Charge – Não chegue antes na escola, filho!

Não vais chegar antes na escola, filho! A mamãe te leva de carro, tá?

A charge acima foi publicada no Jornal de Santa Catarina, na edição de 24 de agosto de 2009. A autoria dela é de Cao.

Ela pode ser vista também através deste link.

Veja também:

Charge – Assim caminha o transporte em Florianópolis
Charge – A Ilha tá afundando

 

 

top-posts_wordpress

Bicicleta ganha espaço em Blumenau

A reportagem abaixo foi originalmente publicada no Jornal de Santa Catarina, na edição de 20 de agosto de 2009. Você pode ver a matéria no site do periódico aqui e aqui.

Jornal de Santa Catarina - logo

INFRAESTRUTURA URBANA

Sinal verde para as bicicletas

Poder público prevê ampliar malha cicloviária no Centro de Blumenau até dia 22 de Setembro.

BLUMENAU – Os adeptos do Dia Mundial Sem Carro, em 22 de setembro, terão um motivo a mais para deixar os veículos em casa em comemoração à data. Até lá, Secretaria de Planejamento Urbano e Secretaria de Serviços Urbanos pretendem expandir a malha cicloviária na região central da cidade. Na prática, o ciclista poderá sair da Rua Almirante Barroso, no Bairro Itoupava Seca, e chegar até a Alameda Rio Branco, no Centro, em vias exclusivas para bicicletas.

O circuito inclui ruas ainda carentes de ciclovias, como a Alberto Stein e a 7 de Setembro. Na Rua 7 de Setembro, parte da faixa restrita ao ciclista será implantada sobre a calçada, com a divisão do espaço hoje destinado unicamente aos pedestres.

– A proposta é ter um circuito fechado na área Central até o próximo mês, até para que o Dia Mundial Sem Carro tenha uma abrangência maior. Mas estamos tomando algumas decisões ainda, correndo contra o tempo – afirma a diretora de Planejamento Viário, Rita de Cássia Bruel Antonio.

Segundo o diretor de Serviços Urbanos, Valdecir Dutra, alguns trechos das ruas 7 de Setembro e Theodoro Holtrup precisarão ser recuperados para viabilizar a circulação das bicicletas. Na Rua Almirante Barroso, o ponto de ônibus próximo ao Hospital do Pulmão pode ser suprimido.

Ciclistas ganham espaço na Rua Paulo Zimmermann

A Rua Paulo Zimmermann, no Centro, foi a última a receber área exclusiva para ciclistas em Blumenau. A faixa, implantada no final de semana, foi toda pintada em vermelho – as demais recebem pintura apenas para delimitar o espaço. A intenção, segundo Dutra, foi destacar a área e chamar a atenção do motorista. Apesar de ser mais estreita que as outras, a ciclofaixa da Paulo Zimmermann é considerada segura pela Associação Blumenau Pró-Ciclovias (ABC Ciclovias).

– As ciclofaixas são muito seguras, desde que os motoristas as respeitem. Devido à condição do trânsito de Blumenau, preferíamos que fossem ciclovias, com muretas, mas não há espaço para isso em muitas ruas – opina o presidente da ABC Ciclovias, Wilberto Boos.

JSC 2009-08-20 - Ampliação das ciclovias em Blumenau

(veja em .pdf)

Para associação, demanda reprimida de ciclista é grande

A discussão sobre a implantação de ciclovias em Blumenau ganhou as páginas do Santa nas últimas semanas na Seção de Cartas. Em julho, o assunto foi o segundo mais comentado, com 19 cartas e artigos publicados. As opiniões se dividem: uns acreditam que não há ciclistas porque não há estrutura e outros porque não há demanda para as ciclovias.

A Associação Blumenauense Pró-Ciclovias (ABC Ciclovias) defende que há demanda para a expansão de espaços para ciclistas. Uma pesquisa feita ano passado na Escola Barão do Rio Branco é apontada como exemplo da necessidade das ciclovias. Segundo a associação, dos 600 estudantes consultados, 16 vão à escola de bicicleta e 290 gostariam de fazer o mesmo, se houvesse mais segurança nas ruas.

– A demanda reprimida de ciclistas é grande, mas como vamos querer que as pessoas andem de bicicleta se as ciclovias não estão interligadas? Se tivéssemos ruas com muitos buracos ou que não levassem a lugar nenhum, as pessoas também não andariam de carro. As pessoas que criticam a implantação das ciclovias tem uma visão míope, parcial, do que é a estrutura de uma cidade – argumenta o presidente da ABC Ciclovias, Wilberto Boos.

Por Rafael Waltrick

Saiba mais:

Bicicleta vence Desafio Intermodal em Blumenau – Num teste comparando bicicleta, automóvel e transporte público, o ciclista deu-se melhor em trecho de 3,5km pelas ruas de Blumenau.
Blumenau implanta mais ciclovias – reportagem do Jornal de Santa Catarina mostra as novas obras cicloviárias de Blumenau.
Antes que o mundo pare – artigo de Fabrício Cardoso fala do excesso de automóveis em Blumenau e estimula o debate sobre as novas ciclofaixas da cidade.
A polêmica sobre as ciclofaixas de Blumenau – artigo de Willian Cruz mostra sua opinião e relaciona os fatos que acontecem em Blumenau com o passado de San Francisco, EUA.
Blumenau: resposta do presidente da UCB – carta de Antonio Carlos de Mattos Miranda, presidente da União de Ciclistas do Brasil, sobre a polêmica acerca das ciclofaixas em Blumenau.
Cartas-resposta em favor das ciclofaixas em Blumenau – respostas de cicloativistas e sociedade civil a colunista que ironizou as novas ciclofaixas na cidade.
Comerciantes criticam áreas para ciclistas – reportagem no Jornal de Santa Catarina faz o contraponto com as queixas dos comerciantes.
Motoristas, ciclistas e outros cidadãos – artigo de Christian Krambeck fala sobre planejamento urbano, cidadania e qualidade de vida.

Bicicleta vence Desafio Intermodal em Blumenau

A reportagem abaixo foi originalmente publicada no Jornal de Santa Catarina, na edição de 24 de agosto de 2009. Você pode ver a matéria no site do periódico aqui e aqui.

Jornal de Santa Catarina - logo

MOBILIDADE URBANA

Ciclista vence o desafio

Santa comparou a agilidade de três meios de transporte no horário de pique na região central de Blumenau. Na disputa com carro e ônibus, a bicicleta levou a melhor.

Rubens Barrichello venceu ontem na Fórmula 1. Se a corrida fosse no Centro de Blumenau em horário de pique e o piloto brasileiro tivesse a mesma pretensão de chegar em primeiro, provavelmente trocaria a potência do carro de corrida pela simplicidade de uma bicicleta. Pelo menos é o que indica o teste que o Santa promoveu sexta-feira, às 17h50min, nos 3,5 quilômetros entre o Parque Vila Germânica, na Velha, e a Casa do Comércio, no Centro. O trecho, que será interligado por ciclovias até 22 de setembro, foi percorrido ao mesmo tempo pedalando, de ônibus e de carro. Com uma velocidade média de 32 km/h, o ciclista chegou antes.

Sete minutos após dar a primeira pedalada, o arquivista Giovani Nasatto, 30 anos, estacionou a bicicleta na Alameda Rio Branco, o ponto final do teste. Por três minutos ainda teve tempo de conferir o trânsito movimentado enquanto esperava chegar de carro o segundo colocado, o motorista Juliano Alessandro dos Santos, 37 anos. Os dois poderiam percorrer o trecho escolhido por pelo menos mais duas vezes antes que o passageiro do transporte coletivo, depois de algumas pernadas e o tempo dentro do ônibus, chegasse até o local combinado.

Na largada em frente ao Parque Vila Germânica, às 17h50min, logo a bicicleta de Giovani e o carro de Juliano sumiram de vista em direção à Rua 7 de Setembro. Ao chegar ao Terminal da Proeb, após sete minutos de caminhada, uma das cinco linhas disponíveis que passam pelo Centro demorou mais 10 minutos pra chegar. Giovani teve um percurso tranquilo ao longo da Rua Humberto de Campos. A via tem ciclofaixa, ainda que um pouco desgastada pelo tempo. Ao entrar na Rua 7, a atenção sobre duas rodas teve de ser redobrada. Enquanto Juliano, de carro, avançava com velocidade média de 22 km/h, o ciclista enfrentava obstáculos como carros estacionados, asfalto irregular próximo ao meio fio e ônibus na pista.

– É difícil manter os 1,5m recomendado de distância do carro para um ciclista. Quando a rua está cheia assim, fica tudo apertado – avaliou o motorista, que afirmou não se sentir seguro para trocar o automóvel pela bicicleta com a atual estrutura viária de Blumenau.

Enquanto Giovani e Juliano, em frente à Casa do Comércio, conversavam sobre o caminho percorrido, passageiros se equilibravam no ônibus, pela Rua 7, entre freadas e arrancadas. Além do congestionamento, as paradas em semáforos e pontos de ônibus atrasaram a viagem e contribuíram para que o percurso fosse feito a 7 km/h. O ponto final do trajeto foi em frente ao Colégio Sagrada Família, o que exigiu mais uma caminhada até a Alameda. Com o fôlego recuperado, Giovani comemorava a agilidade do meio de transporte que escolheu há sete anos e Juliano justificava a segunda posição reclamando do trânsito lento.

JSC 2009-08-24 - Desafio Intermodal Blumenau(veja em .pdf)

Aumento da ciclofaixa incentiva ciclistas

Dia 22 de setembro, o arquivista Giovani Nasatto poderá pedalar mais tranquilo pela Rua 7 de Setembro. Um projeto das secretarias de Planejamento Urbano e Serviços Urbanos pretende ampliar a malha cicloviária da cidade. Atualmente, Blumenau tem 45 quilômetros de faixas exclusivas para bicicletas. Com a expansão, a ideia é que o ciclista possa sair da Rua Almirante Barroso e chegar até a Alameda Rio Branco por ciclofaixas. A Rua Hermann Huscher, na sequência da Alameda, também possui a estrutura, o que tornaria o trajeto seguro para ciclistas até o Bairro Valparaíso.

A iniciativa pública pode incentivar motoristas a trocar o motor pelo pedal. O motorista Juliano dos Santos afirma que adotar a bicicleta para se locomover no Centro seria uma boa opção caso se sentisse mais seguro:

– Com ciclovias, além da economia de tempo, ajudaria na saúde.

A Associação Blumenauense Pró-Ciclovias (ABC Ciclovias) acredita que as ciclofaixas vão estimular ciclistas.

– Esperamos ansiosos pela ligação das faixas cicloviárias. A cidade precisa desta alternativa – opina o presidente da ABC Ciclovias, Eldon Jung.

Por Vinicius Batista

Saiba mais:

Blumenau implanta mais ciclovias – reportagem do Jornal de Santa Catarina mostra as novas obras cicloviárias de Blumenau.
Antes que o mundo pare – artigo de Fabrício Cardoso fala do excesso de automóveis em Blumenau e estimula o debate sobre as novas ciclofaixas da cidade.
A polêmica sobre as ciclofaixas de Blumenau – artigo de Willian Cruz mostra sua opinião e relaciona os fatos que acontecem em Blumenau com o passado de San Francisco, EUA.
Blumenau: resposta do presidente da UCB – carta de Antonio Carlos de Mattos Miranda, presidente da União de Ciclistas do Brasil, sobre a polêmica acerca das ciclofaixas em Blumenau.
Cartas-resposta em favor das ciclofaixas em Blumenau – respostas de cicloativistas e sociedade civil a colunista que ironizou as novas ciclofaixas na cidade.
Comerciantes criticam áreas para ciclistas – reportagem no Jornal de Santa Catarina faz o contraponto com as queixas dos comerciantes.
Motoristas, ciclistas e outros cidadãos – artigo de Christian Krambeck fala sobre planejamento urbano, cidadania e qualidade de vida.

Blumenau: cidadania e qualidade de vida

O artigo abaixo foi originalmente reproduzido no Jornal de Santa Catarina, na edição de 20 de julho de 2009. Foi, também, publicado resumido na Folha de Blumenau do dia 22 de julho.

Jornal de Santa Catarina - logo

ARTIGO

Motoristas, ciclistas e outros cidadãos

Somos conservadores! Sempre que se tenta transformar alguma estrutura predominante da cidade, levantam-se vozes a protestar, seguidas de outras a defender tais mudanças. Isso é da democracia e é bem-vindo, mas temos que superar essa característica de defender apenas os interesses próprios. Essas manifestações em causa própria ignoram os interesses do “outro” e até os da cidade e da cidadania.

A recente implantação de mais um trecho de ciclofaixa em Blumenau, iniciativa correta do poder público, desperta uma discussão importante: a questão da mobilidade urbana. Já sofremos sérios problemas devido à quantidade de carros circulando, à falta de planejamento urbano, ao descaso das empresas de ônibus e à inexistência de soluções alternativas. O transporte não pode ser tratado como uma conversa cotidiana entre leigos, deve estar embasada em informações e conhecimentos técnicos. A mobilidade deve ser tratada de forma integral, considerando todos os aspectos urbanos: paisagem, poluição ambiental, qualidade de vida, desenvolvimento econômico e a felicidade de todos.

É um erro tratar o trânsito de forma isolada, apenas com cálculos e planilhas. Suas causas e consequências são mais complexas e amplas, incidindo sobre todos os espaços e cidadãos, travando o desenvolvimento econômico e social de uma cidade. A solução passa por decisões estruturais e temos que tomá-las rápido: da prioridade absoluta para o transporte coletivo e o deslocamento não-motorizado às alternativas combinadas e complementares.

Não se trata de punir o usuário do carro, mas o fato é que estes precisam ceder espaço para outras formas de transporte mais eficientes, menos poluentes, mais agradáveis e baratas. As bicicletas são um componente fundamental para qualquer sistema de transporte urbano eficiente. Elas são complementares e cumprem um papel específico. Muitos gostariam, por exemplo, de sair de casa pedalando 10 minutos até o terminal de ônibus mais próximo, deixar a bicicleta lá, pegar um ônibus até o trabalho e caminhar mais cinco minutos. Por que não implantamos o sistema de bicicletas públicas?

Outro argumento utilizado é a topografia de Blumenau. O bom senso permite defender sua utilização prioritariamente nas diversas áreas planas da cidade e isso deve ser considerado pelos planejadores. Em relação à perda de vagas de estacionamento nos corredores de serviço, sugiro que utilizemos vários exemplos no mundo, onde o aumento de pedestres e ciclistas, a médio prazo, aumentou as vendas do comércio nestes pontos.

Temos que avançar e preparar a cidade para o futuro, não apenas com discursos ou verbas mal aplicadas e obras pouco planejadas. Sem planejamento urbano adequado e a vontade coletiva da sociedade, continuaremos sendo apenas uma cidade bonitinha, mas sem vocação para se tornar uma cidade influente e atraente no Século 21, cujo principal fator é a alta qualidade de vida urbana.

Por Christian Krambeck*

* Christian Krambeck é arquiteto, urbanista e professor universitário

Saiba mais :

Blumenau implanta mais ciclovias – reportagem do Jornal de Santa Catarina mostra as novas obras cicloviárias de Blumenau.
Antes que o mundo pare – artigo de Fabrício Cardoso fala do excesso de automóveis em Blumenau e estimula o debate sobre as novas ciclofaixas da cidade.
A polêmica sobre as ciclofaixas de Blumenau – artigo de Willian Cruz mostra sua opinião e relaciona os fatos que acontecem em Blumenau com o passado de San Francisco, EUA.
Blumenau: resposta do presidente da UCB – carta de Antonio Carlos de Mattos Miranda, presidente da União de Ciclistas do Brasil, sobre a polêmica acerca das ciclofaixas em Blumenau.
Cartas-resposta em favor das ciclofaixas em Blumenau – respostas de cicloativistas e sociedade civil a colunista que ironizou as novas ciclofaixas na cidade.
Comerciantes criticam áreas para ciclistas – reportagem no Jornal de Santa Catarina faz o contraponto com as queixas dos comerciantes.

Mais ciclovias em Blumenau

A reportagem abaixo foi originalmente publicada no Jornal de Santa Catarina, em 13 de julho de 2009. Você pode ver a matéria no site do periódico aqui.

Jornal de Santa Catarina - logo

PLANEJAMENTO URBANO

Blumenau implanta mais ciclovias

Em duas semanas, ciclistas terão novos espaços exclusivos para pedalar pelas ruas do Bairro Vila Nova

BLUMENAU – A faixa branca e vermelha na lateral da rua estende-se até onde a visão alcança. Acompanha curvas, subidas e descidas. Ao longo do trecho, imagens de uma bicicleta, pintada em branco sobre o asfalto, deixam claro a utilidade do espaço que, em breve, será exclusivo dos ciclistas. Esse é o cenário de quem passa pelas ruas Almirante Barroso, que está recebendo ciclovia, e pela Theodoro Holtrup, onde a faixa exclusiva para ciclistas já existente está sendo sinalizada.

Segundo o diretor de Serviços Urbanos da prefeitura, Valdecir Dutra, as ciclovias devem receber ainda tachões para delimitar o espaço das bicicletas e sinalização vertical. A previsão é que, se o tempo contribuir, os trabalhos estejam concluídos em duas semanas. A partir daí, nenhum veículo poderá trafegar ou estacionar no local.

A implantação de espaços exclusivos para ciclistas é apontado pela Secretaria de Planejamento Urbano e Seterb como uma das medidas fundamentais para estimular o uso de meios de transporte alternativos e diminuir o número de carros nas ruas. A criação das ciclovias nas ruas Almirante Barroso e Theodoro Holtrup, no entanto, ainda está longe de solucionar o problema da falta de passeio adequado para adeptos da bicicleta. Apesar de espalhadas por todo o município, as ciclovias já existentes – cerca de 48 quilômetros – não são integradas, fazendo com que os espaços para ciclistas estejam restritos a pequenos trechos.

– Seria irresponsabilidade incentivarmos o uso da bicicleta sem que as pessoas tenham estrutura para isso. As novas ciclofaixas são um passo adiante, mas temos que reservar campanhas de estímulo para um segundo momento – avalia Eldon Jung, um dos coordenadores da Associação Blumenauense Pró-Ciclovias (ABC Ciclovias).

Projeto prevê 145 quilômetros de ciclovias

De acordo com a diretora de Planejamento Viário, Rita de Cássia Bruel Antonio, o município pretende implantar novos espaços para ciclistas gradualmente, ao longo deste ano e do próximo. A intenção é oferecer, no total, 145 quilômetros de ciclovias em vias consideradas estratégicas, do Norte ao Sul da cidade. A Rua Benjamin Constant será uma das próximas a receber a faixa exclusiva para os ciclistas, porém não há calendário definido para o processo de implantação.

– Infelizmente, não podemos criar toda a infraestrutura de uma só vez. Hoje, temos um monte de segmentos que ainda não são ligados. Mas entendemos que é uma maneira de começar a incentivar a cultura do uso da bicicleta – defende a diretora.

Mapa das ciclovias. Punição. Para manter um convívio amistoso nas ruas da cidade, o motorista não deve estacionar sobre ciclovias ou ciclofaixas. Se fizer isso, terá de pagar multa no valor de R$ 127,69 e terá cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). A rigidez da infração é maior quando o motorista ou motociclista transita nas vias exclusivas para ciclistas. Além de somar mais sete pontos na carteira, a penalidade gravíssima custa R$ 574,62. Acidentes. Até o final de maio de 2009, dos 2.530 veículos envolvidos em acidentes de trânsito em Blumenau, 2,4% (62) eram bicicletas. Ano passado, o município não registrou nenhuma morte de ciclista. Este ano, das 18 mortes no trânsito, uma envolveu um ciclista.(Veja em .pdf)

Por Rafael Waltrick

Saiba mais:

Antes que o mundo pare – artigo de Fabrício Cardoso fala do excesso de automóveis em Blumenau e estimula o debate sobre as novas ciclofaixas da cidade.
Comerciantes criticam áreas para ciclistas – reportagem no Jornal de Santa Catarina faz o contraponto com as queixas dos comerciantes.

%d blogueiros gostam disto: