Florianópolis: Programação do Dia Mundial Sem Carro 2012

Dia 22 de setembro é o Dia Mundial Sem Carro (World Car Free Day), mas a segunda quinzena de setembro contempla também a Semana Nacional do Trânsito, a Semana da Mobilidade Sustentável e a Semana da Bicicleta de Florianópolis.

Para marcar estas datas, vários eventos estão marcados. Confira aí a agenda!

Sábado, 15 de setembro

Foi realizado o Passeio Ciclístico da Caieira da Barra do Sul, expressando o desejo das comunidades da Taperinha e da Caieira por melhorias viárias que contemplem o pedestre, o ciclista e o skatista. Cerca de 60 pessoas participaram. Durante o caminho, aproveitou-se para se fazer anotações técnicas com representantes da comunidade, visando aprimorar a revitalização daquele trecho da Rod. Baldicero Filomeno, com a implantação de mirantes e acesso às praias, bem como o tombamento de patrimônios históricos da região.

Fotos:
Luis Antônio Peters

Quinta-feira, 20 de setembro

Foi realizada mais uma edição do Desafio Intermodal de Florianópolis. A largada ocorreu na Concha Acústica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) às 18h26min, com chegada no Largo da Alfândega. Participaram pessoas em automóvel, motocicleta, bicicleta fixa, bicicleta comum, skate elétrico, patins, ônibus, caminhando e correndo.

O evento foi organizado pelo Bicicleta na Rua, pela Bicicletada Floripa e pela Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo).

Evento no Facebook

Arte: Audálio Marcos Vieira Júnior

Sexta-feira, 21 de setembro

Bicicletada Nacional contra as Ciclofarsas

Os ciclistas de várias cidades manifestam seu descontentamento contra a má vontade na execução de obras providas de adequada engenharia de trânsito, bem como contra as ciclofaixas de lazer que funcionam apenas aos domingos.

Enquanto em São Paulo, em plena Avenida Paulista mais uma faixa de lazer é criada, durante a semana os ciclistas urbanos arriscam suas vidas. Invenção brasileira, as ciclofaixas com horário fixo de funcionamento espalharam-se por Campinas e Curitiba, tendo hoje várias cidades com projetos que fingem que a bicicleta é tratada como veículo.

Enquanto isso, em cidades como Florianópolis, ciclofaixas são retiradas para colocação de tubos de esgotamento sanitário e uma nova camada de asfalto, sendo que, após mais de um ano, não foram recolocadas (Cachoeira do Bom Jesus) ou pintadas conforme a lei (Agronômica). Isso sem contar na ciclovia sem começo nem fim da recém-inaugurada Beira-Mar do Estreito e nos nove postes que há três anos repousam no meio da ciclofaixa da Fazenda do Rio Tavares.

Evento no Facebook

Sábado, 22 de setembro

Passeio Ciclístico do Campeche

A partir das 9h30, a ViaCiclo e a Escola da Fazenda promovem a pedalada do Campeche, numa manifestação pró-melhorias das ciclofaixas da região e pela instalação do Parque Cultural do Campeche (PACUCA).

Passeio Ciclístico do Centro

PASSEIO CICLÍSTICO EM COMEMORAÇÃO AO DIA SEM CARRO

Dia: 22/09/2012
Horário:
09 horas
Local:
Calçadão em frente à Catedral Metropolitana

Objetivo do evento:

Conscientizar o uso da bicicleta como uma alternativa de transporte e marcar o lançamento do Projeto Ciclovia de Domingo.

Neste evento será realizado também uma pesquisa entre os participantes do passeio ciclístico, com objetivo de avaliar o roteiro proposto para o Projeto Ciclovia de Domingo.

Haverá distribuição de camisetas aos participantes do passeio ciclístico.

Haverá também um sorteio de 2 bicicletas entre os participantes da pesquisa.

  • Pesquisa: Formulário a ser preenchido pelos participantes no final do passeio e entregues a organização do evento. Em formato A4, contendo perguntas objetivas sobre o roteiro realizado.
  • Sorteio: A ser realizado no final do passeio ciclístico e entre aqueles que preencherem o formulário da pesquisa.
  • Projeto Ciclístico de Domingo: Projeto que visa estabelecer um domingo mensal no qual será realizado um passeio ciclístico pela cidade.

Concentração:

No local de concentração do evento será montado uma tenda para divulgação de projetos e programas ciclísticos, programa de conscientização de motoristas de ônibus, distribuição de folders de conscientização sobre uma boa convivência entre motoristas, ciclistas e pedestres e água aos participantes.

Organizadores:

– PMF: IPUF, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Sustentável, Secretaria de Obras e Secretaria de Transportes, Mobilidade e Terminais

 Apoio:

– Pró-Bici
– ViaCiclo
– Guarda Municipal
– Polícia Militar
– Grupo Globo

(Veja o mapa em PDF)

Pedalada com Elson Pereira

O candidato à Prefeitura Municipal de Florianópolis Elson Manoel Pereira (PSOL) realizará paralelamente ao passeio ciclístico do Centro, a sua pedalada pelo Dia Catarinense Sem Carro. Com fornecimento de auxílio em programas de pesquisa em Geografia que abrangeram os conceitos de bacias cicloviárias, o candidato teve, no decorrer dos últimos anos, participação ativa na introdução de um novo conceito de ocupação espacial, que privilegia a bicicleta e a caminhada aos veículos motorizados individuais.

Passeio Ciclístico de São José

Passeio ciclístico acontece neste sábado em São José

No próximo sábado (22), será realizado o 3º Passeio Ciclístico de São José. O evento que traz como slogan “Pela Paz no Trânsito” terá como ponto de partida o estacionamento da Beira-Mar de São José (Avenida Acioni de Souza Filho). A concentração iniciará às 14h e a saída será às 15h30min. Haverá sorteios de bicicletas e brindes surpresas. O percurso será acompanhado pela Guarda Municipal de São José e qualquer pessoa pode participar.

O 3º Passeio Ciclístico de São José é organizado pelo departamento de Educação Para o Trânsito da Secretaria de Segurança, Defesa Social e Trânsito de São José. Mais informações no telefone (48) 3259-6160 ou no site educacaogmsj.blogspot.com.

Guarda Municipal de São José

Ritmos das Cidades

Diversos eventos vão acontecer neste sábado na UFSC, entre às 10h e às 18h. Dentre os destaques, vai ocorrer a 1ª Circunferência de Mobilidade.

Baixe o folheto em PDF

O evento é organizado por ViaCiclo, Floripa Quer Mais, Mob Floripa, Moto Repórter, Associação de Motociclistas da Grande Florianópolis (AMO) e Grupo de Estudos da Mobilidade Urbana. Confira a programação completa no site Ritmos das Cidades ou baixe em PDF.

No espaço da ViaCiclo, haverá a seguinte programação (MODIFICADA):

10h – Palestra “A Inserção da Bicicleta na Política Nacional de Mobilidade Urbana”, com Giselle Noceti Ammon Xavier (CEFID/UDESC)
12h – CicloCine: “O Garoto da Bicicleta”
14h30 – Palestra “Cicloturismo”, com equipes dos projetos EcoAustral e Travessia Pacífico-Atlântico
16h – Palestra “A Bicicleta em Florianópolis”, com Fabiano Faga Pacheco (ViaCiclo)
17h30 – Entrega da Carta de Compromisso com os Ciclistas pelos candidatos

(clique sobre a imagem para ampliá-la)

CicloCine

O CicloCine ocorrerá às 12h, com a exibição do filme “O Garoto da Bicicleta” (Le Gamin au Vélo, Bélgica , 2011), vencedor do Grande Prêmio do Júri do Festival de Cannes. Leia aqui crítica no site Omelete.

Maratona Intermodal

Uma disputa interessante vai ocorrer juntos aos eventos ligados ao Ritmos das Cidades. Na Maratona Intermodal, os participantes têm que fazer percursos usando a criatividade para cumpri-lo com meios de transporte sustentáveis. Confira o regulamento AQUI.

Domingo, 23 de setembro

Beira-Mar Livre [de Carros]

Em alguns trechos no sentido Bairro-Centro, a Avenida Beira-Mar Norte será interditada para realização de atividades educativas e de lazer.

Passeio Ciclístico do Floripa Shopping

3º Passeio Ciclístico Floripa Shopping

Saúde nunca sai de moda, por isso o Floripa Shopping promove mais uma edição do Passeio Ciclístico no dia 23 de setembro, domingo.

O evento é uma iniciativa do Floripa Shopping em prol do Dia Mundial Sem Carro, comemorado em 22 de setembro.

O objetivo é promover uma atividade de conscientização para a prática esportiva, incentivando o uso da bicicleta, que é um meio de transporte ecologicamente correto e saudável.

Esta 3ª edição conta novamente com o patrocínio da Centauro do Floripa Shopping e da Ciclo Vil Bike. E traz ainda, pela primeira vez, o patrocínio da Plastkolor e Gráfica Natal.

O apoio ao evento é da Academia Curves e Nacional Supermercados do Floripa Shopping e da universidade Univali.

O percurso é de 5 km e a largada acontece na entrada principal do Floripa Shopping (SC-401), na área de estacionamento externa em frente ao shopping, às 9h da manhã. O trajeto será feito pela Rodovia Virgílio Várzea, sentido Norte da Ilha, até o Centro Administrativo do Governo do Estado com retorno ao mesmo local da largada.

Confira as atividades que teremos durante toda a manhã:

– A Centauro distribuirá bonés para os participantes;

– O Nacional disponibilizará garrafinhas de água para a hidratação dos participantes;

– Antes da pedalada, a Academia Curves realizará avaliação de gordura corporal nas participantes mulheres; e

– Profissionais da área da Saúde da Univali estarão presentes prestando serviços de bambuterapia e pinturinha de rosto e distribuindo balões.

O Passeio contará ainda com o apoio do 4º Batalhão da Polícia Militar de Florianópolis acompanhando e garantindo a segurança os participantes durante o percurso.

E, após a pedalada, haverá sorteio de brindes dos nossos parceiros e ainda o sorteio do prêmio principal, uma bike da Ciclo Vil Bike.

E aí, vamos pedalar?

 

Traga a família toda para este agradável passeio e faça você também parte do MOVIMENTO ECOFRIENDLY do Floripa Shopping.

Esperamos por você.

Sábado, 29 de setembro

Passeio Ciclístico dos Ingleses

PASSEIO CICLÍSTICO DOS INGLESES

Dia: 29/09/2012
Horário:
09 horas

Objetivo do evento:

Marcar o início revitalização da ciclovia dos Ingleses.

Haverá distribuição de bonés aos participantes do passeio ciclístico.

Haverá também um sorteio de 2 bicicletas entre os participantes do passeio ciclístico.

Concentração:

No local de concentração do evento será montado uma tenda para divulgação de projetos e programas ciclísticos, programa de conscientização de motoristas de ônibus, distribuição de folders de conscientização sobre uma boa convivência entre motoristas, ciclistas e pedestres e água aos participantes.

Organizadores:

– PMF: IPUF, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Sustentável, Secretaria de Obras e Secretaria de Transportes, Mobilidade e Terminais
– Comunidade do sistrito de Ingleses do Rio Vermelho

Apoio:

– Pró-Bici
– ViaCiclo
– Guarda Municipal
– Polícia Militar
– Grupo Globo

(Vídeo) Trailer do Desafio Intermodal de Florianópolis

O vídeo abaixo é apenas para se sentir o gostinho do que está por vir, com cenas exclusivas do Desafio Intermodal deste ano. Um agradecimento especial ao MULETA e aos estudantes do curso de cinema da UFSC pela edição!

Confiram aí abaixo.

Saiba mais:

Percepções e relatos do Desafio Intermodal de Florianópolis
Motos e bicicletas dominam Desafio Intermodal em Florianópolis 
Setembro, mês da mobilidade

Veja também:

Programação da Semana da Mobilidade na Grande Florianópolis
Mulher de bicicleta com cestinha vence Desafio Intermodal em Florianópolis

Notícias relacionadas:

Tempos preliminares do Desafio Intermodal Floripa 2011
Largada para o Desafio Intermodal de Florianópolis
Desafio Intermodal em Florianópolis

Links externos relacionados:

Pedala Floripa – Desafio Intermodal 2011 – Florianópolis
PMF – Vice Prefeito participa de maratona de mobilidade urbana

Percepções e relatos do Desafio Intermodal de Florianópolis

“Quando fui convidado pra fazer o percurso, de carro, fiquei bastante chateado, pois no ano passado, por estar de braço quebrado, não tive como escapar da incômoda tarefa de levar a jornalista e a minha bicicleta, dentro da latinha com rodas.

Cheguei na UFSC, um pouco antes do horário, depois de levar uma hora, pra ir do Campeche até ali, em virtude das obras de implicação da SC 405, que faz duplicar o tempo que eu levo de bicicleta. O Fabiano me avisou que eu iria, a pé, pelo Suli. Fiquei feliz, pois passaria, de novo, por um trecho que muitas vezes passei com passeatas e protestos, podendo observar as mudanças da urbanização do Saco dos Limões, nos últimos tempos.

A chuvinha miúda, recém chegada, foi a companheira dos primeiros passos, seguindo junto com os carros, que passavam, lentamente, permitindo que eu interagisse com os passageiros e motoristas, sem que ninguém tivesse me oferecido carona, ou mesmo um questionamento, pelo fato de eu ir caminhando. O trânsito só transitou depois do morro da Carvoeira, quando perdia os carros de vista. O que pude ver é que a maioria deles levava apenas um ser humano, tornando a relação custo/benefício bastante desfavorável a eles. Diferença esta manifesta nas protuberâncias glúteas e abdominais, que, flácidas, circulam preguiçosas, acumulando cólicas, asmas e colesterol. Por isso, preferi seguir pensando em coisas mais agradáveis. 

Lembrava do tempo que havia um pequeno córrego, trazendo água cristalina do alto do Morro da Cruz, rumo ao mangue do Itacorubi, que seguia à estrada até os domínios da Universidade. Isso lá pelos anos que se comprava leite em garrafa de vidro e o padeiro passava de galiota, puxado por um pangaré ensinado. A chegada da moradia vertical, na descida da Carvoeira, diminuiu a área de visibilidade do Saco dos Limões, e o aterro levou o berbigão para mais longe um pouquinho. Não sei se ainda se pode catar berbigão, porque muito cagalhão ainda desce pelos valões, contribuindo para a propagação de microorganismos aquáticos, que alteram sensivelmente a rotina dos diversos comensais que se apropriam daquele ambiente. Chegando no José Mendes, vi que não há mais fábrica de refrigerantes, e a loja de automóveis virou templo ecumênico. Na curva do Penhasco, pude agradecer a Nossa Senhora da Liberdade, pela oportunidade de estar curtindo uma paisagem de cartão postal. Faltava muito pouco pra terminar minha jornada, num final de tarde feito sob medida, pra saber com quantos passos se faz uma jornada.

Depois de atravessar a cracolândia, que estava esvaziada, ganhei a passarela e a parte mais sombria do trecho. Logo quando estava na entrada da Cidade, percebi o quanto aquele local é abandonado. Alguns mendigos, um butequinho e uma escuridão de cemitério compõem a paisagem mórbida do meu momento de chegada. Só aí eu pude perceber porque a maioria das pessoas não faz este trajeto, da forma lúdica e saudável que eu estava fazendo, mais uma vez. Apesar de todo meu prazer de ter feito aquele passeio, as condições das calçadas, o desconforto das perseguições dos carros, que, na ânsia de levar seus motoristas para casa, atropelam o pedestre, este ser tão estranho que insiste em ser humano.

Quando cheguei, fui informado que o secretário ainda não havia chegado, pelo seu sistema de transporte desintegrado. Eu levei menos de uma hora, e apenas quinze minutos a mais que o auto(i)móvel. Com certeza, o estresse que o motora teve, durante seus momentos de estacionalidade, foi muito maior que o meu prazer de ter curtido uma caminhada animada. O problema é que o dele vai para a coluna do custo, enquanto o meu consta como benefício. Portanto, muito mais saudável e sustentável.

Valeu, galera, pelo encontro festivo com todos nós. O Fabiano, o Daniel Biólogo Presidente da Viaciclo, a gurizada animada, o Audálio, que quando chegou saía fumaça por todos os poros, a chuva, os buracos da calçada, a fumaça de olhodisel dos ônibus lotados, e todos os que eu encontrei, que tornaram possível este instante de prazer e curtição.

Huli Huli”

Luiz Carlos Pereira, caminhante pelo sul

“Pena que não sei escrever tão bem como vocês, mas realmente o prazer de ir correndo e interagir com a natureza (poluição) é muito gratificante, ver que não é preciso estar preso às máquinas do progresso, que você pode ser mais rápido e ainda tirar todo o stress de uma semana de trabalho, é muito bom…

Todos os dias eu e meu colega vamos [de bike] – e, às vezes, quando acordamos cedo e conseguimos pegar uma carona com o Audalio, vamos os três  – dos Ingleses até o Itacorubi, ainda não tivemos coragem de fazer a volta, mas já é um começo e, com certeza, uma válvula de escape para toda a pressão e correria do dia a dia, que infelizmente a nossa sociedade continua a aumentar e chamar isso de progresso.

Não sei que progresso é esse que nos tira a segurança, o convívio com a família e a saúde. Como vocês disseram, por causa do progresso a sociedade tem a tendência de ficar sedentária e sem saúde. Onde vamos parar?”

Cássio Engel Vidal, corredor pelo norte (via Agronômica)

Vejam também os seguintes relatos:

Audálio Vieira Junior, corredor pelo Norte (via Av. Beira-Mar Norte).

Daniel Costa, coordenador de chegada.

Marcelo Vardanega, motociclista pelo Sul.

Aproveita-se, também, para atualizar a tabela com os tempos do Desafio.

Saiba mais:

Motos e bicicletas dominam Desafio Intermodal em Florianópolis 
Setembro, mês da mobilidade

Veja também:

O Eco – Outras Vias – Deixe seu carro em casa! Programação nacional para o DMSC 2011
Programação da Semana da Mobilidade na Grande Florianópolis
Mulher de bicicleta com cestinha vence Desafio Intermodal em Florianópolis

Notícias relacionadas:

Tempos preliminares do Desafio Intermodal Floripa 2011
Largada para o Desafio Intermodal de Florianópolis
Desafio Intermodal em Florianópolis

Links externos relacionados:

Pedala Floripa – Desafio Intermodal 2011 – Florianópolis
PMF – Vice Prefeito participa de maratona de mobilidade urbana

Tempos preliminares do Desafio Intermodal Floripa 2011

Segue abaixo, a pedidos, os tempos que cada modal levou para completar o Desafio Intermodal deste ano. Alguns tempos ainda estão sendo aferidos, dessa maneira, ainda podem sofrer alterações.

Saiba mais:

Motos e bicicletas dominam Desafio Intermodal em Florianópolis
Setembro, mês da mobilidade

Veja também:

Mulher de bicicleta com cestinha vence Desafio Intermodal em Florianópolis

Notícias relacionadas:

Largada para o Desafio Intermodal de Florianópolis Desafio Intermodal em Florianópolis

Links externos relacionados:

Beach Biker Blog – Desafio Intermodal 2011 – Florianópolis – Relato de um dos desafiantes que completou o percurso correndo.
Vice Prefeito participa de maratona de mobilidade urbana

Motos e bicicletas dominam Desafio Intermodal em Florianópolis

Com 18 minutos e 53 segundos, a motocicleta foi o meio de transporte mais veloz no Desafio Intermodal de Florianópolis. O engenheiro civil Marcelo Vardanega completou o percurso com pouco menos de um minuto de vantagem sobre o ciclista André Vinicius Mulho Costa, que estreou este ano a categoria bicicleta fixa. Ambos os desafiantes fizeram o trajeto pelo caminho sul. A despeito disso, a velocidade média da bicicleta foi maior, uma vez que André não pôde cortar caminho pelo Túnel Antonieta de Barros, já que o tráfego de bicicletas por ali é proibido. Dessa maneira, ele teve que percorrer cerca de 1,5km a mais para completar o percurso.

Adriano Mendes foi o terceiro a completar o percurso, percorrendo de moto um trajeto ao norte em 21min10s. Logo após, chegaram os ciclistas masculino e feminino que foram pelo sul com bicicleta comum (22min13s) e o ciclista masculino que fez o trajeto norte pela ciclofaixa da Agronômica (22min46s). Outro motociclista que fez um caminho pelo norte chegou bem depois, aos 34min25s.

De maneira geral, a moto e a bicicleta foram sensivelmente as mais velozes, seguido pelo automóvel e pelos desafiantes que foram correndo. O ônibus foi bastante prejudicado neste Desafio, com tempos bem elevados, sendo que um dos caminhantes, Luiz Carlos Pereira, chegou antes do vice-prefeito, João Batista Nunes, que se utilizou da linha de ônibus Volta ao Morro Carvoeira Norte, uma das mais curtas para se chegar ao Largo da Alfândega Sul.

Os últimos desafiantes a chegar foram caminhando pelo norte, sendo que a diferença entre aquele que foi pela Agronômica (por dentro) e pela Beira-Mar Norte foi de apenas 7min. Arthur Marinho, que contemplou a vista da Baía Norte, fez o percurso em 1h37min54s.

Os resultados finais do Desafio Intermodal devem sair na próxima quarta-feira, dia 21 de setembro.

Saiba mais:

Setembro, mês da mobilidade

Veja também:

Mulher de bicicleta com cestinha vence Desafio Intermodal em Florianópolis

Notícias relacionadas:

Largada para o Desafio Intermodal de Florianópolis
Desafio Intermodal em Florianópolis

Largada para o Desafio Intermodal de Florianópolis

Cai agora uma chuva fina na região central e na Bacia do Itacorubi, locais por onde passarão os desafiantes do Desafio Intermodal de Florianópolis, a ser realizado logo mais.

Por enquanto, continuando a chuva como está, o Desafio permanece de pé. Está confirmada a presença do vice-prefeito e secretário de Transportes, Mobilidade e Terminais, João Batista Nunes, e da Diretora de Operações da mesma secretaria, Lúcia Maria Mendonça Santos, que utilizarão o transporte público em seus deslocamentos.

Teremos este ano ainda, pela primeira vez, a presença de patinadores e ciclistas com bicicleta de roda fixa. Haverá, também, integração entre bicicleta dobrável e ônibus.

As demais categorias permanecem as mesmas do último Desafio Intermodal. Haverá motoristas de automóvel e condutores de motocicleta seguindo pelo norte e pelo sul, bem como corredores e pedestres. Outras novidades dessa edição será a presença de ciclistas que farão o trajeto pela ciclovia da Av. Beira-Mar Norte, menos comum de ser usada nos deslocamentos urbanos que compreendem a rota em questão.

Além do tempo de deslocamento, compreenderão na avaliação geral do desafio a emissão de poluentes, a velocidade média, o custo econômico do deslocamento e uma avaliação subjetiva relacionada a conforto, praticidade, segurança e conflitos no trânsito.

Saiba mais:

Desafio Intermodal em Florianópolis
Setembro, mês da mobilidade

Veja também:

Mulher de bicicleta com cestinha vence Desafio Intermodal em Florianópolis

Desafio Intermodal em Florianópolis

Será realizado nesta quinta-feira, 15 de setembro, mais uma edição do Desafio Intermodal de Florianópolis. Mas, afinal, o que é esse desafio?

É o desafio do trânsito! Na hora do rush, em que mais pessoas estão às ruas, vai se aferir, com bases em alguns dados obtidos ao final do desafio o potencial de sustentabilidade de cada meio de transporte participante. O desafio, apesar de tudo, não tem um cunho científico, mas é interessante para mostrar alguns retratos, situações e contradições da situação enfrentada pelos usuários de cada modal no trânsito da capital catarinense.

A Desafio Intermodal é realizado na capital, no mínimo, desde 2007 e antecede as atividades da Semana da Mobilidade Sustentável e da Semana da Bicicleta. Este ano, já foi realizado o desafio no Rio de Janeiro e nos próximos dias devem ocorrer nos municípios de Recife, São Paulo, Brasília, Aracaju, Salvador, São José dos Campos, Maceió, Curitiba, Maringá, Belo Horizonte, Uberlândia, Balneário Camboriú, Porto Alegre, Belém e Natal.

São Paulo, Balneário Camboriú e Florianópolis já combinaram a realização de seus Desafios Intermodais para esta quinta-feira, dia 15 de setembro. A capital paulista contará com 18 categorias de intermodais. A Associação de Ciclistas de Balneário Camboriú e Camboriú irá, pelo segundo ano seguido, realizar o Desafio Intermodal em Balneário Camboriú.

Em Florianópolis, teremos todas as categorias do ano anterior mais a estréia de patins. De maneira geral, irão dois conjuntos de pessoas com modais diferentes que sairão da Concha Acústica da Universidade Federal de Santa Catarina cerca de 18h15min para, cada um com seu modal, chegarem ao ponto de controle, no Largo da Alfândega, no Centro. Um conjunto de pessoas fará esse trajeto pelo caminho norte e outro pelo sul. As leis de trânsito devem ser respeitadas. Constam em cada grupo pessoas que farão o trajeto de ônibus, caminhando, correndo, de bicicleta, de motocicleta e de automóvel.

Entre os itens avaliados, estão o tempo de deslocamento, a distância e a velocidades médias de cada modal, o custo de cada deslocamento, a emissão de poluentes e a percepção sobre segurança, conforto e praticidade de cada meio de transporte.

Vinte pessoas estão confirmadas e escaladas para participar do Desafio Intermodal da cidade este ano. Entre elas, três figuras públicas ligadas à área dos transportes na capital.

A Desafio Intermodal desterrense deste ano é uma promoção Bicicleta na Rua, Bicicletada Floripa e ViaCiclo e conta com o apoio do grupo de pedal Duas Rodas MTB Floripa, Secretaria Municipal de Transportes, Mobilidade e Terminais, Pró-Bici, Movimento Passe Livre, Pedarilhos, Grupo de Estudos e Educação Ambiental/CCB/UFSC.

Se alguém ainda tem interesse em participar, pode entrar em contato aqui pelo blogue mesmo.

[Atualização em 16 de setembro, à 1h45min: o Desafio Intermodal de São Paulo vai ocorrer dia 20/09].

Saiba mais: 

Mulher de bicicleta com cestinha vence Desafio Intermodal em Florianópolis 

Setembro, mês da mobilidade

Setembro é tido no Brasil como o mês da mobilidade sustentável. Nos últimos anos, têm sido freqüentes os eventos e debates que reforçam essa idéia. Diversas cidades do país, por exemplo, envolvem-se politicamente na promoção de atividades durante o Dia Mundial Sem Carros, que ocorre em 22 de setembro. Há anos, grandes pedaladas ocorrem nesse dia em cidades como São Paulo, Florianópolis e Rio de Janeiro. Com o trânsito cada vez mais caótico que tem assombrado até as médias cidades, fica premente que o planejamento urbano deve levar em conta alternativas aos meios de transporte que contemplem não apenas o automóvel.

Até a cidade estadunidense de Boston, conhecida por não ser amigável ao pedalar, está revendo seus conceitos e apostando em novas formas de deslocamento para seus cidadãos. Disponibilizou 600 bicicletas coletivas, investindo US$ 5,7 milhões para mudar sua imagem.

Outras cidades que, tradicionalmente, investiam preferencialmente na construção de novas pontes e rodovias estão se rendendo a mudar sua forma de pensar. Los Angeles, por exemplo, começa agora, tardiamente, a investir na requalificação de seu espaço urbano, incluindo a revitalização de passeios e a implantação de ainda tímidas ciclovias.

E já não era sem tempo! Os constantes engarrafamentos fizeram até que uma empresa de avião operasse vôos de um lado a outro da cidade por apenas US$ 4,00! O paradigma da rapidez dos veículos motorizados na cidade foi posto em cheque em julho deste ano. Numa espécie de Desafio Intermodal local, seis ciclistas desafiaram o avião e… chegaram com uma hora de antecedência!!!

Ainda assim, Los Angeles continua uma cidade dúbia! Mesmo com o fechamento para obras da principal rodovia americana, que passa pelo município, tendo ocasionado uma redução dos congestionamentos, os investimentos em sua ampliação superam em muito aqueles fornecidos à mobilidade por bicicleta e aos pedestres.

Enquanto algumas cidades ainda temem em enxergar em problemas as suas soluções, São Paulo, no último ano, tem trilhado um caminho mais próspero! Depois de a bicicleta ter chegado até à frente do helicóptero, no Desafio Intermodal realizado em 2009, vislumbram os ciclistas paulistanos um futuro melhor, embora ainda marcado de incertezas. A Ciclofaixa São Paulo, opção de lazer aos domingos, foi consideravelmente ampliada e, certeiramente, novos parques urbanos serão implantados no município ao longo de sua extensão. Pipocam projetos de  infraestrutura  cicloviária e, ao contrário de uma década atrás, quando planos cicloviários regionais foram criados e não saíram do papel, hoje São Paulo conta com forte pressão de associações de ciclistas para a implementação das melhorias.

A posição de Florianópolis também é dúbia. Enquanto são estudados novos locais para bicicletários, novas malhas cicloviárias e até mesmo um sistema de aluguel de bicicletas, vemos algumas obras fundamentais serem realizadas de maneira que não melhoram o trânsito e ainda colocam em risco a vida dos usuários da bicicleta. Exemplo mais gritante disso são as novas obras de nova pista na SC-405, no Rio Tavares. O aumento da velocidade dos automóveis nos trechos iniciais somados a uma diminuição de seu espaço de circulação põe em risco a vida dos ciclistas que trafegam pela região. Mesmo os planos do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF) prevendo as novas obras, que incluem nova pista e acostamento, previam eles também passeios e ciclovia. O Ministério Público exigiu a construção de ciclovia em um ano no local, bem como a Comissão Municipal de Mobilidade Urbana por Bicicleta (Pró-Bici) também se manifestou favorável aos ciclistas.

Outros exemplos da cidade refletem melhor o tom dúbio do discurso. Oficialmente inauguradas entre um e dois anos atrás, as ciclofaixas feitas ao final do próprio Rio Tavares e na Cachoeira do Bom Jesus ainda hoje não foram finalizadas. Postes são um obstáculo constante e perigoso em ambos os trechos. Ao mesmo tempo, no Ribeirão da Ilha, a tão sonhada ciclovia que consta no projeto executivo transmutou-se em passeio compartilhado que sofre, assim como a ciclofaixa da Rua Bocaiúva, constantes invasões por automóveis.

Dessa maneira, a mobilidade na cidade, tanto para quem anda de automóvel quanto para quem usa a bicicleta anseiam, ainda, medidas mais eficazes para rapidez e segurança dos usuários.

Os ciclistas depositam suas esperanças na integração intersetorial que o Pró-Bici trouxe consigo. A população em geral aguarda ainda a corajosa aposta no BRT (Bus Rapid Transit), apontado como uma plausível solução por especialistas estrangeiros e locais durante o Fórum Internacional sobre Mobilidade Urbana. Para quem hoje consegue ver soluções de longo prazo em suas próprias cidades, fica claro que novas pontes não são o caminho para melhorar a mobilidade urbana e que apenas investimentos no binômio transporte ativo + transporte coletivo estão na resposta que equaciona as soluções de trânsito das cidades do futuro.

Chegamos agora no melhor período para se pensar a mobilidade de forma integrada e holística. Sem preconceitos. Sem medo de inovar. Setembro já chegou!

Fabiano Faga Pacheco 

Semana da Mobilidade Sustentável em Florianópolis

Dia Mundial Sem Carros
Promova esta idéia!

Programação

DATA

ATIVIDADE

LOCAL

ORGANIZAÇÃO

16/09; noite

Desafio Intermodal

Trindade/
Centro
Movimento Bicicletada Floripa
22/09; 8h

Pedalada e Caminhada do Campeche

Fazenda do Rio Tavares e Campeche Escola da Fazenda
22/09; durante o dia

Rua de Lazer

Campo de Aviação e Av. Paulo Fontes Sesi
22/09; durante o dia

Alameda cultural

Av. Paulo Fontes Fundação Franklin Cascaes
22/09; durante o dia

Tabuleiro Bicicleta para o Trabalho

Av. Paulo Fontes Sesi
22/09; durante o dia

Atividades de assistência à Saúde

Av. Paulo Fontes Secretaria Municipal da Saúde
22/09;
durante o dia

Exposição acadêmica

“Mobilidade ativa”

Av. Paulo Fontes

Projeto Pedala Floripa

Cefid/Udesc

22/09; durante o dia

Estacionamento gratuito para ciclistas

Estacionamento da Aflov na Av. Paulo Fontes

Aflov

22/09;
durante o dia

Pedágio do Brinquedo

Av. Paulo Fontes/
Ticen
RBS TV/CDL Florianópolis
22/09;
18h30min

Unimed em Movimento

Trapiche da Beira Mar Norte

Unimed Grande Florianópolis

22/09; 19h30

Pedal Unificado

Saída do Koxixo’s

ViaCiclo

22/09; 19h

Audiência Pública “Medidas legais para desestímulo ao uso do automóvel”

Câmara Municipal

Vereador Dr. Ricardo – Presidente da Frente Parlamentar de Mobilidade Urbana

24/09;
18h

Unimed em Movimento

Trapiche da Beira Mar Norte Unimed Grande Florianópolis
24/09;
19h

Bicicletada Floripa

Roteiro a definir

Movimento Bicicletada Floripa

24/09;
19h30

Cinema mobilidade: “Em trânsito”, de Henri Arraes

Escola da Fazenda

Escola da Fazenda

25/09; 15h

Bicicletada da Lagoa

Lagoa da Conceição Movimento Ciclovia na Lagoa Já
Durante a semana

Atividades educativas da Rede Municipal de Educação

Escolas Municipais Escolas Municipais
Inscrições abertas

Concurso Fotográfico Mobilidade Sustentável

Escola da Fazenda 3 escolas do Sul da Ilha

 

DATA

ATIVIDADE

LOCAL

ORGANIZAÇÃO

16/09; noite

Desafio Intermodal

Trindade/

Movimento Bicicletada Floripa

Centro

22/09; 8h

Pedalada e Caminhada do Campeche

Fazenda do Rio Tavares e Campeche

Escola da Fazenda

22/09; durante o dia

Rua de Lazer

Campo de Aviação e Av. Paulo Fontes

Sesi

22/09; durante o dia

Alameda cultural

Av. Paulo Fontes

Fundação Franklin Cascaes

22/09; durante o dia

Tabuleiro Bicicleta para o Trabalho

Av. Paulo Fontes

Sesi

22/09; durante o dia

Atividades de assistência à Saúde

Av. Paulo Fontes

Secretaria Municipal da Saúde

22/09;

Exposição acadêmica

Av. Paulo Fontes

Projeto Pedala Floripa

durante o dia

“Mobilidade ativa”

Cefid/Udesc

22/09; durante o dia

Estacionamento gratuito para ciclistas

Estacion. Aflov Av. Paulo Fontes

Aflov

22/09;

Pedágio do Brinquedo

Av. Paulo Fontes/

RBS TV/CDL Florianópolis

durante o dia

Ticen

22/09;

Unimed em Movimento

Trapiche da Beira Mar Norte

Unimed Grande Florianópolis

18h30min

22/09; 19h30

Pedal Unificado

Saída do Koxixo’s

ViaCiclo

22/09; 19h

Audiência Pública “Medidas legais para desestímulo ao uso do automóvel”

Câmara Municipal

Vereador Dr. Ricardo – Presidente da Frente Parlamentar de Mobilidade Urbana

24/09;

Unimed em Movimento

Trapiche da Beira Mar Norte

Unimed Grande Florianópolis

18h

24/09;

Bicicletada Floripa

Roteiro a definir

Movimento Bicicletada Floripa

19h

24/09;

Cinema mobilidade: “Em trânsito”, de Henri Arraes

Escola da Fazenda

Escola da Fazenda

19h30

25/09; 15h

Bicicletada da Lagoa

Lagoa da Conceição

Movimento Ciclovia na Lagoa Já

Durante a semana

Atividades educativas da Rede Municipal de Educação

Escolas Municipais

Escolas Municipais

Inscrições abertas

Concurso Fotográfico Mobilidade Sustentável

Escola da Fazenda

3 escolas do Sul da Ilha

Obs.: Em caso de chuva, o Pedal Unificado será CANCELADO. A Bicicletada, entretanto, seguirá mantida.

Veja mais em http://www.viaciclo.org.br/portal/mob-sust-2010.

Mulher de bicicleta com cestinha vence Desafio Intermodal em Florianópolis

Logo Bicicleta na Rua

A edição de 2009 do Desafio Intermodal, realizado ontem em Florianópolis, terminou com a bicicleta chegando à frente dos demais meios de transporte. Surpresa? Nem tanto. É o segundo ano seguido que a “magrela” supera todos os outros veículos no teste para ver quem chega mais rápido no complicado trânsito da capital catarinense.

Mesmo assim, foi curiosa a cena de ver uma mulher chegando com sua bicicleta com cestinha antes de todos os outros participantes. A ciclista, Ana Carolina Vivian, 22 anos, fez o percurso da UFSC até o Largo da Alfândega pelo caminho Sul e completou o trajeto em 21min59s. Ana Carolina passou a pedalar no dia a dia há 2 anos, por influência do namorado. Tomou gosto pelas pedaladas e, na metade do ano, apresentou seu trabalho de conclusão do curso de Moda da Udesc com o título “Adequação do vestuário para o ciclista urbano”.

Pouco depois de Ana Carolina, chegaram, praticamente juntos, Alessandro Della Giustina, que fez o percurso Norte de moto em 23min08s, Luis Fernando Vaz Teixeira, que seguiu de bicicleta pelo caminho Norte em 23min19s, e André Geraldo Soares, que chegou 23min46s após ter saído de moto e seguido pelo Sul.

Esses resultados parecem ser suficientes para demonstrar que a bicicleta pode ser utilizada como um veículo ecológico, eficiente e veloz na região central de Florianópolis.

Os automóveis chegaram antes do transporte público no Desafio Intermodal. Quem veio pelo Sul demorou 26min07s de carro e 32min07s para cumprir o trajeto mais rápido de ônibus. Este foi o tempo que Roberta Raquel e Aline  Terezinha de Souza demoraram usando a linha UFSC Semidireto. Em compensação, André Vinicius Mulho Costa, que pegou o ônibus Volta ao Morro Carvoeira Norte, levou 49min05s para fazer a rota Sul, tempo superior ao do participante que pegou a mesma linha no Desafio Intermodal do ano passado. Resultado semelhante teve o participante Fabiano Faga Pacheco, que foi de ônibus pelo trajeto Norte, sendo o último dos desafiantes a chegar. Pegando o Volta ao Morro Carvoeira Sul, Fabiano demorou 54min39s, cerca de 12min a mais que o participante que utilizou esse modal em 2008. “Tinha muito carro na rua e o ônibus não conseguia desenvolver velocidade”, disse Fabiano, que aproveitou o tempo para ler algumas páginas de um livro.

Participantes posam para foto antes da largada do Desafio Intermodal.

Participantes posam para foto antes da largada do Desafio Intermodal.

Excesso de automóveis nas ruas é dos principais motivos para explicar os constantes engarrafamentos que cada vez se agravam mais em Florianópolis. Com uma frota de cerca de um veículo para cada 1,6 habitante, a capital catarinense ainda carece de investimentos em transportes público e não-motorizado. Mesmo sem ter um estudo de origem-destino desde os anos setentas, vários horários de ônibus estão deixando de existir e alguns trajetos estão sendo encurtados. As redes de ciclovias e ciclofaixas não estão interligadas e resta agora apenas uma pessoa em órgão público municipal para cuidar dos novos projetos cicloviários. Com isso, o sistema de bicicletas públicas da capital, o Floripa Bike, além das ciclovias de Coqueiros e circum-universitária vão ter sua implementação atrasada. Faltam bicicletários em diversos prédios públicos e terminais de integração de ônibus.

Esperanças futuras (?)

Florianópolis passou a ter corredores exclusivos de ônibus a partir de março de 2009. Com isso, as viagens de algumas linhas passaram a ser feitas em um tempo substancialmente menor. Ainda é pouco, mas um bom começo. Os corredores devem ser estendidos a mais locais. Inclusive ao Sul da Ilha, onde está em construção uma terceira pista no Rio Tavares. Uma pesquisa de origem-destino é urgente para conhecer melhor o quadro dos deslocamentos urbanos e, assim, planejar melhor o itinerário das linhas de transporte público.

Novas ciclovias estão sendo implementadas ou projetadas, como na Lagoa da Conceição ou em Coqueiros. Mas as ciclofaixas do Campeche e da R. Bocaiúva, bem como o passeio compartilhado do Ribeirão da Ilha e a ciclovia do Itacorubi ainda não foram finalizados. Em compensação, o último trecho da ciclovia da Av. Hercílio Luz deve ser inaugurado nos próximos dias. Se as obras já iniciadas forem finalizadas até o final do ano, algo provável apenas no Campeche e na R. Bocaiúva, e se a fiscalização conseguir inibir que automóveis estacionem sobre as ciclofaixas haverá um bom avanço. O risco que se tem quanto a um futuro melhor para quem usa bicicleta, patins e skate para se deslocar vem justamente do fato de haver apenas uma pessoa que cuida de tudo relacionado à bicicleta em Florianópolis quando a cidade já deveria contar com um departamento próprio para tratar do assunto, contando com uma grande proximidade e sintonia entre as Secretarias de  Turismo, Cultura e Esportes, de Obras e de Transportes, Mobilidades e Terminais e o Instituto d Planejamento Urbano de Florianópolis.

A cidade obteve avanços na área do transporte não-motorizado, mas não deve parar por aí. Estimativas indicam que, na região central, houve um acréscimo de 80% no número de viagens por bicicleta, e surgiram, pelo menos, quatro novos grupos de ciclistas apenas em 2009. Há uma demanda reprimida de potenciais ciclousuários esperando maiores  investimentos para tirarem as bicicletas às ruas.

Florianópolis precisa concentrar seus recursos na área de transportes para a mobilidade não-motorizada e o transporte coletivo, de preferência buscando integração entre ambos. Investimentos no transporte motorizado individual, ainda mais numa cidade em que a taxa de ocupação é de 1,4 pessoa por automóvel, só tendem a agravar o problema do trânsito, sem contar aqueles gerados pelas poluições sonora e do ar e pela violência social.

Desafio Intermodal 2009 - tabela

Saiba mais:

Florianópolis congestionada
Bicicleta é parte da solução para melhorar mobilidade urbana em Florianópolis
Novas ciclovias em Florianópolis

Veja também:

Charge – Assim caminha o transporte em Florianópolis
Charge – A Ilha tá afundando

Notícias relacionadas:

Florianópolis realiza Desafio Intermodal nesta sexta-feira

top-posts_wordpress

Florianópolis realiza Desafio Intermodal nesta sexta-feira

O Desafio Intermodal, uma espécie de competição no trânsito para ver quem chega primeiro em um destino pré-deteminado, terá sua versão florianopolitana nesta sexta-feira, 18 de setembro.

Os desafiantes sairão da Concha Acústica da UFSC com destino ao Largo da Alfândega às 18h. Cada um usará um meio de transporte e uma rota diferente, seguindo caminhos pelo norte ou pelo sul da Ilha. Os veículos participantes desta edição do Desafio Intermodal são bicicleta, automóvel, motocicleta e ônibus.

No ano passado, a bicicleta foi o veículo mais rápido – e também o mais eficiente – em ambas as rotas, seguida pela moto.

O Desafio Intermodal é organizado pela ONG ViaCiclo e faz parte da programação para o Dia Mundial Sem Carros e da Semana Nacional do Trânsito.

Saiba mais:

Blumenau – Bicicleta vence Desafio Intermodal em Blumenau
Curitiba – Começou o mês sem carro 2009 + vídeo + Ciclista ganha pela terceira vez consecutiva desafio de mobilidade em Curitiba
Rio de Janeiro – O Tempo no Intermodal
São Paulo – Bicicleta vence desafio entre meios de transporte em SP

Bicicleta é parte da solução para melhorar mobilidade urbana em Florianópolis

As reportagens abaixo foram originalmente publicadas na edição impressa do periódico Diário Catarinense, em 29 de maio de 2009 (pág. 25). Você pode ver as matérias no site do DC aqui e aqui.

Diário Catarinense

Trânsito no limite

Uma aliada da boa saúde e do ambiente

Bicicletas são alternativas que podem garantir mais segurança e agilidade

Diminuir a poluição e deixar o sedentarismo de lado. É certo que é menos cômodo, mas deixar o carro na garagem e adotar a bicicleta traz um ganho social ainda mais amplo: contribuir para a diminuição dos congestionamentos nos grandes centros urbanos.

Na Capital, considerando o tempo de deslocamento, optar pelo carro, na maioria das vezes, não é o mais vantajoso. O teste, chamado de desafio intermodal, foi feito em setembro do último ano pela Associação de Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo) com dois grupos de bicicletas, motos, carros e ônibus, saindo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e chegando ao Largo da Alfândega, no Centro.

Preferência legal dos ciclistas nem sempre é respeitada entre os motoristas. Foto: Diego Redel.

Preferência legal dos ciclistas nem sempre é respeitada entre os motoristas. Foto: Diego Redel.

Um grupo foi pelo trajeto Norte e outro, pelo Sul. Em ambos, as bicicletas chegaram primeiro. Os tempos de deslocamento também foram os mais baixos em cada grupo.

No trajeto Sul, a bicicleta conseguiu a maior velocidade média em seu grupo, de 20,58 km/h. No Norte, a moto alcançou a maior velocidade média, mas a bicicleta ficou em segundo.

No levantamento final, a ViaCiclo chegou ao comparativo de gasto de R$ 5,14 para o carro que fez o trajeto Norte, enquanto as bicicletas não tiveram custos. Contando todas as variáveis – incluindo a avaliação dos participantes – as bicicletas tiveram a melhor média final: nota 8,96 da bicicleta do trajeto Norte contra 2,71 do carro do trajeto Norte.

Lei dá prioridade aos ciclistas

Para o diretor administrativo da ViaCiclo, André Soares, o desafio ratifica o que já se imaginava:

– Não foi surpresa para nós a bicicleta ser mais eficiente perante os itens determinados. O teste já tem sido feito em outras cidades, e o resultado é sempre positivo para esse meio de locomoção.

Além do que foi estudado no teste, Soares também destacou a facilidade de estacionar a bicicleta. Com um cadeado, o ciclista consegue amenizar o perigo de roubo. Como ele lembrou, o risco também existe para os carros.

Soares ressaltou, ainda, que falta segurança aos ciclistas e nem sempre a lei de trânsito – que dá a preferência a quem está de bicicleta – é cumprida.

Mesmo assim, os ciclistas já perceberam que a opção pode ser a melhor no trânsito. Jader Asanuma está vendendo sua motocicleta por medo de um acidente. A opção foi pela bicicleta.

– Faço compras para o restaurante onde trabalho de bicicleta. É muito diferente uma queda de moto e uma queda de bicicleta. Fico ligado nos cruzamentos e geralmente dou o lado, mas de bicicleta é mais tranquilo – afirmou.

Por Lilian Simioni

Pedalando. Capital possui 18,5km de ciclovias e ciclofaixas.(Veja em .pdf)

Mudança cultural é passo obrigatório

O colombiano Ricardo Montezuma, que trabalha com a questão da mobilidade urbana, com foco no transporte por bicicletas em várias cidades do mundo, palestrou em uma convenção ontem, na Capital. Ele apontou três fatores como essenciais para que uma sociedade adote a bicicleta como meio de transporte.

A mudança cultural de pessoas que usam bicicletas e de quem usa carros, inclusive com aportes financeiros, é o primeiro ponto. Depois, Montezuma destacou a vontade política e a infraestrutura de planejamento.

Para ele, na maioria das cidades da América Latina os problemas de falta de segurança são os primeiros que inibem o uso do meio de transporte. Montezuma lembrou que é importante destacar o que já existe na cidade. Em Florianópolis, por exemplo, ele citou a ciclovia da Avenida Hercílio Luz. O passo seguinte é persistir com os projetos, incrementando as ações sem buscar pretextos para abandonar o plano.

– Se a ciclovia não funciona bem é porque algo está errado. Não é possível fazer uma cidade onde todos andam de carros, mas é possível fazer uma cidade em que todos andem de bicicleta, a pé ou de transporte coletivo – avaliou.

Capital tem projeto para mais de 27 quilômetros

Segundo a arquiteta do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (Ipuf), Vera Lúcia da Silva, em Florianópolis a projeção é positiva. Entre ciclovias e ciclofaixas executadas, em execução ou para serem aprovadas, são aproximadamente 27,4 quilômetros de extensão no programa chamado Rotas Inteligentes.

– É fundamental o investimento em campanhas educacionais para a sensibilização da população sobre as vantagens no uso da bicicleta e o trânsito seguro – concluiu.

Dicas para iniciantes

> Faça o trajeto inicialmente em um domingo, dia com menor movimento de carros

> Observe e estude as ruas, os cruzamentos e as faixas de pedestres. Compare as rotas e identifique qual a melhor. A locomoção diária de bicicleta exige conhecimento e habilidade

> Para tornar a locomoção mais agradável, encontre alguém para fazer a rota com você. Isso cria um vínculo de socialização

> Utilize uma bicicleta adequada, regulada e confortável

> Conheça as leis de trânsito, que são favoráveis ao ciclista

> Onde não houver ciclovia, tenha cuidado. Ande do lado direito, mas permita que o motorista enxergue que você está na rua

> É conveniente o uso de capacete e espelho retrovisor

> Prepare-se e persista ao longo do tempo

%d blogueiros gostam disto: