Ciclistas protestam em postos de gasolina de Florianópolis

Na última sexta-feira, 25 de maio, um grupo de cerca de 30 ciclistas percorreu diversos postos de gasolina de Florianópolis em protesto pela elevada dependência do uso da gasolina e outros combustíveis fósseis na cidade. Os ciclistas saíram em torno das 20h30 da pista de skate da Trindade e percorreram a Avenida Madre Benvenuta até o final, antes de retornarem e seguirem pelas Ruas Lauro Linhares, Delminda Silveira, Frei Caneca, Rui Barbosa e Heitor Luz e pela Avenida Mauro Ramos. Durante todo o trajeto, os postos de gasolina, vazios ou ainda com veículos tentando abastecer dos últimos litros de combustível, foram ocupados pelos ciclistas, que gritaram diversas frases de efeito e conquistaram a atenção dos transeuntes e motoristas

:: Confira o evento no Facebook

Tradicionalmente com ocorrência nas últimas sextas-feiras de cada mês, a Bicicletada Floripa mais uma vez trouxe à tona a pergunta: qual cidade queremos para o futuro?

Inicialmente, a chamada da edição mensal atentava-se ao frio que tem feio na região. Num trocadilho envolvendo os ventos gélidos que vêm do sul e a origem da Bicicletada na Critical Mass de San Francisco, a chamada Massa Polar Crítica mudou seu foco e, usufruindo-se da situação da greve dos caminhoneiros, que resultou na ausência de combustíveis na maioria dos postos da região, chamou a atenção para a dependência de Florianópolis do uso da gasolina para a mobilidade urbana.

Bicicletada Floripa protesta em posto de gasolina na R. Delminda Silveira. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

Com 48% dos deslocamentos feitos por transporte automotor individual, a capital catarinense tem o maior índice de motorização do país, sendo 50% superior a cidade maiores, como Curitiba ou São Paulo. Isso faz com que a matriz de transporte florianopolitana seja altamente dependente da gasolina. O resultado de décadas de estímulo ao uso indiscriminado do automóvel já era previsível: congestionamentos quilométricos e a pior mobilidade urbana do país.

Ciclistas ocupam posto de gasolina sem combustível na Av. Mauro Ramos, em Florianópolis. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

Um cenário de desabastecimento de gasolina numa cidade assim claramente resultaria em incalculáveis prejuízos econômicos. É a falta de ação em acessibilidade e mobilidade sustentável que leva a esse cenário.

Munidos de bicicletas, trabalhadores e estudantes que cumpriram a sua jornada diária optaram por buscar evidenciar essa absurda situação por meio de um protesto divertido e irreverente.

Os postos de gasolina, a maioria dos quais já sem mais combustível, foram alvos de uma mandala. Gritos de apoio à bicicleta e contra o uso de gasolina ecoaram pelas ruas e postos, para a distração das pessoas que aguardavam um ônibus em horário reduzido ou que torciam para que ainda houvesse gasolina quando da sua vez.

Ao final da Bicicletada, um ligeiro desvio pela Avenida Hercílio Luz levou os ciclistas para o Giratta Bike Café, empreendimento erguido por dois antigos participantes da Massa Crítica local, e transformou o boulevard erigido sobre um antigo córrego de Floripa em uma praça de exposições ao ar livre, mesclando iluminação, arborização, cultura, bicicleta e urbanismo, num mosaico que suspendeu as emoções de quem dele conseguiu desfrutar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fabiano Faga Pacheco

Veja mais:

Fotos
Fabiano Faga Pacheco Facebook  Ipernity

Vídeos
Fabiano Faga Pacheco [1] [2] [3] [4] [5]


Anúncios

Exibição de “Bike vs Cars” em Florianópolis

Diálogos Urgentes debate a “mobilidade urbana” com sessão comentada do doc. “Bikes vs Cars”

A mobilidade urbana é um grande desafio das cidades contemporâneas em todo o mundo e um tema urgente a ser discutido pela sociedade. Para fomentar a reflexão sobre este assunto, o Sesc em Santa Catarina promove na próxima edição do projeto Diálogos Urgentes, no dia 28/06, sessão do documentário “Bikes vs Cars”, do cineasta sueco Fredrik Gertten, seguida por debate com convidados ligados ao tema do filme e comunidade. A programação é gratuita e acontece toda última quarta-feira do mês nos teatros do Sesc em Chapecó, Florianópolis, Itajaí, Jaraguá do Sul, Joinville, Lages e Laguna, às 19h. (+http://ww2.sesc-sc.com.br/evento/3458/null)

“Bikes vs Cars” apresenta um novo modo de mobilidade urbana. O roteiro também discute a enorme cadeia econômica dependente do carro e mostra como a indústria automobilística influencia nas políticas públicas das cidades e como a bicicleta começa a mudar uma parte desse jogo. Gravado em São Paulo (Brasil), Los Angeles (EUA), Toronto (Canadá) e Copenhague (Dinamarca), o audiovisual mostra realidades completamente diferentes, desde a luta por incluir o uso da bicicleta no dia a dia das pessoas em São Paulo até Copenhague, cidade que é referência internacional em mobilidade urbana.

O projeto Diálogos Urgentes iniciou em abril e segue até novembro, com o objetivo de favorecer o diálogo entre grupos, coletivos, agentes, estudantes e sociedade. As obras audiovisuais selecionadas para exibição levantam temáticas como loucura e arte, bullying, racismo, mobilidade urbana, feminismo, ditadura militar, formação do indivíduo, entre outros, que serão debatidos por convidados ligados aos assuntos e comunidade.

“Com esta ação, o Sesc abre um espaço de diálogo na sociedade. As temáticas em pauta se tornam cada vez mais urgentes de serem debatidas, para que a reflexão traga novos horizontes ao mundo contemporâneo. Promover essas discussões, por meio do cinema, estimula o cidadão no que diz respeito ao desenvolvimento da sua percepção do mundo e incentiva a formação de uma consciência crítica”, declara Maria Teresa Piccoli, gerente de Cultura do Sesc/SC.

SINOPSE “BIKES VS CARS”
Em tempos de uma crise generalizada, é necessário relacionar algumas discussões no que tange ao clima, recursos naturais e cidades. A indústria automobilística cresce desenfreadamente. Ciclistas militantes buscam mudanças radicais na mobilidade das grandes cidades. As diferenças no uso de bicicletas e de carros são gritantes em comparação entre algumas cidades, como São Paulo e Copenhague. Direção: Fredrik Gertten; Gênero: Documentário; Nacionalidade: Suécia.

Mais informações:

Sesc em Chapecó – Rua Brasília, 475-D – J. Itália (49) 3319.9100
Sesc em Florianópolis (Prainha) – Travessa Syriaco Atherino, 100 – Centro, (48) 3229.2200
Sesc em Itajaí – Rua Almirante Tamandaré, 259 – Centro (47) 3249.3850
Sesc em Jaraguá do Sul – Rua Jorge Czerniewicz, 633 (47) 3275.7800
Sesc em Joinville – Rua Itaiópolis, 470 – Centro (47) 3441.3300
Sesc em Lages – Av. Dom Pedro II, 1693 (49) 3222.3936
Cine Teatro Mussi em Laguna – Rua Osvaldo Cabral, 165 – Centro Histórico (48) 3644.015

Fonte: SESC SC, em 22 de junho de 2017.

Surge a Amobici

O relógio marcava dezenove horas e quarenta e três minutos quando teve início a Assembleia Geral que daria origem à mais nova representação formal de ciclistas do Brasil. Vinte adultos – e mais duas crianças, além de três bicicletas – ocupavam o Salão Pitangueira do Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina, aos cinco dias de abril deste ano, para presenciarem o fato histórico.

Se lá fora, no hall do gigante equipamento da maior universidade catarinense, a alegria tomava conta dos futuros formandos do curso de Ciências da Computação, dentro da sala mais ao sul do prédio a inquietação também dava os seus ares. Em instantes, seria formalizada a criação da Amobici – Associação Mobilidade por Bicicleta e Modos Sustentáveis.

Como que dando a benção das demais entidades cicloativistas do país, a presidência da Assembleia coube a André Geraldo Soares, presidente da União de Ciclistas do Brasil (UCB). O secretariado ficou com Fábio Barbosa Almeida, do Pedal Nativo. Nas cadeiras, pessoas de movimentos, pedaladas e ações diversas no “currículo”. Sinalização Cidadã, Bicicletada Floripa, MobFloripa, Fitzz, Bicicleta na Escola, Ciclotáxi Desterro, Bike Anjo Floripa, Projeto Pedala Floripa, Rede Vida no Trânsito, Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis, Bicicleta na Rua. Nem mesmo a ViaCiclo – Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo) foi esquecida. Esta última, apesar de estar em processo de encerramento legal de suas atividades, foi por diversas vezes lembrada nos discursos, pelo pioneirismo de suas ações em Florianópolis e mesmo no Brasil. Graças, em parte, a ela, a Amobici não começará suas atividades do zero. E poderá cobrar a consecução da “Carta Compromisso com a Mobilidade Ciclística de Florianópolis” do Projeto Bicicleta nas Eleições, última atividade da ViaCiclo.

André Geraldo Soares, da União de Ciclistas do Brasil (à direita), preside a reunião de fundação da Amobici, secretariada por Fábio Almeida. Foto: Fabiano Faga Pacheco.

Na reunião, além da criação, foram aprovados o nome da entidade, o estatuto e a primeira diretoria. O posto de primeiro diretor-geral caberá a Luis Antonio Schmitt Peters, que terá ao seu lado Ana Maria Nascimento Destri como diretora administrativa e Rodrigo Herdt, diretor financeiro. Eles serão fiscalizados pelos conselheiros Karla Antunes, Juliana Shiraiwa e Radji Schucman.

A Amobici deve ocupar, com muito mais vigor, o espaço deixado com o iminente fim da ViaCiclo. Deverá ser o suporte burocrático e a pessoa jurídica a zelar pela integridade dos ciclistas de Florianópolis. Deverá ser a voz e a mão de quem pedala por gosto, lazer, prazer, saúde, desporto, turismo, praticidade, economia, necessidade e mesmo ativismo. Ainda mais: deverá ser a voz de quem não pedala por não se sentir seguro, de quem não pedala por não haver melhores condições para isso, de quem não pedala porque a cidade não lhe permite.

A Amobici é oficialmente fundada. Foto: Fábio Barbosa Almeida. Arte: André Geraldo Soares.

A Amobici nasce de um amor incondicional à vida. À vida bem vivida. À vida com saúde. À vida com real sustentabilidade. Que esses pilares que hoje formam a sua essência sigam com ela por toda a sua existência.

Por Fabiano Faga Pacheco

Fotos

Fabiano Faga Pacheco

Veja também:

De Olho na Ilha: Ciclistas de Florianópolis criam associação para incentivar uso da bicicleta como meio de transporte

Descanse bem, Detinha!

Após vários anos no cicloativismo e já fazendo parte da União de Ciclistas do Brasil, começo a ouvir uma voz dissonante, de um dos centros  não tão conhecidos pelos cicoativistas mais antigos. Vinha de Vitória, no Espírito Santo, aquela voz feminina, uma voz batalhadora, de quem lutava com imenso ímpeto pela mudança de uma situação que gerava – e gera – riscos à vida de quem usa as duas rodas.

Detinha, sempre que possível, queria mais – e fazia mais! Participou do CUC – Ciclistas Urbanos Capixabas, do Bike Anjo e, inclusive, na própria União de Ciclistas do Brasil.

Mas durante muito tempo o seu rosto permaneceu como uma incógnita para mim. Vitória e Florianópolis têm mais em comum do que o fato de serem capitais em ilhas. Ambas são politicamente carentes de planos de estado, aqueles que atravessam governos. Ao menos, de plano de estados que privilegiem a mobilidade humana. Sempre é preciso que a sociedade relembre os políticos para quem eles devem governar e de quem eles devem se lembrar ao planejar uma cidade. Frequentemente, planeja-se para o congestionamento, para as doenças respiratórias, para carros e mais carros.

Não é disso que uma cidade saudável precisa! Eu sei disso e Detinha sabia disso!

Enfim nos encontramos na terceira edição do Bicicultura, ocorrido em maio deste 2016 em São Paulo. A voz ganhou um rosto. A admiração já existia.

Quis o destino que fosse justamente no Festival da Cultura da Bicicleta a única vez que eu me encontrasse pessoalmente com uma das mais atuantes ativistas da bicicleta do país.

Na quinta-feira, 30 de junho, logo após palestrar sobre mobilidade urbana na 6ª Conferência das Cidades, Detinha foi atingida por uma porta recém-aberta, caindo no chão e batendo a cabeça. Entrou em coma após o traumatismo craniano, vindo a falecer horas depois.

Quis o destino que, nas circunstâncias de sua morte, Detinha fosse reconhecida pelo que era e pelo que lutava: uma MULHER que buscava o melhor para a cidade, através de políticas de mobilidade voltada aos pedestres e aos ciclistas. Essa mulher não parava de agir! E foi necessária uma desatenção irresponsável para que ela repousasse.

As batalhas pela sobrevivência aqui em terra continuam. E você lutou bravamente! Queremos nós que tua – a minha, a nossa – luta tenha ajudado a sensibilizar o coração de quem tem o poder de mudança em larga escala. De quem pode salvar vidas ao investir no ser humano e no meio ambiente.

Descanse bem, Detinha!

E obrigado por ter existido.

Detinha Son

Fabiano Faga Pacheco

Bicicleta é tema de debate na Semana do Meio Ambiente da UFSC

Nesta terça-feira, 7 de junho, ocorrerá uma mesa-redonda com a temática “Ciclovias em Florianópolis”, como parte das atividades da Semana de Meio Ambiente da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis. As palestras acontecerão a partir das 18h no auditório do Centro Sócioeconômico (CSE).

O debate, mediado pelo Prof. Arnoldo Debatin, contará com a Profa. Dora Orth, engenheira civil do Observatório de Mobilidade da UFSC, que falará sobre a rede cicloviária da Universidade, com a arquiteta Ingrid Etges Zandomeneco, do Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF), que comentará sobre a rede cicloviária do município, e com o ciclista Audálio Marcos Vieira Jr., do site parceiro Pedala Floripa, que finalizará com a palestra “Ciclovias: boas para você e para o nosso meio ambiente“.

A atividade é gratuita e inscrições podem ser feitas através deste link.

Este slideshow necessita de JavaScript.

DC: Ciclistas fazem homenagem a jornalista morto

DC 2015-01-18 p.12 Ghost Bike Roger
(Veja em PDF)

O texto acima foi originalmente publicado no periódico Diário Catarinense, versão impressa, na segunda-feira, 18 de janeiro de 2016, na página 12. Pode ser lida também neste link.

Abaixo, versão online da matéria do periódico, publicada em 17 de janeiro, às 10h23, aqui.

Leia mais deste post

(Charge) Ghost bike em homenagem a Róger Bitencourt

charge - Zé Dassilva DC 2015-01-18 Ghost bike Roger

A charge acima foi publicada no Diário Catarinense em 18 de janeiro de 2016 (pág. 4). A autoria dela é de Zé Dassilva.

(Vídeo) Ghost Bike Róger: “Simplesmente vidas, sendo, novamente, perdidas”

As belas imagens do Felipe Munhoz e as belas palavras de desabafo do Fabiano Faga na homenagem ao ciclista Róger Bitencourt na instalação da Bicicleta Fantasma em sua memória.

“Em um domingo de verão, dia de sol como há meses não se via em Floripa, centenas de pessoas deixaram de fazer o que gostam, para pendurar uma bicicleta branca em um poste da SC 401, local do assassinato do ciclista Róger Bitencourt, por um motorista bêbado.

O que buscam essas pessoas, não é muito, pelo contrário, buscam condições mínimas de mobilidade, de forma segura e humana.

O que parece simples está infelizmente longe de ser atingindo, devido a uma parcela raivosa da população e pela omissão das instituições públicas.

A morte do Róger se tornou notória, devido à forma brutal e banal que ocorreu, também em um domingo, fazendo o que gostava, pedalando com os amigos, no acostamento da SC 401, às 10 horas da manhã.

Apesar disso, a bicicleta, por ser mais humana e, portanto, mais frágil que um carro, de forma alguma é mais perigosa.

Perigosas, são as altas velocidades que matam motoristas, passageiros, ciclistas e pedestres.

Mortes não deveriam ser toleradas no trânsito, simplesmente porque poderiam ser facilmente evitadas.

Usuários de bicicleta sabem disso, e não toleram nenhuma morte, por isso estão nas ruas e não vão sair de lá.”

Felipe Munhoz

(Vídeo) Band Cidade: Ciclistas promovem manifestação no pedágio desativado de Canasvieiras

Ciclistas promovem manifestação no pedágio desativado de Canasvieiras para protestar contra a impunidade e a falta de educação no trânsito.

Cabe corrigir que a manifestação promoveu panfletagem do programa “Balada pela Vida” e não seguiu para nenhum local de moradia ou trabalho do representante do Executivo estadual.

Conteúdo exibido originalmente no programa “BAND Cidade”, da Band Santa Catarina, em 29 de dezembro de 2015. Veja a edição completa do programa aqui.

(Vídeo) Jornal do Meio Dia: Sete pessoas já morreram pedalando na SC-401, em Florianópolis

Vítimas que sobreviveram após acidentes no local relatam a experiência e a falta de segurança de pedalar na rodovia. Conheça as histórias de sobrevida das atletas Ivone Tarine e Marta Fiorentini.

Conteúdo exibido originalmente no programa Jornal do Meio Dia, edição de Florianópolis, da RIC Record SC, em 29 de dezembro de 2015.

(Vídeo) Band: Manifestação silenciosa marca velório de ciclista atropelado na SC-401

Ciclistas promovem cena comovente no velório do jornalista Róger Bitencourt.

Entrevista com a educadora física Rafaella Della Giustina, o ciclista Sander DeMira e o presidente da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo), Daniel de Araújo Costa. O governador João Raimundo Colombo e o prefeito de Florianópolis Cesar Souza Júnior também falaram.

Conteúdo exibido originalmente no programa “BAND Cidade”, da Band Santa Catarina, em 28 de dezembro de 2015. Veja a edição completa do programa aqui.

(Vídeo) Olhares: Ciclistas prestam homenagem a Róger Bitencourt

Ciclistas promovem cena comovente no velório do jornalista Róger Bitencourt.

Entrevista com a educadora física Rafaella Della Giustina, o ciclista Sander DeMira e o presidente da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo), Daniel de Araújo Costa. O governador João Raimundo Colombo e o prefeito de Florianópolis Cesar Souza Júnior também falaram.

Conteúdo exibido originalmente no programa “Olhares”, da Band Santa Catarina, em 28 de dezembro de 2015. Veja a edição completa do programa aqui.

(Vídeo) Jornal do Almoço: Após morte de ciclista na SC-401, motorista é preso em flagrante

Breves entrevistas com os ciclistas João Carlos Neves, policial militar, Daniel de Araújo Costa, presidente da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (ViaCiclo), Carlos Duarte, diretor da Eco Floripa, Sander DeMira, presidente da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF), João Raimundo Colombo, governador de Santa Catarina, e Cesar Souza Júnior, prefeito de Florianópolis, Cléber Trappi Serrano, delegado, durante o velório de Róger Bitencourt, jornalista e ciclista, presidente em exercício da Associação Catarinense de Imprensa. Alex Marques, testemunha do ocorrido assim como Sander, também foi ouvido.

O major Mauro Rezende, da Polícia Militar Rodoviária Estadual, é convidado a falar sobre a Lei Seca e a fiscalização das rodovias catarinenses.

Conteúdo exibido originalmente no Jornal do Almoço, da RBS TV SC,  em 28 de dezembro de 2015. Assista aqui e aqui à reportagem no site.

(Vídeo) Jornal do Meio Dia: Ciclistas protestam e pedem mais segurança na SC-401 em Florianópolis

A pedalada ocorreu como forma de manifesto contra a morte do jornalista e ciclista no domingo.

O grupo foi até o cemitério onde Roger foi velado para prestar as últimas homenagens.

Dentre os entrevistados, temos os ciclistas Milton Carlos Della Giustina e Rafaella Della Giustina, o jornalista Frutuoso Oliveira, o major Mauro Rezende, da Polícia Militar de Santa Catarina, e o prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Júnior.

Conteúdo exibido originalmente no programa Jornal do Meio Dia, edição de Florianópolis, da RIC Record SC, em 28 de dezembro de 2015.

(Vídeo) Jornal do Meio-Dia: Ciclista morre atropelado na SC-401 em Florianópolis

Os ciclistas Róger Bitencourt, 49, e Jacinto Silveira, 40, pedalavam na SC-401, próximo ao viaduto de Jurerê, quando foram atropelados.

Róger morreu no local e Jacinto teve ferimentos. O motorista foi detido e indiciado por dirigir sob efeito de drogas, lesão corporal dolosa e homicídio doloso.

Conteúdo exibido no programa Jornal do Meio Dia, edição de Florianópolis, da RIC Record SC,  em 28 de dezembro de 2015.

%d blogueiros gostam disto: