminais de ônibus sejam interligados com bolsões de estacionamento em lugares estratégicos, como o desativado Terminal de Integração do Saco dos Limões (TISAC) e o mal aproveitado estacionamento do Centro de Integração e Cultura (CIC). Os bolsões próximos aos terminais seriam um incentivo aos condutores de carros e motocicletas para que parem seus veículos e peguem um ônibus para percorrer as distâncias mais longas.

Os bolsões de estacionamento já existem em países como a Holanda e a Inglaterra, que adotaram medidas para priorizar o uso da bicicleta e do transporte público. No Brasil, Curitiba também executou o projeto e é a campeã brasileira de quilometragem exclusiva para os ciclistas: 122 quilômetros. Além disso, a prefeitura de Curitiba planeja implantar um sistema de aluguel de bicicletas, como o que já é utilizado em Paris, por exemplo.

Cauê Azevedo

andamento-das-obras-zero-jun-08-02

%d blogueiros gostam disto: