(II) Especial Floribike: São Paulo e Rio de Janeiro foram pioneiros

bicicleta_na_rua3-joel pacheco

Primeiras versões foram remodeladas

O sistema de bicicletas coletivas chegou ao Brasil em 2009, implantado de forma quase simultânea em São Paulo e no Rio de Janeiro. No exterior, é comum observá-lo em cidades européias e na América do Norte.

Em São Paulo, a iniciativa começou com o Instituto Parada Vital. Com o apoio da Porto Seguro, implantou aluguel de bicicletas junto a estações de metrô e estacionamentos da rede Estapar na Avenida Paulista. O sistema não era automatizado, sendo que foram constantes as reclamações de usuários quanto à demora para se retirar uma bicicleta, mesmo com cadastro já feito.

Possuía um caráter social, dando oportunidades de emprego e treinamento a jovens de comunidades carentes. Além do empréstimo de bicicletas, também possibilitava o estacionamento de bicicletas dos usuários. O serviço funcionava, de início, até às 22h, com alguns dias, como durante as Bicicletadas, fechando às 23h. Atualmente, várias estações encontram-se desativadas.  No site da empresa, diz que existem 16 estações junto aos metrôs, além de uma na EMTU e duas em unidades educaionais. Alguns deles, entretanto, não tem estado funcionando

Já o sistema carioca já começou automatizado. A empresa Serttel, que concorre também em Florianópolis, tinha implantado 8 estações, cada uma com 10 bicicletas, na região de Copacabana, Vieira Souto e Lagoa Rodrigo de Freitas. A retirada e devolução das bicicletas era feita mediante SMS, fornecendo os números contidos nas estações.

Em 2011, entretanto, houve uma imensa reformulação tecnológica. Novos aplicativos facilitaram a vida de quem queria usar o sistema. As bicicletas ganharam cores novas com o patrocínio Master do Itaú e o SAMBA (Sistema Alternativo de Mobilidade por Bicicletas de Aluguel) virou o atual BikeRio, Hoje, são 60 estações e 600 bicicletas disponíveis no Rio de Janeiro.

<Saiba mais:

(I) Especial Floribike: Edital de concorrência será lançado no aniversário da cidade
(II) Especial Floribike: São Paulo e Rio de Janeiro foram pioneiros
(III) Especial Floribike: Projeto de bicicletas coletivas vem de 2009
(IV) Especial Floribike: Conheça as concorrentes – Compartibike
(V) Especial Floribike: Conheça as concorrentes – Movement Barcelona
(VI) Especial Floribike: Conheça as concorrentes – Serttel
(VII) Especial Floribike: As empresas que ficaram pelo caminho
(VIII) Especial Floribike: A opção por Nova York
(IX) Especial Floribike: Compartilhamento universitário
(X) Especial Floribike: Iniciativa do interior do Paraná é premiada
(XI) Especial Floribike: Bicicletas coletivas que salvam vidas
(XII) Especial Floribike: Como funcionará em Florianópolis

Veja também:

Floribike: encaminhamento do edital homenageou os 10 anos da Bicicletada em Florianópolis
Apenas duas empresas são habilitadas a concorrer ao sistema de bicicletas públicas de Florianópolis
Aberto edital de pré-qualificação do sistema de bicicletas públicas de Florianópolis
Aluguel de bicicletas de Florianópolis é tema de Podcast
Embora pronto, edital das bicicletas públicas de Florianópolis não será lançado em 2011
Ata da Audiência Pública do Sistema de Bicicletas Públicas de Florianópolis (Floribike)
Florianópolis dá primeiro passo para implantação de bicicletas coletivas
Audiência pública debaterá aluguel de bicicletas em Florianópolis
Aluguel de bicicletas de Florianópolis deve ficar pronto em novembro de 2012
Florianópolis espera contar com bicicletas públicas em 2012

Floripa realiza a primeira Semana Internacional da Bicicleta

Entre os dias 20 e 25 de abril, acontecerá em Florianópolis a I Semana Internacional da Bicicleta. O evento contará com palestras, oficinas e workshops gratuitos e abertos à comunidade mediante inscrição prévia (que já estão no final). A realização é do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF) em parceria com a rede Cities for Mobility (de Stuttgart, Alemanha) e as ONGs ViaCiclo e Interface for Cycling Expertise (I-ce), da Holanda, através do Bicycle Partnership Program (BPP).

Sinterbici

O evento tem como foco o transporte e suas implicações para a coesão social, com destaque para os programas de bicicletas públicas,  a acessibilidade das crianças às escolas e o papel do transporte não-motorizado na promoção das Metas do Milênio (redução da pobreza, direito à educação e sustentabilidade).

Na vanguarda dos programas de bicicleta pública do Brasil, estarão na Semana Internacional da Bicicleta, o presidente da Sertell, Ângelo Leite, responsável pela iniciativa carioca SAMBA, e o presidente do Instituto Parada Vital, Ismael Domingues Caetano, que, em parceria com a seguradora Porto Seguro, implantou o sistema paulistano UseBike.

A Programação da I Semana Internacional da bicicleta está imperdível, recheada de “feras” do Brasil, da Alemanha e da Holanda, que nos mostram que um futuro melhor é possível.

O encontro conta com o apoio do Ministério das Cidades, através da Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana (SEMOB), do Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Departamento Estadual de Infraestrutura (DEINFRA), da Prefeitura Municipal de São José, através da Secretaria de Obras, do FloripAmanhã, Bicicletada Floripa, além de Fundação Movilization, International Bicycle Consultancy (IBC) e AH8 – Escritório de Planejamento e Projetos Cicloviários.

Abaixo, parte do texto de divulgação da Semana:

Florianópolis alia-se ao movimento global em direção à sustentabilidade dos transportes, o que inclui o uso da bicicleta, um modal econômico, acessível e não poluente de deslocar os cidadãos dentro da cidade.

Recentemente a capital catarinense foi escolhida pela Rede Mundial de Cidades pela Mobilidade Urbana (Cities for Mobility) para coordenar o grupo temático sobre transportes não motorizados. Além disso, a cidade também foi acolhida pelo Programa de Parcerias pela Bicicleta (Bicycle Parnership Program), que disponibiliza auxílio técnico do governo holandês.

O evento será uma excelente oportunidade para obter conhecimentos sobre o que há de mais avançado em termos de mobilidade ciclística no mundo, além de oportunizar a troca de experiências entre os participantes.

Saiba mais:

UseBike: resumindo – XuPaKaVrAz explica como funciona o sistema de bicicletas públicas de São Paulo.

Como utilizar as bicicletas de aluguel cariocas – o blogue da Transporte Ativo ensina os cariocas a usar o SAMBA.

%d blogueiros gostam disto: