Para comemorar pedalando o Dia do Trabalhador

A reportagem abaixo foi originalmente publicada na edição on line do periódico Diário Catarinense em 30 de abril de 2011 (às 10h12). Você pode ler a matéria no site do DC aqui.

MÚSICA

Passeios ciclísticos em 20 cidades de SC comemoram o dia do trabalhador, no domingo

Concerto gratuito encerra o dia com marchas e canções militares, hinos, músicas populares e eruditas

Ruas e avenidas de 20 cidades de todas as regiões de Santa Catarina serão tomadas, neste domingo, no dia do trabalhador, por passeios ciclísticos e diversas atividades de lazer, recreativas e culturais abertas à comunidade. O Dia do Pedal, promovido pela segunda vez pelo Serviço Social do Comércio (Sesc/SC), incentiva a adoção de hábitos saudáveis.

A data foi escolhida com o intuito de celebrar o dia do trabalhador e promover uma opção de lazer aliando a integração com a família e a promoção da qualidade de vida. Participantes de todas as regiões do Estado serão incentivados a praticar a atividade de uma forma divertida e descontraída. No ano passado, em sua primeira edição, o Dia do Pedal reuniu cerca de 20 mil pessoas em 15 cidades catarinenses.

Para encerrar, a Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais faz uma apresentação no trapiche da Avenida Beira-Mar Norte. O concerto — que faz parte das comemorações do dia do trabalhador — terá marchas e canções militares, hinos, músicas populares e eruditas e será gratuito e aberto ao público.

A banda tem suas raízes na Brigada Real da Marinha e é, atualmente, composta por dois maestros e 110 músicos formados e aperfeiçoados na Escola de Música do Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo, do Corpo de Fuzileiros Navais, sediado no Rio de Janeiro.

Entre as grandes personalidades do cenário musical brasileiro e internacional que foram integrantes das bandas de música dos fuzileiros destacam-se o professor e maestro Oswaldo Passos Cabral, autor do Poema Sinfônico Riachuelo, que retrata as glórias da Marinha do Brasil na Batalha Naval do Riachuelo e, como professor e regente, o maestro Francisco Braga, autor da música do Hino a Bandeira e patrono das bandas de música da Marinha.

Veja onde serão realizados os passeios ciclísticos:

Blumenau
Horário: A partir das 7h30min
Local: Parque Vila Germânica

Brusque
Horário: A partir das 8h
Local: SESC Brusque

Caçador
Horário: A partir das 8h30min
Local: Parque Central José Adami

Canoinhas
Horário: A partir das 13h30min
Local: Prefeitura Municipal

Chapecó
Horário: A partir das 9h
Local: Praça Coronel Ernesto Bertaso

Concórdia
Horário: A partir das 13h
Local: Prefeitura Municipal

Criciúma
Horário: A partir das 8h
Local: SESC Criciúma

Florianópolis
Horário: A partir das 15h
Local: Trapiche da Beira-Mar Norte

Itajaí
Horário: A partir das 7h30min
Local: Supermercado Forte Atacadista

Jaraguá do Sul
Horário: A partir das 8h
Local: SESC Jarágua do Sul

Joaçaba
Horário: A partir das 13h30min
Local: Praça da Catedral

Lages
Horário: A partir das 8h30min
Local: Supermercado Alvorada

Laguna
Horário: A partir das 8h
Local: Praça Julio Villa

Rio do Sul
Horário: A partir 7h30
Local: SESI Rio do Sul

São Bento do Sul
Horário: A partir das 8h30
Local: SESC São Bento do Sul

São José
Horário: A partir das 8h
Local: Beiramar de São José

São Miguel do Oeste
Horário: A partir das 13h
Local: Praça Walnir Bottaro Daniel

Tijucas
Horário: A partir das 7h30min
Local: SESC Tijucas

Tubarão
Horário: A partir das 8h
Local: SESC Tubarão

Xanxerê
Horário: A partir das 8h30min
Local: SESC Xanxerê

Saiba mais:

Dia do Pedal SESC em São José e em Florianópolis

Dia do Pedal SESC em São José e em Florianópolis

O SESC-SC realiza, neste domingo, 1º de abril, o Dia do Pedal, com diversas atividades de saúde, esporte, cultura e lazer. E Florianópolis e São José não ficarão de fora!

Florianópolis

(clique sobre a imagem para ampliá-la)

São José

(Segue release recebido)

O objetivo do Dia do Pedal é incentivar a prática de atividades coletivas em prol da saúde e da adoção de hábitos saudáveis, promovendo também os benefícios da bicicleta como meio de transporte e lazer.

Data: 01/5/2011 – Domingo
Local: Beira mar de São José (estacionamento ao lado da escola de Oleiros)
Horário Geral do Evento: 8h00 às 12h30.

Passeio ciclístico: 9h00 – concentração / 9h15 – alongamento / 9h30 – largada do passeio / 10h45 – sorteio de brindes.

Trajeto do Passeio: saída da beiramar de São José (concentração), passando pela avenida Presidente Kennedy, passando pelo Calçadão do Kobrasol (Rua Lédio João Martins), retornando para Avenida Presidente Kennedy, e finalizando na Beira mar de São José.

Quilometragem/trajeto: aproximadamente 4Km.
Duração média prevista: 45 minutos
Informações e Inscrições: SESC Estreito – Rua Santos Saraiva, 289. Estreito – Fone: 3244-1370.
FUNESJ – Fone: 3241-3511.
Ciclo Vil Bike – Fone: 3241-1763.
Taxa de inscrição: 1kg de alimento não perecível.

Programação Paralela

Ações de Saúde/Educação:

– Vivências em massagem
– Orientação Nutricional / IMC e Orientações
– Verificação de Pressão Arterial

Ações de Cultura:

– Apresentações artísticas
– Maratona Fotográfica

Ações de Lazer:

– Cama elástica
– Jogos de mesa
– Jogos gigantes
– Tenda quebra cuca (jogos de raciocínio)
– Tangran
– Mini esportes
– Oficina de construção de brinquedos
– Frescobol e fresbee

PARTICIPE! VOCÊ É NOSSO CONVIDADO!

(Mobilidade nas Cidades) Para melhorar a cidade

A reportagem abaixo foi originalmente publicada no Jornal Notícias do Dia, edição de Florianópolis, em 25 de abril de 2011 (pág. 7). Você pode também ler a matéria em .pdf aqui.

Mobilidade urbana

Oportunidade para aprender

Fórum vai reunir especialistas de países que já solucionaram o problema

Florianópolis – Cerca de mil pessoas devem participar do Fórum Internacional sobre Mobilidade Urbana, que será realizado em Florianópolis amanhã e quarta-feira, com a presença de especialistas de países como Alemanha, Holanda e Inglaterra. Apesar de sediar o evento, a Capital catarinense terá mais a aprender que a ensinar, segundo avaliação da coordenadora do CicloBrasil, grupo da Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina) que pesquisa o assunto, Giselle Xavier.

Pata Giselle, que vai liderar o painel “A questão da Mobilidade Urbana nas Cidades Catarinenses”, quem trabalha na área terá a chance de conhecer soluções adotadas em outros lugares e discutir como adaptá-las à realidade local. A Dinamarca, que tem municípios mais montanhosos que Florianópolis, é uma referência. “Lá, além de o transporte público ser eficientíssimo, a bicicleta é usada em larga escala. Nos pontos mais íngremes, há até espécies de elevadores para ajudar os ciclistas”, conta.

Essa qualidade superior da mobilidade urbana em nações mais desenvolvidas é explicada pela história. “Na Holanda, houve uma saturação do trânsito nos anos 70. Hoje, as pessoas se locomovem basicamente com bicicletas e meios de transporte públicos. Mas isso porque aprenderam que eles são mais rápidos”, diz Giselle. No Brasil, e especificamente na Ilha, o aprendizado está ocorrendo agora.

Mudança tem que partir da população, diz especialista

Em Florianópolis, o ponto inicial para a melhoria da mobilidade urbana é fazer mais gente utilizar transporte público e bicicleta, afirma a especialista da Udesc. Mas, ao contrário do que normalmente se diz, Giselle acredita que esse processo deve começar pela população, e não pelo poder público”. O governo responde às pressões dos cidadãos”, explica.

Para que isso aconteça, ela sugere um desafio: “As classes mais altas precisam andar de ônibus, como fazem quando viajam para o exterior”, argumenta. Giselle calcula que, se dois em cada dez homens de classe média-alta passassem a usar o transporte público, o sistema melhoraria em duas semanas. “Essas pessoas têm mais voz, são as formadoras de opinião.”

Paliativo. Por enquanto, a solução para quem precisa enfrentar as constantes filas que se formam na região é a paciência. Foto: Marcelo Bittencourt/ND.

Mas os governantes não ficam isentos de responsabilidade nessa discussão. “Eles precisam entender que é necessário investir com planejamento. Aqui, se faz uma ciclovia aqui e outra ali, sem ligação entre elas. Depois, se pergunta por que a sociedade não usa”, observa.

Anita Martins

Florianópolis espera contar com bicicletas públicas em 2012

A reportagem abaixo foi originalmente publicada no endereço eletrônico do Jornal Notícias do Dia, edição de Florianópolis, em 26 de abril de 2011. Você também pode também ler a matéria no site do ND aqui.

Prefeitura de Florianópolis planeja implantar
sistema de bicicletas públicas em 2012

Proposta será estudada e aprimorada pela Pró-Bici, comissão criada na Capital para discutir a mobilidade urbana com o uso da bicicleta.

A mobilidade urbana poderá ter um motivo a mais para comemorar o próximo aniversário da Capital, em 23 de março de 2012. A Prefeitura de Florianópolis planeja inaugurar na data o sistema de transporte por bicicletas públicas, uma espécie de aluguel de bicicletas a uma baixa tarifa para percorrer determinados percursos. O convite para o estudo do modelo foi feito pela empresa Icnita Emovity, de Barcelona, em visita recente à Capital.

De acordo com a diretora de Planejamento do Ipuf (Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis), Vera Lúcia Gonçalves da Silva, membro da Pró-Bici (Comissão Municipal de Mobilidade Urbana por Bicicleta), a empresa espanhola estudou modelos de bicicletas públicas no mundo todo e apresentou uma proposta ao município. “Os testes seriam feitos em dois eixos principais, a avenida Beira-mar Norte ligando à UFSC, e a avenida Hercílio Luz, no Centro”, explica, lembrando que a ideia ainda será discutida e aprimorada pelos membros da Pró-Bici.

Normalmente, nos sistemas de bicicletas públicas o usuário paga um valor e retira a bicicleta de uma estação. Após percorrer o trecho desejado, devolve a bicicleta em outra estação, com a opção de concluir o trajeto a pé ou de ônibus. Neste último caso, preferencialmente com integração da tarifa já paga pelo uso da bicicleta. Outra proposta é criar bicicletários que funcionariam como estacionamentos. Quem tem bicicleta e deseja ir ao trabalho ou à escola, poderia guardá-la nestes espaços mediante pagamento de taxas.

Para o diretor-executivo da 8-80 Cities, entidade canadense que promove o uso de transportes alternativos, Guillermo Peñalosa, é preciso promover um projeto completo. “Não adianta bicicleta pública sem uma rede de ciclovias interligadas pela cidade. Várias tentativas no mundo que não pensaram na interligação foram um fracasso”, ressalta.

Patrick Daude, coordenador do Cities For Mobility: “Há vontade em mudar, mas é um caminho difícil." Foto: Divulgação/ND.

Para alemão, é preciso melhorar sistema de transporte

Transporte público por meio de ciclovias é um dos temas do Fórum Internacional sobre Mobilidade Urbana realizado em Florianópolis nesta terça e quarta-feira. A Capital recebeu diferentes especialistas nacionais e internacionais no assunto. Um deles é Patrick Daude, coordenador do Cities For Mobility, maior entidade privada do planeta que trata sobre mobilidade urbana e é sediada em Stuttgart, na Alemanha.

Daude também integra a equipe de política da prefeitura e câmara daquela cidade. Como representante do prefeito de Stuttgart, faz uma espécie de intercâmbio com a Prefeitura da Capital há cinco anos e já percebeu os principais problemas da cidade. “Há vontade em mudar, mas é um caminho difícil. Percebemos o predomínio do espaço público para carros. No entanto, falta estrutura para optar pela bicicleta. E não basta infraestrutura, é preciso educação especialmente para demonstrar respeito ao ciclista”, lembra.

Para o alemão, o transporte público por meio de ônibus também precisa de melhorias. “Os terminais são bons e os ônibus são até modernos. Mas falta integração tarifária em toda a região”, diz. Outro problema é a falta de informações dentro dos terminais e nos pontos de ônibus. “Para onde vai? Qual linha? Poderia haver um mapa mostrando todo o percurso. Vejo que os telões ficam com até um minuto de publicidade. Imagine você chegar atrasado, querendo pegar um ônibus e ter que esperar até um minuto para ver qual é a próxima linha?”, alerta.

Sobre uma das principais polêmicas da Capital, um túnel ou uma ponte como quarta ligação entre Ilha e Continente, Daude afirma não ter preferência. “Não tenho dados técnicos para avaliar um túnel ou uma ponte. No entanto, se for para criar outro espaço, que se dê prioridade ao transporte público”, observa.

Serviço

O quê: Fórum Internacional sobre Mobilidade Urbana
Quando: 26 e 27/4, das 9h às 18h
Onde: Teatro Governador Pedro Ivo Campos, na SC-401
Quanto: de R$ 592,50 a R$ 790
Como se inscrever: pelo site www.mobilidadenascidades.com.br, pelo e-mail inscricoes@shopconsult.com.br no local do evento

Palestras

Confira temas da programação:

“Soluções para a Mobilidade Urbana”, com o canadense Guillermo Peñalosa
“Transporte Público: Além do BRT – Veículos leves sobre trilhos (VLT) ou metrô?”, com o colombiano Carlos Felipe Pardo e o alemão Niklas Sieber
“Andar de Bicicleta e Andar a Pé: uma nova perspectiva para as sociedades dependentes de carros”, com o holandês Ton Daggers, o inglês Rodney Tolley e o alemão Claus Köhnlein
“O carro nas cidades”, com o colombiano Klaus Banse e o brasileiro Lincoln Paiva
“A Copa do Mundo de 2014 – Organização de sucesso e benefícios de longa duração para as Cidades”, o alemão Patrick Daude e a brasileira Carla Pereira
“A questão da Mobilidade Urbana nas Cidades Catarinenses”, com Giselle Xavier
“Bicicleta – da recreação à cidadania”, com o canadense Guillermo Peñalosa

Maiara Gonçalves

Saiba mais:

Serttel aborda a iniciativa das bicicletas públicas – Ângelo Leite fala sobre o SAMBA – Sistema Alternativo de Mobilidade por Bicicleta de Aluguel durante o Bicicultura 2010.

(Charges) Atropelamento da Massa Crítica de Porto Alegre

As charges abaixo foram publicadas em diversos sites e mídias e envolve o trágico incidente envolvendo o atropelamento coletivo dos ciclistas da Massa Crítica/Bicicletada de Porto Alegre, no dia 25 de fevereiro deste ano.

Autor: Kayser

Autor: Tiras Experimentais

Autor: Frank

Autor: Oliveira

Autor: Elias

Autor: Iotti

Autor: Marco Aurélio

Autor: Iotti

Saiba mais:

Leia notícias selecionadas sobre o atropelamento da Massa Crítica de Porto Alegre e seus desdobramentos.
Massa Crítica – POA – Blogue da Bicicletada porto-alegrense.

%d blogueiros gostam disto: